quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Une année pas comme les autres

(Tulipas do Parc Keukenhof - Holanda - Abril/2009)

O título deste post está em Francês, mas não me perguntem o porquê. Numa tradução livre seria algo como "Um ano diferente". Foi assim que vi o ano de 2009 que vai embora hoje. Um ano que vivi emoções fortes, enfrentei desafios e, em algumas ocasiões, fui apenas espectador. Vi o ano passar e sobrevivi. Passei momentos felizes. Só posso agradecer a DEUS pela generosidade, a VIDA é o maior bem que temos. A SAÚDE está boa e como dizem "o resto, eu corri atrás" e posso dizer que valeu! Non, je ne regrette rien!

Retrospectiva rápida do mundo virtual

Entre altos e baixos, 2009 foi um ano de grandes descobertas, pelo menos no mundo virtual. Logo no início do ano comecei a planejar minha viagem e pesquisando encontrei o Conexão Paris um blog muito bem escrito e organizado pela LINA, uma simpática mineira que mora há mais de 20 anos na cidade luz e compartilha suas dicas com diversos internautas. Paris é uma cidade que sempre nos surpreende e o Blog é um show, vale muito mais que qualquer guia. Lina, não podia deixar de mencionar você. Um beijo e obrigado pelas diversas dicas. Quem quiser pode visitar o Conexão, basta clicar na foto aí debaixo.

Outra descoberta prazerosa foi o Blog da Cristina. Já conhecia o trabalho da Cristina Brasil pela televisão, desde os tempos do Programa +D do GNT. Neste ano e por mera casualidade (coisas da internet), cheguei até o site e logo em seguida descobri o Blog. Entrei na casinha da Cris e fui conhecendo tudo, vendo os vídeos e comentando os posts do Blog. E aí foi um bate-papo gostoso, troca de ideias e um pedido para ir até Madureira na Feijoada da Portela. Nos conhecemos e saímos do virtual para o Real. Cristina admiro muito o seu trabalho e a sua criatividade, acho incrível ver luz onde muitas vezes não enxergamos nada. Isso é um dom! Que você continue nos brindando com suas dicas de decoração, suas ótimas ideias e o seu maravilhoso bom humor. Isso faz toda a diferença. Visitem o Blog da Cris. É só clicar no banner.



Os Encontros


Eu já perdi a conta, talvez já passe de 12 anos que conheço a Haydée (ao meu lado) e a Inês. Elas estudaram comigo na Alliance Française. Esse grupo era maior; falta a Maria Helena e a Leila (que não está na foto, pois chegou tarde e no calor da emoção esqueci de registrá-la. Pardon Leila). Nossos encontros começaram ainda na Alliance, fazíamos uma sessão de bate-papo em francês antes da aula. Nas férias alguns encontros aconteceram na casa do nosso professeur Luís Fernando e passamos a nos reunir chez moi. Eram reuniões animadas. Depois passamos a fazer encontros em restaurantes, casas de chá, etc. Por razões alheias às nossas vontades, as conversas em francês acabaram, mas um dia retornaremos. Porém, nosso encontro de Natal acontece sempre e prometemos não quebrar este elo. É um prazer enorme estar com vocês: Leila, Inês e Haydée. C'est pour toujours, c'est pour la vie...



Outro encontro de fim de ano é o que faço com César e Márcia, um casal super simpático, que gosto muito. E tem a Renata, irmã da Márcia, que este ano não pode ir. Conheci a Márcia faz uns 8 ou 9 anos em um restaurante no Centro, onde tinha o hábito de almoçar todos os dias. O papo foi bem simples e aos poucos a amizade cresceu. Um dia a Márcia conheceu o César, casaram e estão aí felizes. E claro, César aderiu aos nossos encontros.

***********

O melhor verbo: viajar

Se pudesse eu passava o ano inteiro conjugando esse verbo, mas ainda não fiquei milionário. Todavia, aceito convites e passagens...rs

(Markt, também conhecido como Grand Place - Brugge)

Este ano foi especial, pois viajei no mês do meu aniversário e conheci cidades lindas como Amsterdan, Bruxelas, Brugge e, para variar um pouco, voltei a Paris, claro...rs

Desejo de coração para todos os meus queridos amigos, aos leitores e seguidores do Blog : PAZ, SAÚDE, HARMONIA, ALEGRIA, SORRISOS, VIAGENS, AMORES, SUCESSO, MUITA ENERGIA E ALGUM DINHEIRO para dar GARANTIA!!!

