quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

domingo, 31 de maio de 2009

nem vem de garfo que hoje é dia de sopa

Nem vem que não tem!
Os versos e os acordes desta música cantada por Wilson Simonal não saem da minha cabeça. Grudou feito chiclete. Assisti na última quinta-feira ao documentário "Simonal - Ninguém sabe o duro que dei", que resgata a história do cantor, que foi simplesmente apagada da memória de muitos brasileiros.
O documentário de Cláudio Manoel mostra a trajetória de um rapaz simples, que foi do anonimato à glória, conquistando legiões de fãs pelo Brasil e pelo mundo. Simonal era puro suingue e balanço. Um cantor como poucos na MPB, um autêntico showman cheio de talento. Entretanto o escândalo que abalou a sua vida para sempre conseguiu ser maior que a sua história e a sua voz. Ingenuidade ou malandragem? O fato é, que após este episódio e a prisão por ter mandado espancar seu ex-contador, Simonal não foi mais o mesmo. Caiu em desgraça. Foi renegado pelos seus pares e boicotado por todos. Ficou marcado como "dedo-duro", alcaguete do DOPS. O cantor lutou até seus últimos dias buscando a redenção, querendo provar que nunca trabalhou como informante da polícia nos anos de ditadura.
Vale muito assistir ao documentário para resgatar a história desse artista ímpar e poder ver como sua alegria contagiava as massas. Apesar de nosso acervo de imagens não ser dos mais ricos, os realizadores conseguiram registros de vários programas dos anos 60 e 70, inclusive o show do Maracãnanzinho quando Simonal regeu 30000 mil pessoas, dominando a platéia.
Mais forte que o escândalo, Simonal não deve ser esquecido. Nem vem que não tem!
Confira o trailer:

sábado, 30 de maio de 2009

Vale a pena conhecer Amsterdam?

A resposta para a pergunta deste post é: sim!
Amsterdam é uma cidade que merece ser visitada. O charme da capital holandesa está no seu estilo, no seu povo educado e simpático, nas suas ruas arborizadas e nos canais tranquilos. Amsterdam conquista desde o primeiro minuto. Impossível não se sentir à vontade e bem recebido. Vale a pena conhecer e merece bis!!!


Rio Amstel

Beginhof - o lugar mais tranquilo da cidade, um pequeno recanto de paz.

Celebridade instantânea

Fui entrevistado por esses meninos que faziam um trabalho escolar. Estava na Dam Square, uma das principais praças de Amsterdam, quando fui abordado pelo grupo para responder "few questions about Amsterdam". Uma das perguntas foi: "pretende retornar à cidade?". Adivinhem a resposta....


Da próxima vez vou comprar mais tulipas...


e quando ficar cansado, andarei mais de "táxi".

Foram dias maravilhosos, mas chega a hora de partir e conhecer outras terras. Malas prontas, passagem comprada... ir para a Centraal Station...


Bélgica lá vou eu...

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Um Sábado em Amsterdam

Sábado em qualquer lugar do mundo é sempre uma festa. As pessoas gostam de sair para bater perna, fazer compras, visitar museus etc.
Eu preferi não fazer nenhum passeio em especial, poderia até ter ido à Haia, mas deixei de lado e preferi curtir o dia em Amsterdam e ver os costumes locais.Optei por andar pelas redondezas do Hotel e explorar a região. O dia estava lindo, céu azul sem nuvens, sol brilhando e um frio razoável. Primavera.

O bom de sair assim, sem rumo, é que você sempre tem surpresas pelo caminho, como por exemplo o velho moinho da foto aí embaixo.


Fiquei só imaginando a maravilha que deve ser morar nesse condomínio, que parece ser tranquilo, de frente para esse belo canal.


Nada como uma feira livre

Pode até parecer engraçado, mas gosto muito de visitar feiras livres e não ia perder essa, logo em frente ao condomínio. Vi o movimento e fui em direção às barracas com muitas guloseimas, além das frutas, legumes e verduras, mas também roupas, utensílios, etc. Eu até comprei uma bolsa de viagem por 3 Euros! Mas o melhor foi ter comprado queijo Gouda na barraca aí da foto, muito bom!



Peixes defumados para todos os gostos



Saí da feira com algumas compras e continuei meu passeio visitando a Casa de Rembrandt (Rembrandthuis).

