quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

meus "arraiás" de junho e julho

As festas caipiras fazem muito sucesso no Brasil inteiro e acontecem sempre no mês de junho, daí o nome de "festa junina". Porém, aqui no Rio de Janeiro as festas duram até o mês de julho, quiçá inícios de Agosto.

No mês de junho estive na feira de São Cristóvão, por sinal, foi a primeira vez depois que passou para o Pavilhão de São Cristóvão. A feira é um festival nordestino com várias lojinhas e restaurantes que vendem de tudo, da tapioca até a rede para você descansar.

(delícias nordestinas - não dá para resistir)

A feira conta com dois grandes palcos onde são realizados os shows de forró. Mas, andando pela feira você encontra alguns bares com música ao vivo e aquele trio de sanfona-triângulo-zabumba e muita gente dançando agarradinho no salão...

(Banda de forró no Arraiá da feira de São Cristóvão)

Fechando o mês de julho, aceitei convite da Rosane para ir na festa julina do Uilson. Um arraiá familiar e muito divertido. Foi uma ótima tarde de domingo, com direito a muita diversão e comidinhas deliciosas.


(Scapin, Uilson, Jorge, Rosane e D. Dalva festejando no Arraiá do Uilson)

(Casal tipicamente caipira, bombando no forró)

E foi assim a minha temporada nos festejos "junilinos"....

quinta-feira, 30 de julho de 2009

rock 'n' roll

No último sábado fui assistir ao espetáculo Rock 'n' Roll do dramaturgo Tom Stoppard. Antes de mais nada é preciso dizer que é uma bela história de amizade e esperança, embalada pelo rock das décadas de 60 até 90.
Tom Stoppard escreveu um texto apaixonante para contar ao público parte da história da Tchecoslováquia, atual República Tcheca.
O ano de 1968 foi marcante em diversas partes do mundo. No Brasil ficou conhecido como o "ano que não acabou", na França ainda ecoam os gritos dos estudantes nas passeatas "du mai 68" e, especialmente, na Tchecoslováquia a "Primavera de Praga". Movimentos diversos e lutas iguais: apenas um mundo melhor.
Toda história gira em torno da família do acadêmico comunista Max, sua mulher Eleanor, professora universitária que luta bravamente contra o câncer, o jovem tcheco Jan, doutor em filosofia e apaixonado por rock e a filha de Eleanor e Max, a confusa Esme.
Cada personagem tem uma história especial. A luta de Eleanor para vencer o câncer e o seu amor pelo marido Max, rendem momentos extremamente delicados e emocionantes. Assim como a vida de Jan, que vê a invasão dos russos na Tchecoslováquia, destruir parte dos seus sonhos, mas consegue ter esperança e através da sua paixão pelo rock, ainda encontra forças para viver e lutar. Por outro lado, Esme, a filha de Max vive perdida entre o talento dos pais e os conflitos vividos na sua adolescência.
As décadas vão passando ao som de muito rock e imagens que marcaram o mundo, de 1968 até 1990, que são projetadas no palco ao longo do espetáculo.

(Otávio Augusto e Gisele Fróes : sintonia total no palco)

A montagem de Rock 'n' Roll é, antes de tudo, um presente para os amantes do teatro. O texto de Tom Stoppard ganhou uma tradução fluente de Felipe Vidal, que também é responsável pela direção do espetáculo juntamente com Tato Consorti. Os diretores não poderiam ter encontrado melhor elenco, com destaque para Gisele Fróes, Thiago Fragoso e Otávio Augusto que estão muito afinados e atuam com grande dedicação, aliás, como todo o grupo. A trilha sonora é outro ponto alto, claro. Syd Barret, Bob Dylan, Rolling Stones, Pink Floyd, The Doors, Beatles, U2 entre outros.

