quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

domingo, 26 de setembro de 2010

KUNSTHISTORISCHES MUSEUM

Conseguiu ler em voz alta o título deste post? Complicado, né? Pois bem, essa sopa de letras tem como tradução: Museu de História da Arte. E foi mais um dos museus que visitei em Viena, num dia ensolarado e frio de outubro de 2007.

O Kunsthistorisches Museum é um dos primeiros museus de belas artes e artes decorativas do mundo. Foi inaugurado em 1891, construído por Gottfried Semper e Karl von Hasenauer em estilo renascentista italiano para abrigar a vasta coleção imperial dos Habsburgos, que ao longo dos séculos foram entusiásticos patronos das artes. Seu acervo é um dos mais ricos em seu gênero, e foi formado a partir dos gabinetes de arte e curiosidades dos Arquiduques Ferdinando e Leopoldo Guilherme, e do Imperador Rodolfo II. A coleção abrange peças desde a antiguidade grega, romana e egípcia até a arte barroca, e está dividida na sede principal em Viena e nos museus subsidiários do Castelo de Ambras e no Museu Lipizzaner, em Innsbruck, e nos palácios de Hofburg e Schönbrunn, também em Viena.

Logo na entrada subimos os degraus contemplando a bela escultura "Teseu vencendo o centauro", esculpida por Antonio Canova.
Além de toda a beleza das diversas coleções, o prédio - como não poderia deixar de ser - encanta pelo seu estilo e imponência.

Nos finais de semana improvisam um restaurante/salão de chá no segundo andar do museu. Quando eu cheguei estava bombando, duas horas depois começaram a desmontar tudo.

Visitei a Coleção Egípcia e a de Antiguidades Gregas e Romanas, mas passei a maior parte do tempo na Galeria de Pinturas.

"Infanta Margarita Teresa Vestida de Azul" de Velázquez

Rembrandt by himself

.
Visitar o Kunsthistorisches Museum em Viena é um grande prazer. Impossível conhecê-lo em um único dia. Aconselho deter-se no tipo de arte que você gosta e aproveitar tranquilamente. Melhor do que passar correndo pelas coleções e não absorver nada. Tenho um amigo que se pudesse moraria dentro das Coleções de Arte Egípcia, tamanha a sua paixão pelo tema. Eu já prefiro as pinturas, mas não sei se moraria em uma galeria de um museu...rs. Há sempre muito o que ver, muito a aprender. É preciso tempo e disposição e, claro, gostar. Não dá para visitar museu sem gostar. Às vezes viajo sozinho por conta disso. Não tem nada pior do que programar uma visita a um Museu e o seu acompanhante não gostar e achar tudo um saco. Assim, é melhor cada um fazer o seu programa. Em geral, mesmo quando acompanhado acho que a visita a museus deve ser feita individualmente. Cada um precisa dessa experiência sozinho e depois da visita o reencontro para um chá ou café e muita conversa sobre o que foi visto. Este é o meu roteiro ideal. E como seria bom se as pessoas que visitam Museus e exposições em geral fossem mais comedidas. Falo isso porque fico incomodado com aqueles que tagarelam o tempo inteiro, ou pior, os que para demonstrarem cultura ou algum saber começam a dar aulas sobre o pintor, a obra, etc. Os comentários dos "entendidos" são entediantes.

13 comentários:

  1. Jorge! Que maravilhaaaaaaaaa! Uauuu como adoro essas coisas! Estive em alguns quando fui em Berlin e Praga. É uma viagem ao tempo! Para quem gosta de historia, como eu, como voce, uauuuuu é demais! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Jorge, que maravilha esse museu! Eu prefiro visitar sozinha os museus de arte. Cada um tem seu momento e tempo certo de contemplação. Visito bastante o MARGS, onde moro perto. É terapia!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Sissy
    Quando visito museus costumo dizer que é uma viagem dentro da viagem.
    um beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Dani
    Então vc é do meu time! Cada pessoa tem seu tempo né? Quando for Viena não deixe de visitá-lo, vc vai gostar muito!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Jorge, isso não faz bem pra saúde, ficar com vontade de ir a um lugar desses e não poder, pelo menos por ora, é muito prejudicial ao psicológico da gente, rsrsrs...
    Mas adorei este museu, mesmo com nome estranho. E vc está MARA nessa foto. Gente, que gatão de meia-idade, hein!

    Beijos pra ti! Lindo post!

    ResponderExcluir
  6. Adoraria ter estado com vc nesta trip.
    Vamos fazer uma juntos?
    Adoraria....
    Beijos
    Cristina BR

    ResponderExcluir
  7. Lu
    comece desdejá a fazer os planos e vá organizando tudo. Vc é uma pessoa que saberia aproveitar muito bem essa visita.
    Beijos e obrigado pelo gatão!

    Cris
    Temos que programar mesmo. Enquanto não vamos pras Oropas da vida, que tal uma fugidinha em alguma cidadezinha aqui perto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Jorge,
    veja só que coincidência: quando fui a Áustria, trouxe várias caixinhas de bombons, redondos, muito comum por lá, com o rosto de Mozart.Vc chegou a experimentá-los ou a vê-los?
    Esta semana, anos depois dessa viagem, ganhei uma caixa, trazida pelo meu irmão que esteve em Insbruck.
    Seus posts, os bombons de Mozart...vontade de voltar a Viena!!

    ResponderExcluir
  9. Adriana
    Não comprei os bombons, mas sim uma garrafinha de licor com o rosto de Mozart. Lamentei não ter trazido mais, bebi de um gole só. ainda guarda a garrafinha...rs
    Eu quero voltar à Austria para visitar outras cidades e, claro, ficar uma semana assistindo óperas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. pode ser uma excelente ideia!
    Vamos combinar um chopp para combinar a viagem? rs
    Beijo
    Cristina BR

    ResponderExcluir
  11. Jorge,
    amigos e museus, muitas vezes não combinam, rrss.
    Quando visitei o Belvedere, o marido de uma amiga minha preferiu ficar esperando sentado num banco do jardim.
    Ele é ótimo , mas programa cultural, com ele, definitivamente não dá.
    Abs.

    ResponderExcluir
  12. Cláudia,
    É o que acontece geralmente. Ainda bem que o marido dsa sua amiga ficou do lado de fora, pior seria ter entrado e ficar apressando.
    Abraços

    ResponderExcluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.