Que o ano de 2010 seja tranquilo e que possamos trilhar por caminhos inspiradores como o da foto abaixo!
Feliz Ano Novo!!!

Jorge Fortunato

(Parc Keukenhof - Holanda - Abril/2009)

domingo, 27 de dezembro de 2009

Rick Baleiro, um brasileiro

Quem mora no Rio de Janeiro e anda de ônibus já está acostumado com os camelôs que vendem seus produtos aos passageiros. Às vezes, esse "vendedor" incomoda muito, principalmente quando o ônibus está cheio , mas emprego está difícil e as pessoas precisam ganhar dinheiro de alguma forma. Há pouco menos de duas semanas encontrei um desses personagens: jovem, falante e vendia uma marca conhecida de drops de diversos sabores. Simpático oferecia o seu produto e entregava uma pequena folha aos passageiros. Mesmo quem não comprava o drops ganhava a tal folha. Quando chegou a minha vez, eu disse que iria comprar, pois já havia simpatizado com o rapaz e sua maneira descontraída de falar. ele agradeceu por ter comprado o drops e pediu: "não deixe de ler, vale a pena". Eu li a mensagem e fiquei surpreso, até porque esperava algo do tipo: "estou desempregado, etc etc". Chamei o "vendedor" e pedi permissão para publicar a mensagem no blog, o que foi prontamento autorizado e que vocês poderão conferir abaixo:
"Sr Passageiro.
A 5ª (e talvez a última) mensagem do baleiro pergunta:
Lembra das propostas de seu candidato e se ele cumpriu com seus deveres? Ele foi o responsável pelas mudanças em seu bairro e/ou comunidade? E o que você fez para cobrar as promessas não realizadas?
Em breve estaremos em época eleitoral e já sabemos o que esperar. Se votarmos nesses políticos vai continuar essa situação vergonhosa que estamos, com menos esperanças para nossos filhos e netos e vendo os poderosos ficarem mais ricos. E aí, vai votar em quem? A memória é algo fundamental em nossas vidas. Sem ela, criaremos uma sociedade sem identidade e ideais.
Obrigado! Rick Baleiro, um brasileiro."
Acho que nem preciso falar mais nada.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Então é Natal

(Minha pequena grande árvore de Natal)


Daqui a poucos dias será Natal, data bacana que gostamos de passar junto dos amigos e dos familiares. Tenho mais de 40 natais na estrada e já vi, comi e bebi de tudo nesta festa. Presenciei vexames, brigas, discussões... afinal, família reunida é como uma bomba relógio prestes a explodir. O Natal também é motivo para as pessoas fazerem grandes gastos e presentearem: CDs, camisetas, canetas, agendas, um badulaque qualquer.... Tem o amigo-oculto, aquela brincadeira chata de escritório. Todos se detestam, mas participam para manter o clima organizacional em alta. Acho muito cafona. E as festas de "confraternização"? A secretária reprimida dançando em cima da mesa, o diretor gordo dançando funk, entre outras esquisitices. Já ganhei e dei presentes lindos, fofos, generosos e outros nem tanto. Também já acreditei em Papai Noel, já fui criança... E o Natal? Sempre foi motivo de comida, bebida e farra. Posso estar errado, mas vejo que poucas famílias pensam no verdadeiro sentido da festa. Não sou religioso, mas acredito no Natal como um momento de renovação. Uma criança que nasce traz alegria para a sua família. Assim é o nascimento do Cristo. Um momento sublime de alegria, um sinal de esperança para este mundo cafona, hostil e cruel.
Eu desejo, sinceramente, que o Natal de todos seja cheio de renovação e esperança para que possamos viver num mundo melhor.
Um grande abraço a todos os amigos e leitores do Blog.
Com carinho

Jorge Fortunato

(A representação do nascimento do Cristo. Comprei numa lojinha de artesanto em Buenos Aires, fofo né?)

domingo, 13 de dezembro de 2009

Última semana

Olá pessoal. Esta é a última semana da Campanha Teatro Para Todos. Não deixem de assistir:
Hairspray - Teatro Oi Casa Grande
Zoológico de Vidro - Teatro dos 4