(Thiago Fragoso contracena com Otávio Augusto. Certamente, o melhor papel de Thiago nos palcos)

Rock 'n' Roll faz pensar. Por três horas, o texto inspirado de Tom Stoppard nos conduz à reflexão e nos passa uma bela mensagem sobre a vida e nossos sonhos. Além disso, serve para mostrar as novas gerações parte da história do nosso mundo.

Pena que o espetáculo terminou a temporada no último domingo. Com certeza deve retornar e vai continuar trilhando seu caminho de sucesso que é digno dos nossos maiores aplausos.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

la longue dame brune

Talvez aqui no Brasil poucos conheçam Barbara, dama da chanson française. Eu a conheci faz 14 anos, quando iniciei meus estudos na Alliance Française e foi amor ao primeiro acorde de sua bela voz. Hoje estava lendo um post que publiquei em abril de 2008 e observei que tinha um vídeo com Barbara, bateu uma saudade... fui ao YouTube e encontrei uma raridade: um vídeo de 1967, onde Barbara canta "La dame brune" em duo com Georges Moustaki. Vale a pena conferir!



Pour une longue dame brune, j'ai inventé
Une chanson au clair de la lune, quelques couplets.
Si jamais elle l'entend un jour, elle saura
Que c'est une chanson d'amour pour elle et moi.

Je suis la longue dame brune que tu attends.
Je suis la longue dame brune et je t'entends.
Chante encore au clair de la lune, je viens vers toi.
Ta guitare, orgue de fortune, guide mes pas.

Pierrot m'avait prêté sa plume ce matin-là.
A ma guitare de fortune, j'ai pris le " la "
Je me suis pris pour un poète en écrivant
Les mots qui passaient par ma tête comme le vent.

Pierrot t'avait prêté sa plume cette nuit-là.
A ta guitare de fortune, tu pris le " la "
Et tu t'es pris pour un poète en écrivant
Les mots qui passaient par ta tête comme le vent.

J'ai habillé la dame brune dans mes pensées
D'un manteau de voile de brume et de rosée
J'ai fait son lit contre ma peau pour qu'elle soit bien,
Bien à l'abri et bien au chaud entre mes mains

Habillée d'un voile de brume et de rosée
Je suis la longue dame brune de ta pensée
Chante encore au clair de la lune, j'entends ta voix
A travers les monts et les dunes, je viens vers toi

Pour une longue dame brune, j'ai inventé
Une chanson au clair de la lune, quelques couplets.
Je sais qu'elle l'entendra un jour, qui sait demain,
Pour que cette chanson d'amour finisse bien.

Bonjour, je suis la dame brune, j'ai tant marché.
Bonjour, je suis la dame brune, je t'ai trouvé.
Fais-moi place au creux de ton lit, je serai bien,
Bien au chaud et bien à l'abri contre tes reins.

la la la la la lalala

sábado, 25 de julho de 2009

dois convites = dois bons espetáculos

O que seria da vida se não fossem os amigos? Um tédio! Pois nossos amigos sempre aparecem com bons convites, boas conversas etc e tal. Estou falando tudo isso porque recentemente, duas amigas, cada uma com seu estilo, me proporcionaram momentos muito agradáveis. Todo mundo sabe que amo teatro, e, com certeza, este é um dos melhores convites que posso receber. Ir ao teatro deveria ser obrigação, arte faz bem à alma.
Vamos ao que interessa: não vou fazer publicidade das amigas, pois são pessoas discretas e muito chiques, mulheres cultas, viajadas e refinadas e não gostam de confete nem de lantejoula...
Vamos chamá-las de amiga A e amiga B e ficamos combinados assim.

Convite da Amiga A - estréia do espetáculo "O continente Negro", no Teatro Nelson Rodrigues (Caixa Cultural)

Este espetáculo com texto do chileno Marco Antonio de la Parra, trata da dificuldade do relacionamento entre homens e mulheres, seus encontros e desencontros. São três histórias distintas, com começo, meio e fim ou não. Afinal, toda história pode não ter fim, ficar em aberto e cada um que pense o que quiser. Aliás, eu até prefiro quando o final fica em aberto, assim podemos imaginar o que teria acontecido se fosse assim ou assado.