Rembrandt comprou esta casa no auge da sua fama como pintor, e morou nela durante 20 anos. A casa é enorme, cheia de salas e quartos e o ateliê do pintor, claro. Foi uma visita interessante, embora não tenha nenhum quadro do pintor para ser admirado. Mas dá para ter uma noção de como o artista vivia. Além disso é possível visitar o amplo ateliê e ver algumas gravuras e águas fortes de Rembrandt.

Da casa de Rembrandt para a Nieuwe Kerk (A Igreja Nova)

Embora tenha esse nome, a Nieuwe Kerk é do século XV, um prédio gótico muito bonito, mas é usada apenas para exposições e eventos. Na ocasião da minha visita, parte do acervo do Stedelijk Museum (em obras), estava sendo exposta na Igreja. O acervo é muito bom, com quadros de Francis Bacon, Mondriam, Kandinsky só para citar alguns.
Piquenique no Vondelpark
O Vondelpark é um parque enorme no coração de Amsterdam, cheio de árvores, plantas e muito espaço para prática de esportes, passeios de bicicletas e piqueniques. Como em Amsterdam são poucas as áreas verdes, este parque fica lotado nos finais de semana, mas consegui um lugarzinho para o meu piquenique...rs
Apesar de ter comido bastante, não resisiti quando passei em frente à FEBO, uma lojinha que vende deliciosos croquetes. São muito gostosos e o maior barato é que basta colocar as moedinhas e pronto, sai um croquete, gostoso e quentinho...


domingo, 24 de maio de 2009

Fui abduzido

Alienígenas espertos ficaram sabendo, através da Sissy, tudo sobre a minha viagem à Amsterdam. Os seres multicoloridos resolveram fazer uma visitinha ao Rio de Janeiro no último sábado e marcaram um encontro comigo na Praia do Flamengo. Estranhamente recebi um telefonema de uma fada que mora na Gávea. Queria marcar um encontro na mesma praia, mas disse que antes precisava passar num shopping para renovar seu estoque de pirlimpimpim... coisas de fada.
Os Alienígenas disfarçados de engenheiro e artista plástico enviaram mensagem de última hora avisando que não passariam no Flamengo e a viagem sairia da Barra e ia até Copacabana. Como queriam me encontrar, a todo custo, mandaram um táxi me apanhar em casa.
Um veículo esquisito parou em frente ao meu prédio e me levou para Copacabana, onde minutos depois chegava a poderosa nave, mas eu julgava que fosse maior e que não passasse tão rápido...e zooom fui abduzido pelos estranhos seres que começaram a me interrogar. Queriam saber como foi a experiência em Amsterdam e a "onda da viagem". Eu disse que havia gostado muito da cidade, tinha visto tulipas e que a maior experiência havia sido a da Heineken... eles não acreditaram, mas como estavam com muita pressa resolveram me enviar diretamente ao Flamengo, não queriam gastar dinheiro com táxi. Jogaram um feixe de luz com 17000 lâmpadas na minha direção, e como num relâmpago retornei ao meu lar. Abri a porta, acendi a luz e surpreso vi uma pizza light na mesa de jantar, acabara de sair do forno, quentinha e coberta com umas ervinhas verdes.... ah, eram brócolis.

video

Eles nem repararam, mas consegui filmar a minha viagem... eu não apareço pois estou dentro da nave, e tinha que ser discreto...

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Ora, batatas!

Uma das cenas mais comuns em Amsterdam, principalmente para quem anda perto da Dam Square e da Centraal Statiom, é ver pessoas caminhando com um cone de papel na mão cheio de batatas fritas.
(Manneken Pis - paraíso das batatas fritas)
Após o meu passeio de barco resolvi experimentar as famosas fritas do Manneken Pis Fries. É um lugar onde só são vendidas batatas fritas. Essas batatas são consideradas as melhores da Holanda (pelo menos é o que está escrito nos cartazes). Elas são servidas em cones de papel cobertas com o molho da sua preferência. Por sinal, tem molho para todos os gostos. Como em Roma devemos fazer como os romanos... pedi meu cone de batatas fritas com molho de chili.