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Feijoada no ninho da Águia

Não é novidade, o primeiro sábado do mês é dia de feijoada no ninho da águia. A Portela abre sua quadra e recebe os fãs do samba e dessa iguaria brasileira: a feijoada, a grande estrela. Com o calor dos últimos dias e o temporal que caiu na última sexta-feira, cheguei a pensar que a chuva fosse atrapalhar a minha ida a Madureira. Eu não podia perder de jeito nenhum a última feijoada do ano, tá virando tradição. Apesar de não ser supersticioso, gosto desses rituais, nem sei o porquê, mas é assim com o gnocchi della fortuna (todo mês) , a feijoada (pelo menos duas vezes ao ano), etc e tal. E feijoada com chuva dá samba? Claro que dá. E assim, com guarda-chuva e tudo peguei o trem para Madureira e levei uma nova amiga comigo: Cristina Brasil, que fez seu début nos trens da Central do Brasil e adorou. Nos conhecemos há pouco tempo, pois temos algo em comum: nossos blogs. Cristina apresenta o Decora Brasil no GNT e tem um site e um blog, que acompanho diariamente e dou meus pitacos. Foi assim que acabou surgindo o convite para a feijoada.

Cristina optou pelo look azul para homenagear a Portela. Como de costume usei minha camiseta "uniforme-para-feijoada-da-Portela", com uma águia enorme.

Saímos da Central do Brasil no trem de 11h40 e 12h00 já estávamos em Madureira. Encontramos os portões da Escola ainda fechados. Não houve estresse, entramos num boteco muito simpático para beber uma cervejinha.


Caricatura de Lan na parede do boteco.

Hora de comer o feijão.

As tias da Portela começam a preparar a feijoada na quarta-feira e é incrível como tudo fica gostoso. O feijão é de primeiríssima, tempero na medida, carnes saborosas e a simpatia, marca portelense.

Na fila aguardando a feijoada

A mais suculenta das feijoadas do mundo do samba.


O papo rolou solto a tarde inteira e ficou mais animado com a chegada do Sandro e do Max, amigos da Cristina. Nos divertimos muito e acredito que gastamos nossos estoques de gargalhadas. Fico devendo fotos do Sandro e do Max.


Olha a Beija-Flor aí gente!

Soninha "capeta", a eterna passista da Escola de Nilópolis, chegou arrasando nesse look "sou-passista-e-sambo-muito" em cima de um saltão. Como ela faz para se equilibrar e balançar tanto? Segredos do mundo do samba...

A Feijoada de Dezembro foi um sucesso. A quadra lotada, feijão para todos e cerveja gelada. Gostei muito de ter apresentado este outro lado da vida cultural carioca para Cristina. Sei que ela adorou conhecer as pessoas e os lugares onde passamos. E toda a emoção desse dia, certamente, será relatada no seu Blog e vocês poderão conferir, passem lá!


Voltamos de trem e chegamos na Central com o anoitecer... essa imagem é quase poética, bom pelo menos eu achei... Até a próxima.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Bolsa cultura



Por conta da Campanha "Teatro Para Todos" aumentei o meu número de visitas ao teatro. Os preços da campanha ajudam: de R$ 5 a R$ 25. Assim eu posso ver mais espetáculos, pois o preço de algumas peças andam, realmente, muito altos. Em geral R$ 80. Eu gosto muito de ir ao teatro, mas se todo mês eu assistir 4 peças, vou gastar R$ 320; em um ano o custo total é de R$ 3.840. Incrível! Sai mais caro que um bilhete de classe econômica Rio/Paris/Rio. Como disse minha amiga Meg Bravo: "precisamos de um bolsa cultura". Eu não vou entrar no mérito do Patrocínio, apoio do Governo etc e tal, até porque não entendo nada disso e nem sei os custos das produções. Só posso dizer que para o brasileiro médio ir ao teatro é um luxo. Este ano já assisti muitas peças, alguns ingressos comprei, outros ganhei - ainda bem que tenho amigos. E só falei em teatro, mas ainda tem livros, discos, cinemas, exposições etc etc. Ficar em dia com a cultura sai muito caro. Por tudo isso e muito mais eu apoio e divulgo sempre a campanha do Teatro Para Todos. Tenho assistido ótimos espetáculos e como ando sem tempo para escrever sobre as peças, ao menos vou recomendá-las, pois valem a pena:

- As meninas
Texto de Maitê Proença e Luiz Carlos Góes, com direção de Amir Haddad. Está em cartaz no Teatro SESC Tijuca de 6ª a domingo, às 20hs. Um espetáculo belíssimo, sensível e delicado. Ótimas atuações. Imperdível.

- Adorável Desgraçada
Escrito por Leilah Assumpção, com direção de Otávio Muller e atuação brilhante de Débora Duarte. Solar de Botafogo, 6ª e Sábado 21h30 e Domingo 20h30.