Os três casais da história são vividos por Débora Falabella, Yara Novaes e Ângelo Antônio que se revezam nos diversos papéis. As histórias vão sendo intercaladas e, o que parecia confuso, se encaixa e prende a atenção do público. A direção é de Aderbal Freire Filho que conduziu o espetáculo de maneira bem despojada. Algumas marcas são um pouco prejudiciais, pois não conseguimos escutar bem o que um ator de costas para o palco diz, mas não chega a comprometer. Os atores, cada um no seu tempo, têm boa atuação. Posso dizer que este espetáculo tem um ar de modernidade e faz refletir, pois certamente, há uma identificação com certas situações vividas pelos personagens. Afinal, quem nunca teve uma historinha de amor mal resolvida???



Depois do espetáculo fomos convidados para o coquetel da estréia e brindamos com Prosecco e suco de goiaba, minha amiga A não consome álcool.

§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§

Convite da Amiga B - Teatro Fashion Mall para ver o espetáculo "Todo mundo tem problemas sexuais"





Desde que o mundo é mundo a humanidade vive às voltas com dúvidas sobre sexo e sexualidade. Há alguns anos, o psicanalista Alberto Goldin responde cartas de muitos leitores em sua coluna semanal, publicada no Jornal O Globo, sobre questões sexuais. Baseado nestes relatos, Alberto Goldin e Domingos Oliveira montaram o espetáculo "Todo mundo tem problemas sexuais", que está em cartaz faz bastante tempo e agora chega ao Teatro do Fashion Mall em São Conrado. Isso mesmo, eu fui até São Conrado ver esta peça.
No palco Pedro Cardoso, Priscila Rozembaum, Paloma Riani, Ricardo Kosovski e Ludmila Rosa dão vida aos diversos personagens com seus traumas, taras, dúvidas, perversões etc e tal. O resultado disso tudo é uma deliciosa comédia, daquelas do tipo que você só para de rir quando chega em casa. Sexo não é complicado, é bom e faz rir. Por isso Domingos de Oliveira conduz tudo com muito bom humor. Os atores ficam muito à vontade nos papéis, e estão todos muito bem, mas é Pedro Cardoso quem brilha do início ao fim. Com certeza é o grande destaque, só de vê-lo já dá vontade de rir. Vá assistir ao espetáculo sem medo e sem pudores... afinal rir é o melhor remédio.
Minha amiga B já havia assistido e gostou tanto que me convidou para rir um pouco também...

domingo, 19 de julho de 2009

Theatro Municipal: 100 anos


(fachada do TM que está em obras, mas está ficando lindo)

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro completou 100 anos de existência no último dia 14, terça-feira. Como prometi, fui conferir a festa e agora mostro para vocês um pouco do que rolou nesta comemoração.

Cheguei por volta das 15 hs, mas as filas para visitar o teatro estavam longuíssimas. Então, preferi andar pela praça que já estava bem cheia e ver os últimos detalhes antes do concerto de gala.



Artistas do teatro vestidos com figurinos de óperas e ballets desfilavam pela praça. Os figurinos que aparecem nas fotos são da Ópera Macbeth.


Os atores representavam reis, rainhas, cortesãs e damas, entre outros. O público ficou fascinado com os figurinos. Os pedidos para fotos eram constantes, mas o "Rei" não perdeu a pose.


Lembram da águia que ficava no alto do Theatro??? Ela está douradíssima. O mesmo artista responsável pelos douramentos dos monumentos de Paris veio ao Rio, especialmente, para fazer este trabalho. A águia foi retirada com um super guindaste, pois é pesadíssima. Em breve retornará ao seu antigo local de pouso.



Um funcionário dá os últimos retoques no bolo cenográfico . Foi montado um super palco em frente ao teatro para um grande espetáculo ao ar livre.