(Manneken Pis Fries - As batatas fritas número 1 da Holanda)



As batatas são deliciosas e com o molho de chili ficaram especiais. São fritas na medida certa, crocante por fora e macias por dentro...hummmmmm

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Passeio de barco nos canais de Amsterdam

Ao sair do Van Gogh Museum não acreditei quando vi que o tempo havia mudado totalmente. O dia amanheceu nublado, muito frio e até choveu. Ainda bem que mudou. Já passava das 18h00, o sol brilhava e só me restava uma única coisa: fazer um passeio de barco pelos canais de Amsterdam.
O passeio tem uma hora de duração e sai da Centraal Station. Como eu havia comprado o Amsterdam Card, o passeio estava incluso. Normalmente custa 12,50 Euros. Por essas e outras vale a pena comprar esses passes.
Depois de ter ficado muito tempo em pé visitando os museus, finalizar o dia fazendo o passeio não poderia ter sido melhor. Assim pude descansar um pouco e curtir o belo visual da cidade.



Este é um tipo de residência muito comum em Amsterdam. Casa-barco. Isso mesmo. São mais de 2000 casas nos canais da cidade. É o maior charme. Alguém lembra de "Páginas da Vida"? A personagem de Fernanda Vasconcelos morava numa casa assim.


O mercado flutuante

O passeio de barco pelos canais é um programa imperdível! Vale a pena!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Van Gogh Museum

(Os girassóis, 1889)

Sempre admirei o trabalho de Van Gogh, o colorido intenso das suas telas e o traço forte me conquistaram.
Já tive a oportunidade de ver alguns quadros que estão espalhados em diversos museus. Porém, nada se compara ao Van Gogh Museum, que permite ao visitante apreciar o maior acervo do mundo com as obras do artista. É uma grande satisfação, um momento único para quem gosta de arte. O museu ocupa dois prédios e é muito bem organizado. No primeiro andar encontramos uma vasta seleção de quadros de Van Gogh expostos cronologicamente, o que permite ter uma idéia da evolução da obra do artista. No segundo andar acontecem apresentações educativas dedicadas aos trabalhos de restauração e das obras em papel (desenhos). No terceiro andar uma seleção da coleção de arte do século XIX, fazendo um paralelo dessas obras com as de Van Gogh. Além disso, no térreo é possível ver obras de pintores contemporâneos e amigos de Van Gogh, como Gauguin, Millet, Anton Mauve, Charles Daubigny entre outros.

(entrada principal do museu)
Vincent Van Gogh
(1853-1890)

(Autorretrato com chapéu branco, 1887)
Vincent van Gogh é um dos artistas holandeses mais conhecidos de todos os tempos. Sua carreira de pintor durou apenas 10 anos, de 1880 até sua morte em 1890. Nesse período produziu o suficiente para uma vida inteira: 800 quadros e mais de 1000 desenhos, bem como uma considerável quantidade de aquarelas e litografias.
Autodidata, Vang Gogh aprendeu nos livros, nos cursos nas Academias de Belas Artes de Bruxelas e da Antuérpia, visitando museus e escutando os conselhos dos seus amigos artistas. ao longo dos anos desenvolveu um estilo único e pessoal, reconhecível no seu traçado e na utilização de cores claras e vivas que inspiraram vários artistas. Após sua morte, muitos ficaram fascinados pela sua obra, mas especialmente pela tragédia de uma vida marcada por paixões infelizes, falta de reconhecimento, a doença e o suicídio.

(O quarto de dormir, 1888)

Van Gogh e as cores da noite

Além da coleção permanente há sempre uma temporária, por isso de 13 de fevereiro até 07 de junho de 2009, o museu apresenta Van Gogh en de kleuren van de nacht (Van Gogh e as cores da noite). Nesta exposição estão reunidos os quadros que o artista pintou tendo como inspiração o entardecer e a noite.


A noite estrelada de St Remy é um dos destaques da exposição. Este quadro não pertence ao acervo do Van Gogh Museum. Se não estou enganado, o quadro é do acervo do MoMA, mas isso deixo para Claude e Ella confirmarem depois. Por não estar em Amsterdam é o que chama mais atenção na exposição. Todos ficam encantados. Dizem que o quadro inspirou Don McLeam a compor "Starry, starry night". Além disso, psicólogos fizeram várias interpretações deste quadro, sendo uma das mais famosas a seguinte: o cipreste representa o elemento masculino, as nuvens o elemento feminino e as estrelas seriam o sêmen. Eu não me atrevi a fazer a minha interpretação depois dessa...

