quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

sábado, 18 de outubro de 2008

suburbano

Depois que um candidato a prefeito disse que certa vereadora tinha “atitude suburbana”, ou algo assim, os ânimos andam meio exaltados no Rio de Janeiro, e alguns suburbanos magoados. Já fizeram até passeata, com direito a camiseta com frase “sou suburbano e tenho orgulho”. Mas afinal, o que é ser suburbano ou ter “atitude suburbana”? Segundo o dicionário Aurélio, suburbano é: Adjetivo. 1.Pertencente ou relativo a subúrbio; 2.Que mora em subúrbio; 3.Bras. Deprec. Que tem ou revela mau gosto.
Dessa forma quem mora no subúrbio é suburbano, porque pertence ao subúrbio, mas o problema está na última definição, bem explicada no dicionário, que é depreciativa, e infelizmente muito utilizada por muitos.
Eu trabalhei em uma empresa, onde um dos funcionários quando via uma mulher mal vestida na rua, dizia sempre: “só pode ser suburbana”. Morar no subúrbio não implica em ter mau gosto, ser cafona, etc. Na verdade tudo não passa de puro preconceito social.
Este mesmo preconceito que sofrem os nordestinos que vêm trabalhar nas capitais do sudeste e são chamados de “paraíbas” no Rio e de “baianos” em São Paulo. Não sei como são chamados nas outras capitais do país. Mas, enfim, precisavam ter esses adjetivos, não bastava apenas serem chamados de João, José ou Maria? E sem contar nas pessoas que moram em comunidades (favelas) e, obviamente, são os “favelados”.
O subúrbio, em minha opinião, é apenas um lado da cidade que está fora do centro, são bairros, na maioria, residenciais, com pouco comércio. Lá moram pessoas qualificadas, honestas, que trabalham, que têm ou não mau gosto, assim como todos os outros moradores da cidade. São todos seres humanos.
Lamentavelmente, as autoridades deixam os subúrbios entregues à própria sorte, daí vemos ruas sem asfaltos, pouca iluminação, etc.
Tomara que motivado pela discussão o próximo prefeito do Rio olhe um pouco mais pelos subúrbios.
Porém, independente de subúrbio, zonal norte ou zona sul, o que tem que acabar mesmo é o preconceito social
Como sou um sonhador, acredito que chegará um tempo em que essas diferenças e divisões não terão mais sentido na nossa sociedade e as pessoas estarão mais preocupadas com o lado humano de cada um. Será? Espero estar aqui para ver.

2 comentários:

  1. Não é tão sem comércio assim. Não tem a variedades de produtos que se encontra num Hiper num shopping, mas já tem nos suburbios muitos pontos comerciais...

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela reflexão. Aproveito para divulgar o documentário em Longa-metragem "Alma Suburbana", que aborda as questões levantadas aqui no blog. O filme é uma produção independente dos moradores do subúrbio, que se juntaram em regime de mutirão para realizar o filme e exibi-lo em festivais e em diversos locais. desde boteco até o Centro Cultural Banco do Brasil.

    Um abraço.

    Luiz Claudio.

    ResponderExcluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.