quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

opereta carioca



Opereta é um estilo de ópera leve, seja na substância musical, seja no assunto, fugindo um pouco do drama, mais comum na ópera dita séria. A opereta é uma precursora da moderna comédia musical, sendo que a primeira é uma pequena ópera encenada, o elenco formado por cantores treinados em ópera da maneira clássica; enquanto que a segunda é uma peça teatral cantada, que utiliza atores que cantam.
A opereta, de origem francesa, recebeu tratamento à brasileira no final do século XIX, pelas mãos de Arthur Azevedo. Mais de um século depois, Gustavo Gasparani apresenta ao público sua Opereta Carioca, união de um gênero teatral com a nossa mais popular música: o samba.
O espetáculo narra a trajetória de um casal tipicamente carioca – a Cabrocha e o Malandro. No palco as idas e vindas do casal, seus momentos de paixão, alegria, brigas e reencontros, são contados através dos sambas dos grandes mestres, tais como Ismael Silva, Noca da Portela, Geraldo Pereira, Ataulfo Alves, Paulinho da Viola, Chico Buarque, Zeca Pagodinho entre outros.
As canções não seguem a cronologia e são apresentadas de acordo com a história do casal, de maneira bem homogênea com início , meio e fim.
Opereta Carioca conta com a direção competente de João Fonseca, que conduz muito bem o elenco formado por Gustavo Gasparani e a excelente Soraya Ravenle.
A direção musical fica a cargo de João Callado e Nando Duarte que são acompanhados pelos músicos Joana Queiróz, Fabiano Salek e Marco Basílio.

Opereta Carioca só vem confirmar o talento e a competência de Soraya Ravenle e Gustavo Gasparani em musicais. Ambos estão formidáveis em seus papéis. Gustavo dá alma ao Malandro José, com todas as nuances exigidas para o personagem. Soraya Ravenle dona de uma voz privilegiada e muito afinada, encanta a platéia, além de sambar divinamente, com doses de sensualidade e brejeirice, resultado do trabalho da coreógrafa Sueli Guerra.
Esta Opereta Carioca tem ótimos momentos, porém a cena da lua-de-mel do casal apaixonado é a mais divertida. Ponto para a direção que fugiu do vulgar e consegue surpreender a platéia.
O espetáculo que fez curtíssima temporada no Maison de France, reestréia hoje no Centro Cultural Veneza em Botafogo e fica em cartaz até o dia 14 de dezembro, com apresentações sextas e sábados às 21h e domingos às 20h. Uma opção imperdível!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

pausa para reflexão




Os conflitos, as discórdias, as tensões, as oposições que habitam o nosso mundo constituem a totalidade do que existe, cabendo àquele que conhece, amar e merecer, nunca julgar, para viver em conformidade com a harmonia da Natureza.

Interpretação do pensamento de Heráclito de Éfeso

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

concha buika


Conheci a obra de Concha Buika neste ano e imediatamente fui tomado de paixão por esta nobre cantora, nascida em Palma de Mallorca, cuja família é originalmente da Guiné Equatorial. Da mistura de culturas, resultou uma cantora de voz rouca e elegante, que emociona desde a primeira audição. Sua música mescla flamenco, soul, jazz e funk.
Buika passou a ficar conhecida a partir de seu segundo cd, “Mi niña Lola”, que rendeu ótimas críticas e prêmios. “Niña de fuego”, seu terceiro trabalho faz igual sucesso.
Espero que apreciem o vídeo de “Mi niña Lola” e, se gostarem, poderão ver outros clips que estão disponíveis na barra de vídeo do blog (no canto direito da página).