(A noite estrelada de St Remy, 1889)



Foi uma visita maravilhosa que ocupou toda a parte da tarde. Talvez tenha ficado mais de 4 horas com Van Gogh, mas valeu cada instante. Eu posso dizer que ir à Amsterdam e não visitar o Van Gogh Museum é como ir à Paris e não visitar o Louvre, ir à Roma e não ver o Papa! Só ver essas obras de Van Gogh todas reunidas já vale a visita à Amsterdam, o resto é lucro...
Para fechar com chave de ouro, apresentação de um vídeo com muitos quadros de Van Gogh e a música "Starry, starry night" de Don McLean.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Museus em Amsterdam

Amsterdam tem muitos museus para serem visitados, mas para conhecê-los bem é preciso ter muito tempo. Por isso fiz a opção de visitar apenas três. Até porque é necessário um bom tempo para apreciar as obras e registrar na mente, pois fotografar dentro de museus é praticamente impossível. Alguns até permitem, desde que a fotografia seja sem flash. Porém, nos museus que visitei, a fotografia era terminantemente proibida. Enfim, guardo na memória os belos quadros que vi e as emoções que eles me causaram.

A sexta-feira, como havia sido anunciado, amanheceu fria e com o céu encoberto por nuvens. O dia estava propício para visitar museus. Não que seja um programa ruim, muito pelo contrário, mas caminhar sob chuva e sentindo frio não dá.
As entradas dos museus são muito caras e o ideal é comprar o passe "I amsterdam card" que permite entrar de graça em todos os museus, utilizar os meios de transporte e até fazer um passeio de barco com uma hora de duração. Além disso, garante vários descontos em outras atrações e restaurantes. Existem passes de 24, 48 e 72 horas. Passe comprado, lá fui eu.


Rijksmuseum

(fachada e jardins do museu)

O Rijksmuseum é famoso no mundo inteiro pela qualidade da sua coleção. Atualmente passando por obras de renovação, o museu reservou apenas 2 alas para as visitas. Isso faz parte de um grande plano de restauração que deve durar até 2013. Durante esse período o museu apresenta a exposição "The masterpieces", com quadros de pintores da chamada "Época de Ouro Holandesa". No primeiro andar o destaque é o belíssimo "Ronda da Noite" de Rembrandt. No segundo andar o destaque são os quadros de Jan Steen, Frans Hals e Vermeer. Por sinal, Johanes Vermeer é a estrela da vez. Tive muita sorte de poder ver três obras-primas desse pintor: "A leiteira", "Mulher lendo uma carta" e "Mulher segurnado uma balança", este último pertencente ao acervo da Galeria Nacioal de Arte de Washington - EUA. Fiquei de queixo caído vendo os quadros de Vermeer, o seu trabalho com a luz, a serenidade dos rostos, o movimento e as cores. Uma verdadeira obra-prima!

Rembrandt

(Ronda da noite - Rembrandt, 1640)

Obras-primas de Vermeer

(A leiteira - 1658-1660)

(Mulher lendo uma carta - 1663-1664)

(Mulher segurando uma balança - 1664)



(Na fila para entrar no Rijksmuseum - frio e depois chuva fina, mas valeu a pena)
Amanhã falo sobre a visita ao Van Gogh Museum e a Casa de Rembrandt. Não percam!

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Rio Restaurant Week


Começou no dia 11 e vai até 24 de maio a Rio Restaurant Week, ou seja, Semana Carioca de Restaurantes ou Semana do Restaurante no Rio. Não importa. O que vale a pena é que são mais de 50 restaurantes participando desse festival gastronômico. Os preços são bem camaradas: almoço R$ 25 + 1 e jantar R$ 39 + 1. Parece que esse + R$ 1 vai para alguma Instituição Social.
Para variar essa história começou em Nova York e logo foi copiada para outros países. Em Nova York a primeira edição estava ligada à Semana de Moda (New York Fashion Week), mas logo depois ganhou vida própria, devido ao enorme sucesso. Aqui no Brasil a primeira edição aconteceu em São Paulo e este é o primeiro ano aqui no Rio. O evento também acontece em Recife e Brasília. Para deixar vocês com água na boca, vejam o cardápio do almoço no Le Blason que fica na Casa Julieta de Serpa no Flamengo:

Entrada
Creme de mandioquinha com cream cheese e pérolas negras ou Saladas caprese com queijo gruyère

Prato principal

Duo de dourado e salmão ratatuia ravióli de abóbora e pêra ao molho de manjericão e queijo ou Medalhões de filet a francesa ao molho de ervas finas

Sobremesa
Crepe Suzete com sorvete de creme


Eu não vou perder...