A festa teve início com homenagens aos antigos funcionários da casa. Estes foram agraciados com medalhas entregues pelo vice-governador do estado, Luiz Pezão.
O concerto de gala contou com a participação do Ballet, Coro e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal sob a regência do maestro Roberto Minczuk. A platéia foi brindada com Mignone, Massenet, Verdi, Carlos Gomes, Villa-Lobos, Donizetti... foram trechos de óperas e ballets mais conhecidos destes compositores. Coro e Orquestra estavam afinadíssimos. Os solos do tenor Marcelo Alvarez e da soprano Sumi Jo, levaram o público ao delírio. Por sinal, estes solitas estavam fazendo sua estréia no Brasil. Sumi Jo, possui uma das mais belas vozes da atualidade, excelente soprano coloratura.


Orquestra, Coro e os solistas Sumi Jo e Marcelo Alvarez. A festa ficou completa com o enorme bolo.



Apoteose Total: público e artistas cantam "Cidade Maravilhosa" e "Parabéns a você". Viva o Theatro Municipal do Rio de Janeiro.! Orgulho de todos os cariocas, orgulho do Brasil!!!


Grand Finale : este Pas-de-deux poucos viram, mas foi o melhor da festa!

terça-feira, 14 de julho de 2009

Dia festivo


(Theatro Municipal - início do século XX)

Hoje comemoramos 100 anos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Orgulho de nossa cidade e palco mais importante da América Latina. Frequento a casa há 20 anos e tem sido uma alegria constante. Daqui a pouco vou à Cinelândia para visitar o templo sagrado das artes e amanhã contarei tudo que vi e ouvi. Se vocês puderem, não deixem essa festa passar em branco. Durante todo o dia estão programados diversas apresentações, sem contar a visita às obras de restauração. Viva a cultura e a arte! Viva o Theatro Municipal!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

os 120 dias de sodoma


A companhia de teatro "Os Satyros" está fazendo uma temporada aqui no Rio de Janeiro, no Teatro Sérgio Porto. Trouxeram 3 espetáculos: "A Filosofia na alcova", "Justine" e "Os 120 dias de Sodoma". Ontem (12/07), fui conferir "Os 120 dias de Sodoma". A companhia existe há 20 anos e faz grande sucesso com seus espetáculos. "Os 120 dias de Sodoma" está em cartaz desde maio de 2006. O espetáculo trata das questões filosóficas e políticas colocadas pela obra do Marquês de Sade, em um contexto brasileiro de corrupção e decadência das instituições sociais. Por conta disso, os personagens são Ministros, Juízes, Bispos e toda corja do poder, e são chamados de libertinos. Além destes, temos as pobres vítimas dos libertinos, jovens que são submetidos a todo tipo de tortura sexual. Antes de o espetáculo começar, alguém da produção do grupo alerta à platéia sobre o espetáculo que vai ser apresentado, diz que as cenas são muito fortes e que se alguém quiser pode sair antes de começar ou até mesmo durante o espetáculo. Depois desse aviso, uma agitação é percebida entre os presentes. Risos nervosos e ninguém sai da sala. O espetáculo conta com um narrador que vai apresentando os personagens e vai pontuando os diversos ciclos e as loucuras dos libertinos. A companhia conta com atores experientes e tantos outros novatos, mas muito envolvidos com o trabalho. A cenografia é simples, um tatame com desenho e um pequeno palco com tapete vermelho e um piano, onde é executada ao vivo a trilha sonora do espetáculo. Os figurinos são apenas razoáveis, tentando evocar a época do marquês de Sade, misturados com outros mais modernos, quando utilizados pelas vítimas. Digo isso, pois várias vezes o elenco está nu. Não cabe aqui destacar esta ou aquela interpretação, mas podemos dizer que o trabalho do grupo é uniforme e todos que estão em cena parecem estar cientes do que estão fazendo, embora tenha faltado um pouco mais de maldade e crueldade na interpretação dos libertinos. "Os 120 dias de Sodoma" serviu para conhecer a companhia, mas não acredito que seja o melhor trabalho dos Satyros.
Em tempo: 3 pessoas saíram no meio do espetáculo