Mi Niña Lola


Dime porque tienes carita de pena

Que tiene mi niña siendo santa y buena

Cuéntale a tu padre lo que a ti te pasa

Dime lo que tienes reina de mi casa

Tu madre la pobre no se donde esta

Dime lo que tienes, dime lo que tienes

Dime lo que tienes, dime la verdad

Mi niña lola, mi niña lola

Ya no tiene la carita del color de la amapola

Mi niña lola, mi niña lola

Ya no tiene la carita del color de la amapola

Tu no me ocultes tu pena

Pena de tu corazón

Cuéntame tu amargura

Pa consolártela yo

Mi niña lola, mi niña lola

Se le ha puesto la carita del color de la amapola

Mi niña lola, mi niña lola

Se le ha puesto la carita del color de la amapola

Siempre que te miro mi niña bonita

Le rezo a la virgen que esta en la ermita

Cuéntale a tu padre lo que te ha pasao

Dime si algún hombre a ti te ha engañao

Niña de mi alma no me llores mas

Dime lo que tienes, dime lo que tienes

Dime lo que tienes, dime la verdad

Mi niña lola, mi niña lola

Mientras que viva tu padre no estas en el mundo sola

Mi niña lola, mi niña lola

Mientras que viva tu padre no estas en el mundo sola

Mi niña lola, mi niña lola

Mientras que viva tu padre no estas en el mundo sola

Mi niña lola, mi niña lola

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Fernando Pessoa

(Lisboa, 13 de junho de 1888 - Lisboa, 30 de novembro de 1935)



Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.

E que posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viverapesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas ese tornar um autor da própria história.

É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrarum oásis no recôndito da sua alma.

É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.

É saber falar de si mesmo.

É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo.

Fernando Pessoa

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

frase da semana

“O que mais preocupa não é nem o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem-caráter, dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”

(Martin Luther King)

dicas de sáude para começar bem a semana


Um amigo querido me enviou um e-mail contendo óitimas dicas para a saúde. Se conseguirmos seguir pelo menos algumas, acredito que vamos garantir muitos anos de vida:



HARVARD - DICAS SAÚDE.

As universidades de Harvard e Cambridge publicaram recentemente um compêndio com 20 conselhos saudáveis para melhorar a qualidade de vida de forma prática e habitual:
- um copo de suco de laranja diariamente para aumentar o ferro e repor a vitamina C.

- salpicar canela no café (mantém baixo o colesterol e estáveis os níveis de açúcar no sangue).

- trocar o pãozinho tradicional pelo pão integral que tem quase 4 vezes mais fibra, 3 vezes mais zinco e quase 2 vezes mais ferro que tem o pão branco.

- mastigar os vegetais por mais tempo. Isto aumenta a quantidade de químicos anticancerígenos liberados no corpo. Mastigar libera sinigrina. E quanto menos se cozinham os vegetais, melhor efeito preventivo têm.

- adotar a regra dos 80%: servir-se menos 20% da comida que ia ingerir evita transtornos gastrintestinais, prolonga a vida e reduz o risco de diabetes e ataques de coração.

- o futuro está na laranja, que reduz em 30% o risco de câncer de pulmão.

- fazer coloridas refeições como o arco-íris. Comer uma variedade de vermelho, laranja, amarelo, verde, roxo e branco em frutas e vegetais, cria uma melhor mistura de antioxidantes, vitaminas e minerais.

- comer pizza. Mas escolha as de massa fininha. O Licopene, um antioxidante dos tomates pode inibir e ainda> reverter o crescimento dos tumores; e ademais é melhor absorvido pelo corpo quando os tomates estão em molhos para massas ou para pizza.

- limpar sua escova de dentes e trocá-la regularmente. As escovas podem espalhar gripes e resfriados e outros germes. Assim, é recomendado lavá-las com água quente pelo menos quatro vezes à semana (aproveite o banho no chuveiro), sobretudo após doenças quando devem ser mantidas separadas de outras escovas.

- realizar atividades que estimulem a mente e fortaleçam sua memória... Faça alguns testes ou quebra-cabeças, palavras-cruzadas, aprenda um idioma, alguma habilidade nova... Leia um livro e memorize parágrafos.

- usar fio dental e não mastigar chicletes. Acreditem ou não, uma pesquisa deu como resultado que as pessoas que mastigam chicletes têm mais possibilidade de sofrer de arteriosclerose, pois tem os vasos sanguíneos mais estreitos, o que pode preceder a um ataque do coração. Usar fio dental pode acrescentar seis anos a sua idade biológica porque remove as bactérias que atacam aos dentes e o corpo.

- rir. Uma boa gargalhada é um 'mini-workout', um pequeno exercício físico: 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida. Baixa o estresse e acorda células naturais de defesa e os anticorpos.

- não descascar com antecipação. Os vegetais ou frutas, sempre frescos, devem ser cortados e descascados na hora em que forem consumidos. Isso aumenta os níveis de nutrientes contra o câncer

- ligar para seus parentes/pais de vez em quando. Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantém um laço afetivo com seus entes queridos, particularmente com a mãe, desenvolvem alta pressão, alcoolismo ou doenças cardíacas em idade temporã.