- A farsa da boa preguiça
De Ariano Suassuna. Teatro Carlos Gomes, 5ª a Sábado às 19h30 e Domingo às 19h00. O espetáculo dirigido por João das Neves é muito divertido e mostra a riqueza dos personagens do mestre Suassuna.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Casa do Pontal

Na semana passada recebi e-mail da minha querida Célia Barroso propondo um passeio bem carioca: visita ao Museu Casa do Pontal e depois almoço em Guaratiba. Seria uma oportunidade para colocar o papo em dia e matar saudades das nossas sessões de Pilates. Para completar a nossa "turma", Maria da Fé, outra amiga querida, iria nos levar no seu "carro dos sonhos". Por incrível que pareça eu ainda não conhecia os deliciosos restaurantes de Guaratiba, tampouco passado por Grumari, Prainha e arredores. Certamente, devido à distância, pois qualquer programa que inclua Barra e Recreio é sinônimo de horas no trânsito. Mas estar ao lado de pessoas tão queridas e gentis, não tem preço.

Museu Casa do Pontal

Já conhecia a fama do Museu Casa do Pontal e sempre tive vontade de visitá-lo. Sabia que abrigava peças do nosso artesanato. E cheguei a pensar que ficava instalado à beira mar. Acho que foi influência da música "Do Leme ao Pontal". Para minha surpresa, o museu fica numa reserva ecológica, cheio de árvores, canto de pássaros e um perfume de natureza incrível.
Atualmente o museu é considerado o mais significativo espaço de arte popular do Brasil. São mais de 5 mil obras de artistas de diversos estados brasileiros, expostas em 1500m² de galerias, mostrando cenas do cotidiano, festas religiosas, profissões, etc. Todo o acervo, que foi tombado em 1991, foi reunido e catalogado pelo francês Jacques Van de Beuque, durante mais de 40 anos. Jacques deixou a Europa no pós-guerra e veio para o Brasil estimulado pelo pintor Cândido Portinari. Ao chegar aqui apaixona-se pela arte popular. Viaja pelo Brasil, conhece artistas e começa a colecionar diversas obras.
A Casa do Pontal é uma homenagem que Jacques faz ao país que o acolheu: "Num mundo corrupto, dominado pela violência e pelo ódio, é saudável encontrar outro universo, criado por mãos habilidosas de artistas humildes e honestos" (Jacques Van de Beuque).
Belas palavras. Isso confirma o meu pensamento: a arte é uma revolução.

Fachada principal do Museu

Célia caminhando em direção ao universo de Jacques Van de Beuque.

A exposição permanente está muito bem organizada, dividida por temas com peças a partir da década de 50.

(Fotos do Ney e da Fátima)

Não se assustem, sou eu mesmo em carne e osso interagindo com a obra.

No final tudo acaba em samba: esta obra reproduz o Sambódromo do Rio de Janeiro. Um verdadeiro desfile de Escola de Samba, com direito a tudo. Os bonecos fazem os movimentos, basta apertar o botão e o samba rola na avenida.

Outra foto do Ney. Detalhe de um estandarte exposto no bar do museu. Mas afinal quem é o Ney? Quem é a Fátima? São amigos dos tempos de escola da Maria da Fé. E daqui a pouco eles vão aparecer neste post.

Maria da Fé não resistiu e fez compras na lojinha do museu. O que será que tem dentro desta bolsa???

Primeira parte do programa realizada.... está na hora de ....
Comer os deliciosos pastéis de camarão do restaurante da Tia Penha. Crocantes, sequinhos e muito gostosos. Pedimos 10 e sumiram rapidinho.

Aqui a nossa turma toda reunida e pronta para saborear moqueca de camarão e um peixão delicioso (era Namorado?). Da direita para a esquerda: Maria da Fé, Jorge, Célia, Fátima e Ney. O Restaurante da Tia Penha é um dos muitos que fazem parte do roteiro gastronômico de Guaratiba e atrai multidões. A comida é honesta e muito saborosa. Meu début foi com pé direito.

Enfim, um sábado ímpar! E já estou com saudades querendo repetir a dose!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Teatro Para Todos 2009

Trago uma ótima notícia para os amantes do Teatro: A Campanha Teatro Para Todos. Nesta 7ª edição a campanha traz mais de 60 espetáculos e tem previsão de venda de 100.000 ingressos. É uma ótima oportunidade para ver os melhores espetáculos em cartaz na cidade como "O Despertar da Primavera", "Zoológico de Vidro", "Adorável Desgraçada", "Hairspray", entre outras. Os preços permanecem os mesmos do ano passado: de R$ 5,00 a R$ 25,00.
As vendas começam no dia 19 e os espetáculos serão apresentados de 20 de novembro a 20 de dezembro. Para saber mais detalhes sobre os espetáculos e os pontos de vendas, clique aqui.
Visitei o site e já escolhi os espetáculos que vou assistir. Quem sabe a gente não se encontra em algum teatro?