sexta-feira, 10 de julho de 2009

pizza


foto: Wikipédia

E tudo vai acabar em pizza... quem já não ouviu essa frase? Ainda mais aqui em nossa querida e idolatrada salve salve, terra mãe gentil... Brasil! Mas não falemos de cpi's, escândalos e outros babados fortes. Hoje é o dia da Pizza! Parece que isso foi ideia de algum paulista, ao menos foi isso que andei lendo - aqui. Desde 10 de julho de 1985, dia do encerramento de um concurso realizado em São Paulo, as redondinhas são festejadas. E viva a Pizza.
Sempre gostei de pizza, desde criança. Aquela fatia quentinha, saindo fumaça a mussarela derretendo. Como bom carioca, jogava um pouco de mostarda e catchup em cima e pronto, que delícia! Paulistas não me joguem pedra, sei que para vocês isso é um sacrilégio... Eu ainda trago na minha lembrança gastronômica, o sabor das pizzas caseiras de sardinha, massa alta e crocante que era saboreada nos lanches da tarde. Junto com o sabor vem as lembranças dos tempos da infância e adolescência... tempos bons, eu era magro, podia comer uma pizza inteira e nada acontecia...
A pizza, muitas vezes, era a motivação para um programa com os amigos: "depois a gente vai comer uma pizza...". Nos tempos de dureza, lembro bem disso, era uma mesa enorme, uma pizza gigante ou tamanho família e apenas uma fatia para cada pessoa.... e que diversão! Os garçons ficavam irritados, e a gente lá, conversando e conversando ...
O tempo passa, tudo muda e, hoje, a pizza tem que ter um selo DOC, tem gente que se diz "entendido" do assunto etc e tal.
E como pizza tem tudo a ver com São Paulo, no início do mês de junho, estive na cidade e conheci uma ótima pizzaria no Bexiga, chamada Speranza. Quem me levou lá foi minha querida amiga Letícia Castro, que conheci através do diHITT.
Foi um programa bem paulistano, regado a bom papo, vinho e uma boa pizza. Segundo a Letícia a Speranza é uma das melhores de São Paulo. Eu provei e aprovei.
Depois de tanto falar, vamos à luta, não deixe de comer a sua pizza hoje!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

c'est la vie

Nada de novo no reino da Dinamarca... eu até pensei em começar a escrever em francês para variar um pouco. Nem sempre estamos inspirados e, confesso, nos últimos dias a inspiração anda em baixa. Acho que tenho alguns motivos para isso... Será? Às vezes, penso que reclamo muito, afinal se olhar ao redor, nem estou tão mal assim... Hoje fui caminhar na praia, pegar um pouco de sol. Ficar trancado na academia com o dia lindo que fez hoje não fazia o menor sentido... A Praia do Flamengo ainda é a mais bonita vista do Rio de Janeiro. Ah, não tem outra. Copacabana, Ipanema, Leblon? Nenhuma dessas dá vista para a maravilha que é o Pão de Áçucar. Por sinal, ver o Pão de Áçucar já é um motivo para não ficar chateado e reclamando. E se fui passear é porque tenho boas pernas que me levam para onde quero. Tenho olhos que enxergam bem e assim posso admirar as belezas desta cidade maravilhosa. As outras coisas que ajudam a manter tudo isso, a gente vai correndo atrás, de um jeito ou de outro, a gente sempre alcança... bem, pelo menos eu espero alcançar e logo. Decidi que vou voltar ao mercado de trabalho formal. Pode ser meio complicado, depois de um tempo, mas não é impossível. Gostei de ter trabalhado em casa, fazendo minhas traduções e prestando serviços para uma empresa. Porém, sinto falta de ter uma equipe, um grupo de trabalho. Sair para almoçar, adorar chegar a sexta-feira... enfim, aquela vidinha comum, que muitos reclamam, mas no fundo não conseguem viver sem.
Estou de volta à selva, ao ringue e vou ganhar esta batalha! Como não vencemos nada sozinho, conto com o apoio dos amigos de sempre.
O importante é não perder a fé! Dia desses, navegando pelos diversos blogs , eu li uma frase que mexeu comigo e, ao mesmo tempo, me encheu de energia:

Don't tell God how big the storm is;

tell the storm how big your God is!