- desfrutar de uma xícara de chá. O chá comum contém menos níveis de antioxidantes que o chá verde, e beber só uma xícara diária desta infusão diminui o risco de doenças coronárias. Cientistas israelenses também concluíram que beber chá aumenta a sobrevida depois de ataques ao coração.

- ter um animal de estimação. As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico regularmente, dizem os cientistas da Cambridge University. Os mascotes fazem você sentir se otimista, relaxado e isso baixa a pressão do sangue. Os cães são os melhores, mas até um peixinho dourados pode causar um bom resultado.

- colocar tomate ou verduras frescas no sanduíche. Uma porção de tomate por dia baixa o risco de doença coronária> em 30%, segundo cientistas da Harvard Medical School.

- reorganizar a geladeira. As verduras em qualquer lugar de sua geladeira perdem substâncias nutritivas, porque a luz artificial do equipamento destrói os flavonóides que combatem o câncer que todo vegetal tem. Por isso é melhor usar á área reservada a ela, aquela caixa bem embaixo.
- comer como um passarinho. A semente de girassol e as sementes de sésamo nas saladas e cereais são nutrientes e antioxidantes. E comer nozes entre as refeições reduz o risco de diabetes.

- e, por último, um mix de pequenas dicas para alongar a vida: comer chocolate. Duas barras por semana estendem um ano a vida. O amargo é fonte de ferro, magnésio e potássio.

- pensar positivamente. Pessoas otimistas podem viver até 12 anos mais que os pessimistas, que ademais pegam gripes e resfriados mais facilmente.
- ser sociável. Pessoas com fortes laços sociais ou redes de amigos têm vidas mais saudáveis que as pessoas solitárias ou que só têm
contato com a família.

- conhecer a si mesmo. Os verdadeiros crentes e aqueles que priorizam o 'ser' sobre o 'ter' têm 35% de probabilidade de viver mais tempo.

Não parece tão sacrificante, não é verdade? Uma vez incorporados, os conselhos, facilmente tornam-se hábitos... É exatamente o que diz uma certa frase de Sêneca: 'Escolha a melhor forma de viver e o costume a tornará agradável'!

BOA SAÚDE!

domingo, 19 de outubro de 2008

almoço de domingo

Valei-me São Paul Bocuse!

Resolvi preparar uma receita de um escondidinho de frango com creme de milho, para o meu almoço dominical.
Sem ler a receita, segui para o supermercado e comprei o que precisava – ou pelo menos o que eu achava que precisava.
De volta a casa, iniciei os preparativos e aí me dei conta que não havia comprado amido de milho e pensei: “ora, posso usar farinha de trigo integral, deve dar no mesmo”. A receita pedia 2 latas de milho e um litro de leite. Resolvi fazer apenas metade, afinal de contas só eu iria comer. Resultado: não medi direito e a quantidade de leite ultrapassou, o creme ficou ralo e não dava o ponto. Tentei engrossar com mais farinha e nada. Voltei tudo para o liquidificador e joguei outra lata de milho. Agora vai. Bati. Ótimo perfeito, porém o volume aumentou e a panela anteriormente usada, ficou pequena e foi trocada. Mais louça para lavar!
Sou meio metido a mestre cuca, me sinto o “chef” e até acerto, mas dessa vez a receita desandou. O problema foi justamente querer adaptar, dar o "meu jeito", dar pitaco na receita alheia. Na hora do sufoco apelei: Me ajuda São Paul Bocuse!!!. Ainda bem que ele baixou na minha cozinha e me salvou!
O resultado final, vocês conferem na foto aí embaixo:

(O escondidinho de frango com milho)

Mamma Mia!


O velho clichê “cinema é a maior diversão”, faz todo o sentido ao assistir Mamma Mia, filme que foi a sensação do verão americano de 2008.
Mamma Mia, foi inspirado no musical homônimo que estreou em abril de 1999 em Londres e já foi montado também na Broadway.
Estrelado por Meryl Streep – fantástica no papel de Donna – o roteiro do filme é todo costurado com músicas do ABBA – clássico grupo sueco que fez o maior sucesso nos anos 70.
O filme se passa no ano de 1999, na bela ilha grega de Kalokairi, onde moram Donna e sua filha Sophie. Próximo ao seu casamento, Sophie resolve enviar três convites da cerimônia para três homens: Sam, Bill e Harry, acreditando que um deles é seu pai. De diferentes partes do mundo, os três resolvem voltar à ilha. Quando chegam, a mãe de Sophie, Donna se surpreende ao ficar cara-a-cara com os ex-namorados que nunca conseguiu esquecer. E, enquanto eles inventam desculpas por estar ali, ela se pergunta qual deles é, realmente, o pai de Sophie.