Paulo Gracindo - O Bem-Amado


Ontem fui ao Espaço de Cinema em Botafogo para conferir o documentário Paulo Gracindo - o Bem-Amado, dirigido e produzido por Gracindo Jr, filho do homenageado.

Antes de mais nada este documentário é uma grande prova de amor de um filho por seu pai, feita com muita dedicação e carinho.

Os quase 90 minutos de duração são poucos para mostrar a vida e obra do ator Paulo Gracindo, mas suficiente para matar saudades do intérprete de Odorico Paraguaçu e tantos outros personagens que premanecem vivos na memória do telespectador.

Paulo Gracindo veio de Maceió para tentar a vida no Rio de Janeiro e tornar-se ator, mas começou sua carreira de sucesso no rádio. Foi apresentador e rádio-ator. Depois fez sucesso no cinema, no teatro e na televisão, conquistando fãs em todo o Brasil.

Além de prestar merecida homenagem a Paulo Gracindo, o documentário mostra imagens raras de trechos de filmes, novelas e entrevistas com o ator. Além de gravações de rádio. É um registro da história da comunicação no Brasil.

Narrado por Gracindo Jr, o filme traz diversos depoimentos de companheiros de cena de Paulo Gracindo, como Fernanda Montenegro, Bibi Ferreira, Lima Duarte, Eva Wilma, Rogério Fróes, Milton Gonçalves, entre outros.

Paulo Gracindo - O Bem-Amado é um presente para o público e deve ser assistido por todos, inclusive os que não tiveram a oportunidade de conhecer o ator.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Heineken Experience

Depois de um dia inteiro no Parc Keukenhof, entre tulipas, jacintos e outras flores e a comemoração do aniversário, no dia seguinte fiz um programa que não estava nos meus planos: visita à antiga fábrica da Heineken.
Quem me conhece sabe que não curto fazer esses programas "para turistas". Além disso, cerveja não é a minha bebida preferida. Porém, devo confessar, sem arrogância, que as estrangeiras são bem melhores que as nacionais. Já provei em outros países e são melhores mesmo.
Mas afinal como eu cheguei lá? Acordei querendo fazer muitas coisas, mas estava cansado do dia anterior. Acordei meio tarde e saí caminhando sem rumo. Quando cheguei na Rembrandplein, abri o guia de viagem e, casualmente, bati os olhos no texto sobre a Heineken. Como o tempo estava meio nublado e a minha programação de museus era para outro dia, por conta da previsão do tempo, deixei de lado os preconceitos e resolvi conferir.

A antiga cervejaria foi transformada num grande museu, são 3 andares para visitar com toda a história da Heineken desde a sua fundação em 1863 até os dias de hoje. O prédio passou por uma renovação em 2008 para que o visitante tenha uma verdadeira Heineken Experience! São várias salas com recepcionistas simpáticos explicando os diversos processos de fabricação da cerveja.


(Rótulos de todos os tempos)


Estão expostas muitas medalhas da Légion d'Honneur concedidas pelo governo Francês. Très chic!

(Eu juro que não alterei a fórmula da Hieneken...rs)

Depois de passar pelas diversas salas vem o grande momento da visita: o Brew U, uma fantástica viagem em 4-D, onde é possível "viver" cada instante do processo de fabricação. E aí sentimos os aromas, passamos pelo processo de fermentação, lavagem das garrafas, o engarrafamento, distribuição, etc. No final da visita, meio tontos de tanto sacolejar, encontramos o primeiro bar para degustação da Heineken.


Após degustar a primeira Heineken fiquei empolgado e até comprei uma garrafa com meu nome no rótulo. Você passa diante das máquinas e não resiste. A brincadeira sai por 5 euros, mas ter o seu nome no rótulo de uma Heineken.... não tem preço (mas foi a garrafa de cerveja mais cara que já paguei na vida).


Ao sair dessa sala entramos na Innovation Station o lugar onde gravamos clipes musicais, ou seja, onde pagamos mico. Escolhemos um cenário, nos posicionamos diante da câmera e começa uma musiquinha, tipo um karaokê com a letra...em holandês, claro! Aí o mico é total... confira aqui.
Para compensar o mico, a visita termina no World Bar, onde são servidos 2 copos grandes de Heineken super gelada!