Quem disse que não encontramos coisas boas nos blogs?

E agora um pouco de música. Vocês já ouviram Paula Fernandes? Ela é uma cantora ótima e volta e meia aparece em alguma trilha de novela. A música do vídeo se chama "Jeito de mato" e faz parte da trilha da novela "Paraíso". Almir Sater faz duo com Paula. Vocês vão gostar.


segunda-feira, 6 de julho de 2009

Festival de Cultura Francesa



Como acontece há alguns anos, no período de 11 a 14 de julho, será realizado, no Forte de Copacabana, o 3º Festival de Cultura Francesa – C’est si Bon criado para celebrar a presença da cultura francesa em nossas praias.
Na ocasião, a companhia francesa Transe Express realizará o espetáculo Cabaret Français, criado especialmente para o evento, e que será apresentado no dia 14, data de comemoração da Queda da Bastilha e encerramento do festival.
O evento contará com estandes de comidas típicas preparadas pelos chefs mais premiados do Rio de Janeiro, como Patrick Blancard, Philippe Brye, Rolland Villard, Stéphane Haddad e Frederic Monnier, entre outros.
Taí um evento muito bacana, num dos lugares mais bonitos do Rio e que a gente não deve perder! E Vive la France!!

domingo, 5 de julho de 2009

mais uma vez

Domingo, o dia está frio e a paisagem cinzenta e triste. O cinza não combina com o Rio, definitivamente.
Navegando, encontrei esse vídeo da Marisa Monte, cuja voz, ajuda a espantar a tristeza de um dia gris.


sábado, 4 de julho de 2009

o diário de um louco



Escrito por Nikolai Gógol no século XIX, "O diário de um louco " narra a história de Auxence Ivanovitch, um homem comum que trabalha numa repartição pública e vai enlouquecendo, pouco a pouco, assistindo às contradições de seu tempo. O texto de Gógol é bem atual, olhando para o nosso mundo do século XXI. A narrativa mistura elementos do real e do fantástico, do normal e do patológico e do compreensível e do delírio. O espectador embarca na trajetória de Ivanovitch e vai mergulhando no seu universo cheio de personagens curiosos. No palco do Espaço Sesc de Copacabana, é Claudio Tovar quem dá vida ao personagem de Gógol, além de ser responsável pelo cenário e figurinos muito bonitos e muito adequados para expressar toda a loucura do personagem. O espetáculo foi muito bem dirigido por Alexandre Bordallo e conta com uma boa trilha sonora de Cláudio Lins e iluminação correta de Aurélio di Simone. Cláudio Tovar, certamente, inspirou-se em Bispo do Rosário para compor o cenário e elementos de cena. São garrafas pet, sapatos velhos, óculos, caixas, fios e todo tipo de sucata possível. Com esses objetos, Cláudio cria os diversos personagens que vão passando pela história. Com esses bonecos/personagens, Cláudio contracena com grande desenvoltura e nuances delicadas, passando muita veracidade na loucura do personagem, sem, em qualquer momento, cair no ridículo. Quando Ivanovitch surge poderoso com o seu belo manto de Rei de Espanha, Claúdio Tovar chega ao ápice de sua interpretação, brindando a platéia com o seu incrível talento. "O diário de um louco" é um daqueles espetáculos que dá prazer em assistir e merece ser recomendado aos amigos. Este é o último fim de semana no Sesc de Copacabana. Mas fiquei sabendo que a peça seguirá temporada em outro teatro. Fiquem ligados, pois vale a pena conferir.
Minha dica: conheça o texto de Gógol clicando
aqui.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