Até a hora do casamento de Sophie, muitas emoções rolam e os números musicais são muito bons, com ótimo desempenho dos atores-cantores. O estrelado elenco conta, além de Meryl Streep, com Amanda Seyfried (Sophie) Stellan Skarsgard (Bill) Pierce Brosnan (Sam) e Colin Firth (Harry). Nem precisa dizer que é Meryl Streep quem domina a cena do início ao fim, e atinge seu ápice na interpretação de “The winner takes it all”.
Mamma Mia é um filme que faz bem aos olhos e ouvidos: as belas paisagens da Grécia e a música contagiante do ABBA. A trilha já está disponível. Imperdível!

Veja o trailer:




sábado, 18 de outubro de 2008

suburbano

Depois que um candidato a prefeito disse que certa vereadora tinha “atitude suburbana”, ou algo assim, os ânimos andam meio exaltados no Rio de Janeiro, e alguns suburbanos magoados. Já fizeram até passeata, com direito a camiseta com frase “sou suburbano e tenho orgulho”. Mas afinal, o que é ser suburbano ou ter “atitude suburbana”? Segundo o dicionário Aurélio, suburbano é: Adjetivo. 1.Pertencente ou relativo a subúrbio; 2.Que mora em subúrbio; 3.Bras. Deprec. Que tem ou revela mau gosto.
Dessa forma quem mora no subúrbio é suburbano, porque pertence ao subúrbio, mas o problema está na última definição, bem explicada no dicionário, que é depreciativa, e infelizmente muito utilizada por muitos.
Eu trabalhei em uma empresa, onde um dos funcionários quando via uma mulher mal vestida na rua, dizia sempre: “só pode ser suburbana”. Morar no subúrbio não implica em ter mau gosto, ser cafona, etc. Na verdade tudo não passa de puro preconceito social.
Este mesmo preconceito que sofrem os nordestinos que vêm trabalhar nas capitais do sudeste e são chamados de “paraíbas” no Rio e de “baianos” em São Paulo. Não sei como são chamados nas outras capitais do país. Mas, enfim, precisavam ter esses adjetivos, não bastava apenas serem chamados de João, José ou Maria? E sem contar nas pessoas que moram em comunidades (favelas) e, obviamente, são os “favelados”.
O subúrbio, em minha opinião, é apenas um lado da cidade que está fora do centro, são bairros, na maioria, residenciais, com pouco comércio. Lá moram pessoas qualificadas, honestas, que trabalham, que têm ou não mau gosto, assim como todos os outros moradores da cidade. São todos seres humanos.
Lamentavelmente, as autoridades deixam os subúrbios entregues à própria sorte, daí vemos ruas sem asfaltos, pouca iluminação, etc.
Tomara que motivado pela discussão o próximo prefeito do Rio olhe um pouco mais pelos subúrbios.
Porém, independente de subúrbio, zonal norte ou zona sul, o que tem que acabar mesmo é o preconceito social
Como sou um sonhador, acredito que chegará um tempo em que essas diferenças e divisões não terão mais sentido na nossa sociedade e as pessoas estarão mais preocupadas com o lado humano de cada um. Será? Espero estar aqui para ver.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

A forma das coisas



Um autor que não gosta de finais felizes. É assim mesmo que se define Neil Labutte, festejado autor teatral americano, influeciado pelos trabalhos de Harold Pinter e David Mamet. Seus textos são sempre densos, com personagens em situações cruéis e vivendo momentos difíceis. Para defender seu estilo LaButte afirmou: "A base do drama teatral está no conflito, então o meu trabalho é encontrar formas de arruinar o que poderia ser um dia perfeito para as pessoas." E, de fato, LaButte não poupa seus personagens e surpreende o espectador com desfechos fabulosos. É o que acontece neste A forma das coisas, que reestreou em temporada popularíssima no Teatro da Casa de Cultura Laura Alvim em Ipanema.


O espetáculo gira em torno de quatro jovens: Adam, Evelyn, Diana e Johnny. Adam é um sujeito simples, trabalha como guarda de um museu e vê sua vida transformar-se após conhecer Evelyn, estudante de Artes, prestes a concluir sua monografia de graduação. Influenciado pela sua nova paixão e sua nova vida, Adam se afasta pouco a pouco dos seus amigos Johnny e Diana.


Estão em jogo as questões da amizade e dos valores, da Arte e do artista, do criador e da criatura.


Dirigido por Guilherme Leme, com co-direção de Pedro Neschling, A Forma das coisas conta com um elenco formado por Pedro Osório no papel de Adam, Carol Portes como Evelyn - a estudante de Artes e André Cursino e Karla Dalvi, vivendo Johnny e Diana, respectivamente. As atuações são razoáveis, mas podemos destacar o trabalho de Carol Portes e de Pedro Osório, este faz um trabalho de composição muito bom, mas peca no momento final do espetáculo, quando precisaria de uma carga dramática maior, mas não chega a comprometer.


A Forma das coisas, ficará em cartaz até dezembro, como disse, em temporada popularíssima, com ingressos a R$ 2, de quinta a domingo, no Laura Alvim.

tempo



Uma palavra pequena de apenas 5 letras é um artigo de luxo e custa muito caro: tempo. Está cada vez mais raro de encontrá-lo, anda em falta mesmo. Em todos os países de todos os continentes, todos correm atrás dele e não conseguem alcançá-lo, pois trata-se de um atleta veloz, à frente de todos. Corre sem olhar para trás, deixando a multidão cansada e um pouco frustrada. E aí de tanto correr atrás do tempo, a vida passa e nos damos conta de que fizemos pouco e não aproveitamos muito.


Acredito que somos nós os grandes culpados pela ausência do tempo. Estamos sempre apressados, querendo acompanhar o ritmo de tudo e aí não conseguimos, ora somos humanos e temos nossos limites.


Se antes escrevíamos cartas, hoje temos e-mail; a refeição pode ser preparada no microondas, o café é expresso, a foto é instantânea, e até o sexo pode se ruma "rapidinha".

E nas férias, vamos acordar cedo, dormir tarde, correr, ver tudo, assimilar o máximo possível, visitar 10 pontos turísticos, comprar, almoçar e não parar nunca, mas e depois? O tempo passou e ninguém notou um pequeno detalhe no museu, um livro bacana com bom preço em uma livraria, um cantinho gostoso em uma rua...


Precisamos urgentemente parar e apenas contemplar, deixar o tempo passar, saboreando os minutos, os segundos, respirar e inspirar, simples assim...

sábado, 4 de outubro de 2008

Às favas com os escrúpulos


Depois de mais de 40 anos de casamento, a esposa de um senador da República descobre que o marido não era o poço de virtudes que acreditava. Estes são os elementos do espetáculo Às favas com os escrúpulos, texto de Juca de Oliveira e direção de Jô Soares, que estreou no Teatro Clara Nunes, após temporada de sucesso em São Paulo.
Juca de Oliveira é o mestre da comédia política e já escreveu diversos sucessos como Caixa 2, Motel Paradiso, só para citar alguns. Neste espetáculo, as mazelas políticas do país são mostradas através da vida do senador Bernardo, muito respeitado e tido como um dos parlamentares mais íntegros do país, casado com Lucila, professora aposentada e fiel. Num dos acasos da vida, Lucila descobre que o marido tem uma amante, e aí começa uma revolução tendo um desfecho inesperado e divertido.
Comédia, ao contrário do que muitos imaginam, não é tarefa fácil, pois precisa ser inteligente e equilibrada e fugir do riso fácil e oportunista. É preciso que haja talento por todos os lados e, certamente, este é o ponto forte deste espetáculo. O bom texto de Juca de Oliveira aliado à direção segura de Jô Soares e um elenco afinado.