Enquanto apreciamos a Heineken super gelada no World Bar, imagens de diversas cidades do mundo, inclusive do Rio de Janeiro são projetadas nas telas.
Depois desses momentos todos de "Heineken Experience" fui à Loja para apanhar a minha garrafa personalizada. A recepcionista, uma figura super simpática, perguntou se eu havia gostado da experiência. Animado e já um pouco alto, por conta do álcool, comecei a tagarelar. Falei que estava visitando a cidade pela primeira vez, que estava feliz por ter passado o meu aniversário em Amsterdam, etc. Bastou falar a palavra aniversário e a recepcionista me presenteou com um souvenir da Heineken. Uma garrafa miniatura com um abridor dentro. Foi muito gentil, um gesto bacana. Valeu!

E assim foi a minha inusitada visita à Heineken. Tomei cerveja, ganhei presente. Não é um programa imperdível, mas foi muito divertido.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Festa de aniversário no Keukenhof

(Início da manhã do dia 15 de abril - meu aniversário

Se no ano passado alguém me perguntasse onde eu iria comemorar o meu próximo aniversário, certamente teria respondido que iria escolher algum lugar para dançar e beber muito.
Porém, quis o destino que no 15 de abril de 2009 eu estivesse na Holanda. Só o fato de estar em Amsterdam já era mais que uma grande comemoração, porém esse dia 15 ficará eternizado na minha vida, com as melhores imagens que os meus olhos já viram.
Fui passar o dia no Parque Keukenhof, que fica a 1 hora de Amsterdam, na cidade de Lisse. Não poderia ter escolhido melhor lugar.
Comprei um ticket na loja de turismo que incluía a entrada no parque mais ônibus de ida e volta. O ônibus sai a cada meia hora da Leidseplein em direção ao Aeroporto de Schiphol, onde peguei o ônibus 58 até o parque.
Não sei quanto tempo eu levei até chegar lá. Talvez tenha sido mais de 1 hora, o percurso todo. Turista nunca presta atenção no tempo e como havia conhecido duas jovens belgas, Izabelle e Laurence, fui batendo papo pelo caminho...rs
Lisse é uma cidadezinha bem charmosa, com belas casas e acho que o seu maior atrativo seja o Parque, mas não posso afirmar, pois não andei pela cidade.
Onde está atualmente situado o Keukenhof era, no século XV, uma grande floresta com dunas selvagens. Ali caçava-se e, também, eram cultivadas hortaliças e ervas utilizadas na cozinha do castelo de Jacqueline da Baviera, daí o nome Keukenhof (jardim da cozinha, ou algo assim... "Lisa me corrija...rs).
Após a morte de Jacqueline da Baviera, Keukenhof caiu nas mãos das ricas famílias de comerciantes da época. O barão e a baronesa Van Pallandt convidaram os arquitetos paisagistas J.D e L.P. Zocher, responsáveis pela criação do parc Vondel de Amsterdam, para elaborar um projeto para o jardim ao redor do castelo. O projeto de estilo inglês é a base do atual Keukenhof.
O tempo passou e no ano de 1949, por iniciativa do prefeito de Lisse e dos cultivadores de bulbos, foi organizada em Keukenhof uma exposição de flores que foi o maior sucesso. A exposição tornou-se anual e assim Kekenhof tornou-se um dos parques mais bonitos do mundo. Este ano o parque abriu para a mostra das tulipas no dia 19 de março e fecha no dia 21 de maio. Que sorte estar na Holanda neste período!
A minha primeira sensação ao entrar no parque foi a de estar sonhando ou sendo personagem de alguma história tipo conto de fadas e duendes. Toda a beleza e força da natureza reunidas num lugar extremamente mágico. Haja coração!
(Conheci Izabelle e Laurence no Centro de Turismo quando fui comprar o ticket para o parque. Foi um desses encontros legais e nos divertimos e conversamos muito no caminho da Central Station até Leidesplein e até o parque. Elas são belgas, Izabelle mora em Bruxelles e Laurence em Liège. Bisous et à bientôt!)
Seria o paraíso na terra?
Comemorando em alto estilo

(eu até tentei pegar e trazer, mas não deixaram...rs)

(descanso do guerreiro... êta boa vida...rs)



(sem palavras, só tulipas... )
A todo instante agradecia a Deus! Parava e olhava os campos cheios de flores e tantas cores. Olhava para o céu e agradecia ao Criador! Que oportunidade Deus estava me concedendo! Passar o "meu dia" ali, assistindo um espetáculo natural, mágico... Deus é muito camarada comigo...
Valeu muito!!!