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

O Despertar da Primavera - o musical

No último sábado, a convite da minha querida Juliana, fui assistir ao musical O Despertar da Primavera em cartaz no Teatro Villa-Lobos. A peça, um drama, foi escrita pelo alemão Frank Wedekind no século XIX, mas foi proibida pela censura. Em 1906, o autor conseguiu apresentar o espetáculo com cortes em Berlin, porém após a estreia a montagem foi proibida e em 1908 foi vetada qualquer manifestação pública sobre a peça, sob pena de levar os infratores à prisão. Foram realizadas outras montagens fora da Alemanha, mas sempre com muitas restrições. A primeira montagem sem cortes aconteceu apenas em 1974 na Inglaterra. O belo texto de Wedekind atravessou o século XX e chega ao século XXI adaptado em musical pelo dramaturgo Steven Sater e musicada pelo compositor Duncan Sheik. Certamente Wedekind não poderia imaginar o seu drama transformado em rock-musical, cheio de canções pop e punk. O musical faz grande sucesso, conquista público e crítica, vence 8 categorias do Prêmio Tony e ganha montagens em diversos países. Aqui no Brasil chega pelas mãos de Charles Möeller e Claudio Botelho, não como uma réplica do espetáculo da Broadway, mas com a autorização dos autores para fazer uma releitura do musical. Assim a montagem de Möeller & Botelho é um novo espetáculo com outra concepção. E como dizem no programa da peça: “um risco”.
O texto de Wedekind é forte e trata de temas como suicídio, abusos sexuais, estupro, homossexualismo, incesto e as muitas indagações que passam na cabeça dos adolescentes. Tudo isso com muita música.

(Malu Rodrigues e Pierre Baitelli: o casal protagonista)

Apesar de todos esses elementos, que a princípio achamos complicado para a montagem de um musical, vimos mais uma vez que a dupla Möeller & Botelho dá conta do recado e surpreende os espectadores.
A produção do espetáculo é muito bem cuidada, com cenário muito prático de Rogério Falcão, boa iluminação de Paulo César Medeiros, belos figurinos de Marcelo Pies, a excelente coreografia de Alonso Barros e ótima direção musical de Marcelo Castro.
Para dar vida aos adolescentes da peça, o diretor Charles Möeller escolheu um elenco jovem, com idades entre 16 e 25 anos, “para que a plateia não duvide que aqueles jovens estejam vivendo aquilo por que passam em cena, muito mais do que representando”.
O foco de O Despertar da Primavera é a adolescência e tudo o que passa na mente desses jovens que vêem as transformações do corpo e o aparecimento dos desejos, numa época em que os pais não tinham tanta abertura com os filhos. Apesar de escrito no século XIX, o texto é atualíssimo, uma vez que muitos dos assuntos ainda são tabus em muitas famílias.



(Rodrigo Pandolfo e Pierre Baitelli)

O elenco é numeroso e os jovens atores dão conta do recado, com atuações seguras e muita afinação nos números musicais e nas coreografias. Claro que num grupo grande, sempre haverá aqueles que se destacam, por isso, e sem desmerecer qualquer ator do espetáculo, vale registrar o trabalho de Rodrigo Pandolfo, ótimo como Moritz Stiefel, Letícia Colin no papel de Ilse e Laura Lobo, a pequena Martha Bessell, que passa muita verdade no número “um escuro sem fim”, simplesmente emocionante. Além destes, destacamos o maravilhoso trabalho de Carlos Gregório e Débora Olivieri, atores veteranos que interpretam os diversos papéis de adultos da história.
O Despertar da Primavera é um trabalho primoroso, realizado com muito carinho, que comprova o talento da dupla Möeller & Botelho e nos deixa cheios de orgulho por constatar que temos ótimos atores para realização de espetáculos deste porte.