Bárbara Paz, como a secretária/amante do senador, está convincente no papel, com boa atuação, Daniel Warren que interpreta o neto do casal é o menos satisfatório, mas sua atuação não chega a comprometer. Neusa Maria Faro, ótima atriz, está perfeita no papel da empregada da família, totalmente dona da personagem e com ótimo desempenho, assim como Gracindo Júnior, ator experiente, interpreta com maestria seu papel, mas é Bibi Ferreira a grande estrela do espetáculo. Não dá para fugir do lugar comum, Bibi é uma lenda vida da dramaturgia brasileira e vê-la aos 86 anos no palco, já é em si um espetáculo, um presente. Sua interpretação de Lucila é magnífica e já lhe rendeu dois prêmios de melhor atriz pelo papel, conferidos pela APCA e pela Revista Contigo. Bibi tem momentos maravilhosos neste espetáculo, é aplaudida diversas vezes em cena aberta e contracenando com Neusa Maria Faro, faz uma dupla fantástica. Às favas com os escrúpulos, é um programa divertido e ótima oportunidade de se ter uma aula com uma das maiores damas do nosso teatro.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Lyon





Citei Lyon como uma das minhas cidades preferidas em uma das listas que publiquei ontem. Para minha surpresa no Caderno Boa Viagem do jornal O Globo, publicaram hoje matéria sobre essa simpática cidade francesa, banhada pelos rios Saône e Rhône, que tive o prazer de visitar em 2002 e 2007.



(Colina Fourvière)



Lyon foi fundada em 43 a.C. pelos romanos, com a designação de Lugdunum, era a capital da província da Gália. Foi nessa cidade que nasceu o imperador romano Cláudio, o primeiro imperador que nasceu fora da Península Itálica e que chegou a conquistar a Britânia em 43 d. C.



(Ruínas do anfiteatro romano)


Lyon é dominada por duas colinas, Fourvière e Croix-Rousse, separadas pelo rio Saône. Dizem que Jules Michelet (filósofo e historiador) atribuiu as designações de “colina que reza” a Fourvière, por abrigar a basílica de Notre Dame de Fourvière, vários conventos e a sede do bispado, e de «colina que trabalha» a Croix-Rousse, onde morava a maioria dos operários que trabalhavam na tecelagem (particularmente da seda), indústria principal da cidade nessa época.
Embora seja a segunda maior cidade da França, Lyon tem charme de cidadezinha do interior, sobretudo o Vieux Lyon, a parte antiga da cidade, onde existem várias passagens no interior dos prédios, chamados de traboules que permitem passar de uma rua a outra.


(Traboule)


Na Península, entre os dois rios, encontra-se a praça Bellecour, que é uma das maiores praças de pedestres da Europa, onde podemos avistar a imponente estátua eqüestre de Louis XIV.


(Place Bellecour)


Além de todas essas belezas, Lyon é uma cidade gastronômica, com ótimos restaurantes e culinária deliciosa, inclusive o do festejadíssimo chef Paul Bocuse, que ainda não conheço, mas quem sabe em outra viagem?



(Mesmo assim, não deixei de comer bem, não é?)


Quem quiser saber um pouco mais sobre Lyon, pode me convidar para um bate-papo com muito vinho, e belas fotos de Lyon, vai ser um prazer!


(Place des Terreaux)

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

as listas


Certamente você já deve ter recebido um e-mail pedindo para informar os seus filmes preferidos, coisas que você gosta de fazer pela manhã ou pela noite, seus pratos prediletos, etc. As listas de assuntos, preferências e curiosidades tornaram-se uma febre e já rendeu até um livro – “O livro das listas” dos autores David Wallechinsky, Amy Wallace. Volta e meia, quando não tenho absolutamente nada para fazer – coisa rara, começo a elaborar mentalmente algumas listas, seja lá do que for, penso em lugares, comidas, perfumes, e otras cositas.
Como já respondi muitos e-mails com essas listas, acho que está na hora de apresentar para vocês algumas das minhas preferências, para não cansar, vamos por partes: filmes, cidades e músicas que me deixam feliz.

Os filmes

  1. O Baile
  2. Morte em Veneza
  3. Morangos Silvestres
  4. A Insustentável leveza do ser
  5. Ascensor para o Cadafalso
  6. A Noviça Rebelde
  7. Bagdá Café
  8. Noites de Cabíria
  9. Cantando na chuva
  10. A Bela da tarde


As cidades

  1. Rio de Janeiro
  2. Salvador
  3. Natal
  4. Paris
  5. Lyon
  6. Annecy
  7. Praga
  8. Budapeste
  9. Lisboa
  10. Buenos Aires

As músicas

  1. Tocando em frente
  2. Je ne regrette rien
  3. La bohème
  4. Emmenez-moi
  5. Barracão
  6. Atrás da porta
  7. Você passa e eu acho graça
  8. Chão de estrelas
  9. La Solitudine
  10. You'll see


Quer participar? Deixe seu comentário!