quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

A forma das coisas



Um autor que não gosta de finais felizes. É assim mesmo que se define Neil Labutte, festejado autor teatral americano, influeciado pelos trabalhos de Harold Pinter e David Mamet. Seus textos são sempre densos, com personagens em situações cruéis e vivendo momentos difíceis. Para defender seu estilo LaButte afirmou: "A base do drama teatral está no conflito, então o meu trabalho é encontrar formas de arruinar o que poderia ser um dia perfeito para as pessoas." E, de fato, LaButte não poupa seus personagens e surpreende o espectador com desfechos fabulosos. É o que acontece neste A forma das coisas, que reestreou em temporada popularíssima no Teatro da Casa de Cultura Laura Alvim em Ipanema.


O espetáculo gira em torno de quatro jovens: Adam, Evelyn, Diana e Johnny. Adam é um sujeito simples, trabalha como guarda de um museu e vê sua vida transformar-se após conhecer Evelyn, estudante de Artes, prestes a concluir sua monografia de graduação. Influenciado pela sua nova paixão e sua nova vida, Adam se afasta pouco a pouco dos seus amigos Johnny e Diana.


Estão em jogo as questões da amizade e dos valores, da Arte e do artista, do criador e da criatura.


Dirigido por Guilherme Leme, com co-direção de Pedro Neschling, A Forma das coisas conta com um elenco formado por Pedro Osório no papel de Adam, Carol Portes como Evelyn - a estudante de Artes e André Cursino e Karla Dalvi, vivendo Johnny e Diana, respectivamente. As atuações são razoáveis, mas podemos destacar o trabalho de Carol Portes e de Pedro Osório, este faz um trabalho de composição muito bom, mas peca no momento final do espetáculo, quando precisaria de uma carga dramática maior, mas não chega a comprometer.


A Forma das coisas, ficará em cartaz até dezembro, como disse, em temporada popularíssima, com ingressos a R$ 2, de quinta a domingo, no Laura Alvim.

3 comentários:

  1. No teatro ou no cinema é preciso se diferenciar para chamar a atenção do povo.
    Vim conhecer seu blog por meio do dhitt.

    ResponderExcluir
  2. o nome da atriz é carol portes e não pontes..
    =]

    ResponderExcluir
  3. Prezado anônimo,
    Obriagado pela observação, o nome da atriz já foi corrigido.

    ResponderExcluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.