domingo, 1 de novembro de 2009

A Geração Trianon


Mais de vinte anos depois da primeira montagem, "A Geração Trianon" está de volta aos palcos cariocas. O premiado texto de Anamaria Nunes é uma comédia sobre uma companhia teatral, cuja sede era o Teatro Trianon, que ocupava o número 181 da atual Avenida Rio Branco no Centro do Rio, na década de 20. Eram os tempos das grandes companhias de teatro, da primeira e segunda atriz, dos cômicos, das personagens ingênuas e do "ponto", um elemento da companhia que ajudava os atores a lembrarem de suas falas.
Certamente, em algum momento da vida, já ouvimos falar do Teatro Recreio, de Procópio Ferreira, Alda Garrido entre outros. "A Geração Trianon" nos leva a conhecer um pouco dessa época quando existiam as companhias com diversas peças no seu repertório. Talvez, caso uma peça não fizesse tanto sucesso, o diretor já tinha outro espetáculo pronto para apresentar ao público. É o que acontece no espetáculo. O empresário da trupe decide retirar de cartaz o espetáculo que fora um fracasso e encomenda um texto às pressas para ser encenado na próxima semana. A correria é geral e a plateia vai acompanhando os erros e tropeços dos atores e o desespero do diretor/ensaiador na montagem nova. É uma peça dentro da peça.
O elenco do espetáculo é composto por 14 atores dirigidos por Luiz Antonio Pilar e Christina Bethencourt que se perdem um pouco, conduzindo o elenco a um exagero desnecessário no momento errado, uma vez que o referido exagero é justificado na apresentação da peça da companhia.
As interpretações são irregulares, mas entre altos e baixos destaca-se o trabalho de Marcio Vito, cujo personagem Mota garante boas risadas.
Os figurinos de Ney Madeira são muito bonitos e retratam bem a época do espetáculo. Enfim, "A Geração Trianon" diverte o público e presta uma homenagem ao teatro, todavia, merecia uma montagem mais bem cuidada.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Miranda por Miranda

Em 2001, Stella Miranda estava internada em um hospital na capital paulista, quando recebeu um telefonema de Miguel Falabella a convidando para participar de um musical sobre Carmen Miranda. Stella recusou o convite devido aos problemas de saúde que estava enfrentando. Algum tempo depois, encorajada pelos amigos, ligou para Miguel Falabella e decidiu aceitar o convite para estrelar o musical South American Way, um verdadeiro sucesso.
Oito anos mais tarde e para comemorar o 100º aniversário da pequena notável, Stella Miranda d’après Miguel Falabella, produz o espetáculo Miranda por Miranda, revivendo o mito que conquistou gerações.
Para a empreitada Stella Miranda arregimentou uma equipe técnica que é um verdadeiro dream team dos palcos: Tim Rescala é o responsável pela direção musical e pelos arranjos do espetáculo que tem cenário de Hélio Eichbauer, iluminação de Maneco Quinderé e figurinos de Rita Murtinho. A coreografia é de Márcia Rubin e os vídeos que são mostrados ao longo do musical são de Samir Abujamra.
Miranda por Miranda é, antes de mais nada, uma grande homenagem que a atriz Stella Miranda presta à personagem que lhe rendeu tantos aplausos e prêmios. Uma homenagem muito carinhosa e muito bem cuidada que encanta o público do início ao fim.
Stella interpreta diversas canções do repertório de Carmen acompanhada pelo bando composto pelos atores-cantores Édio Nunes, Pedro Lima, Raul Serrador e Zé Rescala; e pelos músicos Tim Rescala (piano), Dodô Ferreira (baixo) e Oscar Bolão (bateria).
A direção musical de Tim Rescala é irrepreensível e os arranjos estão maravilhosos, assim como a coreografia de Márcia Rubin e os belos figurinos de Rita Murtinho.
O elenco está muito à vontade no palco, o grupo canta e dança com grande desenvoltura. Stella Miranda, Édio Nunes, Pedro Lima, Raul Serrador e Zé Rescala têm ótimo desempenho vocal e estão em grande sintonia. Todos os números musicais são ótimos; mas gostei particularmente do dueto de Stella com Zé Rescala em “E o mundo não se acabou”. Deu vontade de pedir bis.
Miranda por Miranda é um desses espetáculos que dá prazer em assistir, sobretudo quando vemos a felicidade das pessoas que estão envolvidas no projeto, sabendo que estão oferecendo um trabalho de qualidade ao público. O musical está em cartaz no Teatro SESC Ginástico e a temporada segue até 13 de dezembro. Um programa imperdível, digno de todos os nossos aplausos.
E como diz Stella Miranda ao final da peça: “Viva Teatro. Rio Feliz!”

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Psicopatas - sit down comedy



Em tempos de stand up comedy (comédia em pé) – muito na moda atualmente; Rodrigo Murat fez uma brincadeira com o gênero e apresenta uma “sit down comedy”, ou seja, “comédia sentada” com título bem sugestivo: "Psicopatas". Aliás, a psicopatia tem sido muito explorada na dramaturgia, seja em obras de TV ou teatro. A personagem Flora e suas maldades ainda estão vivas na memória dos telespectadores.
Mas vamos falar de teatro e de comédia, este gênero que atrai a maioria das pessoas. Afinal, rir é o melhor remédio, seja em que tempo for.
Psicopatas”, escrita e dirigida por Rodrigo Murat, é uma comédia de costumes que brinca com a psicopatia e tudo relacionado ao tema. A peça é composta por pequenos sketches onde os personagens, reunidos num Congresso para Jovens Psicopatas, relatam os dramas e as dificuldades que enfrentam no cotidiano.
Encenada no Espaço Rogério Cardoso da Casa de Cultura Laura Alvim, “Psicopatas” é um espetáculo com altos e baixos. O texto de Rodrigo Murat não é ruim, tem alguns trechos engraçados, muitas referências a assuntos atuais e personagens que estão em evidência nas revistas. Enfim, tem os componentes que levantam qualquer comédia. Porém, muitas vezes o texto não atinge o objetivo, justamente por querer ser engraçado demais. Dessa forma, algumas piadas ficam totalmente perdidas e a peça não “decola”.
Na sua estréia como diretor, Rodrigo Murat tem a difícil tarefa de conduzir um elenco irregular, sem ritmo e espontaneidade para comédia. Do quarteto composto por Lívia Mantovani, Laura Prado, Ícaro Salek e Beto Malvão, apenas Laura Prado tem atuação satisfatória.
Como a peça estreou no último dia 16 e, segundo o diretor, trata-se de um “work in progress”, desejamos que os ajustes sejam feitos e que os “Psicopatas” ataquem.

sábado, 24 de outubro de 2009

Ziriguidum - Cubango 2010

Festa de apresentação dos protótipos das fantasias da Acadêmicos do Cubango para o carnaval 2010.

(aguardando o início da festa)


Estamos em outubro, mas nas quadras das escolas de samba o carnaval 2010 já começou desde julho, quando começam as eliminatórias para escolha dos sambas de enredo. Com os sambas já escolhidos, chega a hora de apresentar os protótipos das fantasias. Apesar de ser Portela desde os tempos de criança, nos últimos quatros anos desfilo na verde e branca de Niterói, a Acadêmicos do Cubango, escola do Grupo de Acesso A.

No último dia 13, a Cubango fez uma bela festa para apresentar os protótipos das fantasias do enredo "Os loucos da praia chamada saudade", do carnavalesco Milton Cunha (comigo na foto abaixo).

A Cubango foi campeã do carnaval do Grupo de Acesso B e em 2010 vem com tudo, rumo ao Grupo Especial: um samba caprichado, um enredo que promete loucuras na avenida e uma bateria afinada, completamente enlouquecida!!!!As fantasias estão muito bonitas e bem acabadas, tem de tudo: médicos e loucos...

(A Presidente da Ala dos Universitários, Neuza Moysés (de pé), e ao meu lado Rosane Machado)

No vídeo vocês poderão conferir as duas fantasias da Ala dos Universitários: "Médicos" e "Loucos". Neuza Moysés: eu vou de médico, pois já vivo como louco o ano inteiro...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Festa de Família

Cada vez mais me dou conta de que o tempo anda voando. Já faz 14 anos que assisti "Festa de Família", filme sensação do manifesto Dogma 95 do cineasta dinamarquês Thomas Vinterberg. O tempo passou e o filme foi adaptado para o teatro, ganhando montagens pelo mundo.
Aqui no Brasil Bruce Gomlevsky tomou para si a responsabilidade de produzir, dirigir e fazer o papel central do espetáculo que ficou em cartaz no CCBB e depois no Sérgio Porto até poucos dias atrás.
Assim como a versão cinematográfica, a adaptação teatral esteve comprometida com os valores do Dogma 95, ou seja, apenas o básico para apresentar a história. A força está na atuação.
O cenário era composto apenas de um conjunto de mesas formando um quadrado, um piano e alguns praticáveis. Um detalhe interessante: parte do público podia sentar-se à mesa junto com os personagens da peça. Eu fiquei, literalmente, dentro da cena.


(Bruce Gomlevsky e Jaime Leibovitch - boas atuações)


"Festa de Família" é, antes de mais nada, um grande drama familiar; uma história seca que machuca o mais insensível dos espectadores, tratando de temas como abusos sexuais, pedofilia, suicídio, racismo e violência entre casais.
Na festa de aniversário do patriarca da família, o filho mais velho denuncia os abusos sexuais que ele e sua irmã gêmea sofreram na infância. Diante disso, o clima fica insustentável até a revelação final de que os atos eram praticados pelo pai, o homenageado da noite.
A direção de Bruce Gomlevsky foi muito cuidadosa, mantendo o clima tenso, o jogo de aparências e o incômodo entre os personagens no tom certo. O elenco é numeroso - 14 atores - e está uniforme, não cabendo destacar esta ou aquela atuação.
A peça vai excursionar pelo Brasil a partir de novembro e se passar pela sua cidade, não deixe de assistir, vale a pena.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

"Causos" e Fotos - Brasil Rural Contemporâneo - VI

Faz tempo que não curtia um evento como o Brasil Rural Contemporâneo. Uma feira onde foi possível ter uma dimensão da grandeza do nosso país e da riqueza da nossa terra. Provei diversos sabores e me aproximei de pessoas que jamais pensei conhecer. Falar com os expositores, ouvir os seus "causos" me fizeram um grande bem e renderam muitos posts aqui no blog. Agora é com vocês, leiam e divirtam-se!

Passei quase o dia inteiro na Feira. A bolsa de algodão cru com estampa das "Quebradeiras de coco babaçu" foi brinde do INCRA.

A escolha da Marina da Glória foi um grande acerto para realização do evento. Agora vamos torcer para que o evento retorne no próximo ano. Nós, os cariocas adoramos e já estamos saudosos!

Encontrei com Rosane e sua mãe, D. Dalvinha, devidamente protegidas do sol, elas adoraram a Feira e, assim como eu, torcem para que o evento retorne ao Rio em 2010.

Brasil Rural Contemporâneo - V

Doce do Jorge
Assim que vi a placa desse estande dei uma grande gargalhada e logo me apresentei como "o dono", afinal eu me chamo Jorge.

("Doce do Jorge" - goiabada cascão deliciosa)


As expositoras Lourdes e Wevania Corcini foram muito receptivas e simpáticas, ofereceram uma deliciosa prova da goiabada que produzem e ainda falaram sobre o trabalho e como tudo começou.

Agroindústria Rural "Doce do Jorge" é um grupo formado no ano de 2006 por mulheres rurais da comunidade do Jorge, associadas da ACORJE - Associação Comunitária Rural do Jorge, que por iniciativa própria, apoio da EMATER e Prefeitura Municipal (Rio Doce) idealizaram o projeto de uma Agroindústria Rural de produção de goiabada e bananada, com o objetivo de gerar ocupação, renda e melhorar a qualidade de vida das famílias e da comunidade. (*)

(*) - texto: folheto Costruindo a Cidadania - Prefeitura Municipal de Rio Doce



As Encantadeiras - Quebradeiras de coco babaçu

De tudo que vi e ouvi no Brasil Rural Contemporâneo o que mais emocionou foi o trabalho das Encantadeiras - Quebradeiras de coco babaçu. Um grupo de mulheres que trabalham em associações e cooperativas quebrando o coco babaçu, separando as cascas e a semente. Enquanto trabalham entoam cantigas de rodas e outras canções que enaltecem a natureza e o trabalho da mulher.

O babaçu é um fruto riquíssimo e da sua semente são produzidos farinhas, sabonetes, óleos etc. Além disso, da casca do babaçu é produzido carvão. Enfim, o babaçu é tudo e as Encantadeiras são nota 1000!


Encantadeiras se apresentam no Tablado Raiz

Brasil Rural Contemporâneo - IV

Nos dois dias que visitei a feira conheci muitos expositores. O que mais gostei foi ouvir as histórias das pessoas que vivem em assentamentos e conseguem sobreviver através do projeto de agricultura familiar.


Tatiana e Socorro - Assentamento Boa Fé - Mossoró/RN, satisfeitas com a Feira e com as vendas. Como dá para ver as prateleiras estão vazias e só restaram poucas garrafas de mel.

Quem também ficou bem contente foi a Lenilda do Assentamento Soledade de Apodi - RN. O doce de caju fez o maior sucesso.

Uauá - BA


Luzineide e os doces produzidos no Município de Uauá - BA

A Castanha de Baru

Ela reinou absoluta. Todo mundo queria provar da Castanha de Baru, popularmente conhecida como "viagra brasileiro". É uma delícia e lembra muito o sabor do amendoim. O Baru é da região centro-oeste.