fases

"Estou passando por uma fase...", estava no mercado fazendo compras, quando ouvi uma moça falando isso. Claro que não fiquei perto para ouvir o relato, embora tenha ficado curioso. Confesso que gosto de ouvir essas histórias, sempre rende alguma coisa. Aliás, passear num supermercado rende muitos "causos". Saí de perto, continuei olhando as prateleiras, vendo as ofertas e fiquei imaginando como teria desenrolado a tal história da moça. Pela entonação, a situação dela não era das melhores, estava realmente desanimada. Seria alguma desilusão amorosa ou uma dieta que não deu certo? Estaria desempregada? Nesses tempos de crise, podia ser... Ao mesmo tempo, poderia ter usado aquela entonação só para fazer charme e, em seguida, dar uma boa notícia à amiga. Algo do tipo: "estou passando uma fase... nãos ei se compro um carro ou um apartamento...". Não, isso não. Não combinava com aquela moça, definitivamente.
Deixei de lado aquela "fofoca" que os meus pensamentos estavam produzindo e comecei a pensar na minha própria vida. Minhas fases, todas as fases. Já passei por cada uma. Tantos altos e baixos. Períodos cada vez mais baixos, outros médios e alguns altos, até altíssimos. O que seria da nossa vida se não fossem as fases? É bom estar lá em cima, descer, subir, cair, tropeçar e levantar. Ter forças para ir além. Mesmo sendo difícil, buscar forças para sair do buraco e voltar ao topo. Pode não ser fácil, mas a gente tem que tentar.
Deixando as fases de lado, voltei às compras e a reclamar do preço do leite... vida que segue.

Vídeo do dia: Marisa Monte cantando "Ando meio desligado...", acho que é minha fase atual...


quarta-feira, 1 de julho de 2009

primeiro de julho

Não tem como fugir do lugar comum: o tempo tá voando. O primeiro semestre voou. Nos últimos dois meses só escrevi sobre a viagem que fiz no mês de abril. Não pensei que fosse levar tanto tempo para relatar a viagem. Eu poderia ter feito apenas um post com uma foto de cada cidade que visitei, mas não ia ter graça. Sei que vocês curtiram e viajaram junto comigo na viagem. Ainda tenho muito material para postar, principalmente sobre Paris. Serão posts mais curtos apenas falando de algo curioso que vi, alguma coisa que comi, etc. Fiquem ligados.
Estou alterando a sidebar do blog, colocando algumas novidades como o "quem procura acha" para pesquisas no próprio blog e na Web. Os posts estão classificados por assuntos para facilitar a busca de posts mais antigos.
Depois de falar tanto de viagem, assunto que adoro (se pudesse só fazia isso na vida), voltam nossas conversas sobre teatro, cinema, televisão e o que estiver rolando no Rio de Janeiro. Mas vai ter viagem também...rs
Para quem gosta de samba e carnaval já vou adiantando um assunto quentíssimo: o desfile de 2010. Ontem a Liesa fez o sorteio da ordem dos desfiles:
Domingo
01 - União da Ilha do Governador
02 - Imperatriz Leopoldinense
03 - Unidos da Tijuca
04 - Viradouro
05 - Salgueiro
06 - Beija-flor de Nilópolis

Segunda-feira
01 - Mocidade Independente de Padre Miguel
02 - Porto da Pedra
03 - Portela
04 - Grande Rio
05 - Unidos de Vila Isabel
06 - Mangueira

Daqui para frente será assim, Beija-flor e Mangueira que possuem grandes torcidas, serão sempre as últimas a desfilar. é uma estratégia para manter o Sambódromo cheio.

E como hoje é primeiro de julho, vamos ouvir e relembrar Cássia Eller cantando um grande sucesso de Renato Russo: