quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

quarta-feira, 31 de março de 2010

sábado, 27 de março de 2010

GP Brasil Class 1 - Praia do Flamengo

Estava tranquilamente lendo o jornal, quando comecei a ouvir um barulho tipo ronco de motor de carro. Levantei e fui até a janela para ver o que acontecia e nem acreditei. Eram barcos que mais pareciam carros, fazendo um treino na Praia do Flamengo para o GP Brasil Class 1. É a primeira fez que este tipo de competição acontece numa cidade sul-americana. E o Rio de Janeiro, claro, foi a escolhida. Hoje estão acontecendo os treinos que decidirão o grid de largada da prova de amanhã. A sensação que se tem ao ver os barcos - que são caríssimos - é a de estar em algum autódromo, com os carros voando. Deixei o jornal de lado e fui conferir tudo ao vivo.

Para amanhã o público estimado é de 1.000.000 de pessoas que poderão assistir a prova das areias, vendo todas as manobras a partir das imagens projetadas nos dois telões instalados nas areias da Praia do Flamengo (foto acima). Para quem está com grana sobrando, a prova poderá ser vista da Marina da Glória, com ingressos que vão de R$ 110 a R$ 350. Eu estarei nas areias, se sobrar espaço... A prova será realizada às 14h30, mas é bom chegar cedo.
Confiram o vídeo que fiz com uma das lanchas voando pela Baía de Guanabara, no belo cenário da Praia do Flamengo. Só não deu para cortar o ambulante vendendo picolé de chocolate...rs

video

Dia Mundial do Teatro

Hoje é o Dia Mundial do Teatro! Viva Teatro! Dramas, Comédias, Suspenses, Mistérios, Farsas e Tragédias tudo é Teatro. Como vocês sabem sou amante do Teatro, dos textos clássicos até a mais simples comédia. O Teatro tem sido minha diversão durante muitos anos e é um dos programas que mais gosto de fazer. Já houve uma época em que assistia até 4 peças por semana, mas isso já faz muito tempo.... Apesar da minha alegria pelo teatro, ainda não podemos festejar muito, pois sabemos que faltam muitos palcos neste Brasil e pessoas que nunca assistiram a nenhum espetáculo na vida. Há quem diga que o Teatro não é produto de primeira necessidade, porém lembrando a letra de Arnaldo Antunes, "a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte". Acredito que assim como precisamos de alimento para sustentar o corpo, necessitamos, também, de alimentar a alma em todos os níveis, e cultura faz parte disso. O Teatro é uma porta aberta para os sonhos, para o conhecimento e reflexão. Faz bem para a alma. Viva Teatro!!!

quarta-feira, 24 de março de 2010

Acorda Zé! A Comadre tá de pé!

O Grupo Teatral Moitará desenvolve desde 1988 uma pesquisa sobre o trabalho do ator, tendo por base os aspectos e as funções da Máscara Teatral. Nesses anos de pesquisa o Grupo vem realizando projetos de oficinas, espetáculos e exposições com o objetivo de contribuir para a reflexão do trabalho do ator e da linguagem da Máscara no teatro.

"Acorda Zé! A Comadre tá de pé!" é um espetáculo inédito do Grupo , que faz um paralelo entre alguns tipos da cultura popular e personagens da Commedia dell'Arte. Dirigida e escrita por Venício Fonseca, a peça é um pequeno quebra-cabeças de histórias e "causos" que vão se entrelaçando, formando um belo conjunto. A encenação é extremamente simples e aí está a riqueza deste espetáculo. O cenário de Carlos Alberto Nunes é funcional para o pequeno espaço do Teatro III do CCBB e os figurinos, também de Nunes, são muito bonitos e coloridos. O elenco composto por André Marcos, Diogo Borges, Erika Rettl, Fabiano Manhães, Mariana Bernardes Baltar e Venício Fonseca é extremamente competente, mostrando total desenvoltura na utilização da máscara teatral, bem como preparação vocal de ótimo nível. Tendo em vista o tom farsesco da peça, qualquer deslize seria fatal, mas o grupo, com atuação impecável e muito bem dirigido, atinge o alvo com perfeição. Não custa nada recomendar este espetáculo, seja pela sua força, seja pela sua beleza. Porém, o mais importante é o resgate da nossa cultura popular.

*******************

Anote:

Onde: Teatro III do Centro Cultural Banco do Brasil

Quando: Qua a Dom, às 19h30 - Até 25 de Abril

Quanto: R$ 10

Atenção Leitores de São Paulo: em Maio o espetáculo chega na terra da garoa!

sábado, 20 de março de 2010

A mulher que comeu o mundo

É lugar comum, no mundo teatral, as queixas da classe artísitica em relação ao patrocínio e à verba para produção de espetáculos. Sabemos que a montagem de uma peça envolve muitos profissionais e que sem apoio financeiro é quase impossível a sua realização. Por outro lado, alguns espetáculos são patrocinados, recebem vários apoios, apresentam-se em teatros do governo e o preço do ingresso fica inviável para o público. Daí fica sempre no ar aquela pergunta: Ora, se conseguem patrocínio para bancar as despesas, por quê o ingresso custa tão caro? Esta pergunta eu, honestamente, não sei responder. E fico como você, caro leitor, esperando uma resposta. E o que isso tem a ver com o post de hoje? Tudo. Ontem fui conferir "A mulher que comeu o mundo", uma criação do Grupo Usina do Trabalho do Ator - UTA, cuja sede fica em Porto Alegre. O preço do espetáculo? Zero, Entrada Franca. Para realização da peça, o UTA recebeu financiamento do FUMPROARTE, da Prefeitura Municipal de Porto Alegre e o Prêmio FUNARTE/PETROBRAS, além de patrocínio da Caixa Econômica Federal. Com todo esse apoio as apresentações, ao menos aqui no Rio - não sei em outras praças - serão gratuitas. É uma maneira de devolver com arte o dinheiro dos nossos impostos. Esta sim é uma política cultural. Não sou contra a cobrança de ingressos, mas que seja cobrado um preço justo, para que a população tenha acesso à cultura. Na minha opinião, esta é a verdadeira política cultural.

O UTA existe desde 1992 e seus trabalhos são criados a partir de uma investigação sobre o trabalho do ator. O Grupo trabalha com temáticas e modos de fazer que são próprios da região Sul do Brasil.

"A mulher que comeu o mundo" é uma divertida fábula sobre uma mulher gorda que após a morte do pai e para espantar a tristeza, come tudo o que vê pela frente, a começar pelo próprio pai (para tê-lo sempre em seu estômago, digo, coração). Aos poucos vai trocando sua fortuna pela comida oferecida pelos vizinhos, que interesseiros se aproveitam da sua ingenuidade. Porém, a gorda tem um apetite insaciável e sai em busca de mais e inicia um ciclo devorador de comidas, pessoas, objetos, animais e até a escola da cidade, com os alunos, cadeiras, livros e cadernos. Sua necessidade de comer é tanta que todos os seus vizinhos são devorados. Por fim, alimenta-se do último sobrevivente, o seu marido, ficando sozinha.
Com um belo trabalho de composição, utilizando máscaras e um figurino caprichado os seis atores da peça dão vida aos diversos personagens da narrativa, com muita música e dança. A gorda utiliza um vocabulário estranho, compreensível (?) apenas para o seu marido. O próprio Grupo é responsável pelo roteiro e pela dramaturgia do espetáculo e a direção coube a Gilberto Icle.
Aparentemente uma história muito simples e divertida, a peça permite diferentes interpretações, de acordo com o olhar de cada espectador. Pode representar a ganância do ser humano em busca de ter sempre mais ou o próprio jogo do poder de querer ter tudo, mas não ter ninguém ao lado. Enfim, várias possibilidades.

Anote:
Onde: Caixa Cultural - Teatro Nelson Rodrigues
Quando: Sex, Sáb e Dom às 19hs. Até 28 de março.
Quanto: Entrada Franca! - Retirada de senha com antecedência de 1 hora (sujeito à lotação do teatro)

quinta-feira, 18 de março de 2010

Penso, logo blogo. "Acabou o Caviar?" completa 2 anos!!!

Hoje, 18 de março, "Acabou o Caviar?" completa 2 anos! Confesso que estou feliz por ter chegado até aqui. Comecei a escrever este blog sem nenhuma expectativa e sem saber exatamente sobre quais assuntos iria falar. Muitos amigos perguntaram: por que criar um blog? Qual o objetivo? Até hoje não encontrei a resposta e nem sei o que dizer. Penso, logo blogo. É prazeroso e já faz parte da minha rotina. Os posts não são mais diários, como no início, mas procuro escrever ao menos dois por semana. Apesar de parecer simples, postar dá muito trabalho e consome muito tempo. Ainda mais quando envolve fotos, vídeos etc. Porém, apesar de tudo, vale a pena ver o resultado. Melhor ainda: os comentários de todos vocês, queridos leitores e amigos que acompanham o blog. É muito gratificante. Já foram mais de 27000 cliques nestes dois anos de existência. O blog recebe visitas de pessoas de diferentes partes do mundo. Muitos chegam aqui vindos de outros blogs, como os "pitaqueiros" do Conexão Paris; outros pesquisando através do Google e alguns pelo destino virtual, que nos leva a diversos lugares. Eu já tive esta experiência de estar navegando e descobrir um blog legal, passar a visitar, comentar e, de repente, tornar real uma amizade virtual. Foi assim que aconteceu com a Letícia Castro, jornalista de São Paulo que tive o prazer de conhecer no ano passado quando estive em São Paulo. Aliás, este encontro com a Letícia parecia um reencontro de velhos amigos. Posso dizer que o mesmo aconteceu com a Cristina Brasil, que já conhecia pela TV e depois pelo Blog. Enfim, boas surpresas desse mundo virtual. Além disso, vale registrar - e faço isso pela primeira vez - os diversos e-mails que recebo de leitores pedindo dicas sobre viagens. Como todos sabem, viajar é o meu verbo preferido. E fico feliz em poder dar esta pequena contribuição, tirando alguma dúvida, sugerindo um roteiro e compartilhando as experiências de viagens. Uma boa dica vale muito e dividir é, sempre, um prazer.
Por isso fico contente em poder compartilhar com todos vocês minha alegria em festejar estes 2 anos! Agradeço imensamente a todos os amigos e leitores que acompanham esta salada de assuntos. Muito obrigado pelas visitas e pelos comentários. Espero contar sempre com vocês! A festa só está começando, Champagne e Caviar para todos!!!!

quarta-feira, 17 de março de 2010

Contra a Covardia, em defesa do Rio

Contra a Covardia que estão querendo fazer com o nosso Estado. Todos na Candelária para protestar e exigir a manutenção dos pagamentos dos royalties do petróleo. Viva o Rio de Janeiro!

terça-feira, 16 de março de 2010

Mistério-Bufo

Considerado como um dos maiores poetas russos de todos os tempos, Vladimir Maiakovski é o autor de Mistério-Bufo, fábula sobre passado, presente e futuro que está em cartaz no Oi Futuro. Apesar de escrita há mais de 90 anos, o texto é atualíssimo e ganhou uma montagem à altura da importância do autor. O processo de criação começou há dois anos num encontro dos diretores Fábio Ferreira e Cláudio Baltar e culminou num espetáculo grandioso que tivemos o prazer de assistir.

Vladimir Maiakovski (o poeta suicidou-se aos 36 anos)

A encenação de Mistério-Bufo é itinerante e ocupa os espaços do Oi Futuro e do prédio do Instituto dos Arquitetos do Brasil, vizinho ao Centro Cultural. Não chega a ser uma novidade, mas ultimamente não temos visto espetáculos assim. O público desde o início se mantém curioso, pois minutos antes de a peça começar há grande movimentação de atores já caracterizados e alguns até interagindo com a platéia. Cabe registrar, que fui "batizado" com talco nas pernas, jogado pelo narrador/condutor da história.

Esta montagem é uma reunião de várias artes: cinema, circo e teatro que arrebata a platéia logo de início com os atores descendo de rapel do telhado do prédio do Oi Futuro, fazendo acrobacias, dançando, voando. Logo em seguida o público, ainda fascinado, a convite do narrador, passa por uma longa passarela até chegar ao IAB num salão enorme com 3 grandes arquibancadas, onde se desenvolve a maior parte das ações.

São 16 atores dando vida aos diversos personagens que falam da grande aventura humana. Do poder do homem sobre o homem, da luta pelo trabalho, dos desejos e das vontades de cada um.

Tudo neste espetáculo é dinâmico. Grandes estruturas de ferro transformam-se numa grande arca de salvação. Cordas que caem do alto e atores que voam, fazendo alusão à liberdade que o homem almeja ter.

O trabalho de direção Fábio Ferreira e Cláudio Baltar é primoroso, conduzindo o espetáculo com boas marcas e dando um presente para a platéia com belas cenas. Muito competente a cenografia de Sérgio Marimba, assim como os belos figurinos de Rosa Magalhães e a iluminação bem cuidada de Aurélio de Simoni.

O elenco é muito coeso e em conjunto está bem entrosado e harmônico. Todos com excelente preparo corporal e vocal. Não há como destacar esta ou aquela atuação, mas não podemos deixar passar desapercebido os trabalhos de Thierry Trémouroux, Carolina Virgüez e Carol Machado.

"a mulher fosforescente"

Mistério-Bufo é antes de mais nada uma grande experiência para o público. Algo diferente de tudo o que já se viu em teatro. O texto de Maiakovski chama para a reflexão, e é um alerta, ainda mais neste momento tão egoísta em que estamos vivendo. A re-descoberta, o ressuscitar deste poeta é muito bem-vindo neste início de século XXI. Dessa forma o teatro cumpre muito bem uma das suas funções que é movimentar as idéias e fazer o público pensar. Um espetáculo imperdível digno dos nossos bravos e de muitos aplausos.

*************

Anote:

Onde: Oi Futuro - Rua Dois de Dezembro, 63 - Flamengo

Quando: Quarta a domingo, às 20h30. Até 28 de Março!

Quanto: R$ 15.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Saudades de Rennes e das Galettes

alguns dias a Lina, do Blog Conexão Paris, publicou um post sobre uma "Crêpe Party", ou seja, uma happy hour com crepes. Este tipo de evento, podemos chamar assim, faz parte do estilo de vida francês. e vamos combinar, o clima favorece. Vendo as fotos, lendo o texto, lembrei da minha viagem a Rennes em 2005.
Rennes fica a duas horas de TGV de Paris e é a cidade mais importante da Bretagne. Mas não vou cansar vocês com dados geográficos ou estatísticos. Quero falar das Galettes e de Rennes, cidade natal do meu amigo Bernard Seignoux, ex-diretor da Alliance Française - Maison. Faz tempo...
Rennes é uma cidade pequena, mas tem os seus encantos, um deles é a culinária e as suas famosas crêpes e galettes. Sem falar na Sidra. Isto mesmo, a Sidra! Ótima para acompanhar crêpes e galettes.
Já havia visitado Rennes em outras ocaisões, mas foi em 2005 que descobri uma pequena Creperia, com decoração simples, mas muito aconchegante, cujo nome, infelizmente, não lembro mais. Até procurei o cartão nas minhas caixas, mas não encontrei. Se um dia encontrar, volto aqui e deixo o registro. Enfim, foi a melhor galette que já havia comido na vida. Feita com o melhor trigo sarraceno, macia, leve. Pedi a "Complète" - ovo, presunto e queijo. É um clássico. Pedi 1/2 pichet de Cidre et voilà! Que festa para o paladar. Dá para ver a minha satisfação na foto abaixo.
Cidra na mão e a maravilhosa Galette Complète
Só de rever a foto sinto o perfume e o sabor dessa maravilha. A Sidra gelada foi a combinação perfeita. Tenho que descobrir o nome do restaurante. Será que o Bernard poderia investigar? Às vezes me pergunto, ainda existe? Espero que sim! Ainda lembro da garçonete e da sua simpatia quando pedi para fazer esta foto. Foi uma noite muito boa. Estava sozinho, mas muito feliz. Como o restaurante não estava muito cheio - acho que era domingo, início da noite (na verdade ainda estava claro, por conta do horário de verão) - iniciei um papo com com a garçonete e conversamos bastante.
Rennes é assim, a gente entra num café ou num bar e, de repente, se iniciar uma conversa não para mais. Eu lembro de ter conhecido muita gente assim. Ficava no balcão, pedia um Kir e logo em seguida chegava alguém, e o papo era questão de segundos.

Esta é a fachada do The Britannia. Ficava horas neste bar bebendo Kir e conversando com o proprietário (um inglês). Sempre aparecia alguém para participar da conversa. O dono era tão gente boa que sempre oferecia mais um drink por conta da casa. Aí eu ia ficando...rs

Pena que perdi as fotos dessa viagem - uma das melhores que fiz. Ainda tenho um DVD, mas não consigo copiar e nem tenho como publicar (e seria complicado explicar aqui). As fotos estão lindas. Por isso, de vez em quando, revejo o DVD com mais de uma hora de imagens. E falei tudo isso por causa das Galettes...mas também é a saudade de Rennes e das minhas tardes/noites nos bares e cafés.

segunda-feira, 8 de março de 2010

O fabuloso destino de Amélie Poulain

Depois da tempestade do sábado, o domingo foi um pouco melhor. Nem um pinguinho de chuva! Mesmo assim, preferi ficar em casa. O sol saiu, mas muito fraco e logo depois as nuvens vieram, para fechar com chave de ouro o final de semana gris. Porém, nem tudo estava perdido. Afinal de contas com tanto DVD nessa casa, iria encontrar algo para me distrair. E eis que surge "O fabuloso destino de Amélie Poulain", não poderia ter feito melhor escolha. Se não me engano assisti este filme há quase 10 anos. É um roteiro fantástico, uma história super original que vai te envolvendo a cada instante. Audrey Tautou cativa o espectador com seu olhar e sua doce voz, e nem preciso falar muito mais, afinal o cenário de Amélie Poulain é Paris, mais particularmente Montmartre, um bairro que é puro charme. O filme fala do destino e dos acasos da vida, de como um pequeno acontecimento pode transformar a vida das pessoas. Amélie Poulain é uma heroína bem particular, tímida, mas determinada e assim vai conseguindo atingir seus objetivos. É uma fábula, mas não está distante da gente, é bem possível. O filme fez grande sucesso na França e conquistou admiradores mundo afora. Após a sessão, fiquei pensando sobre as Amélies que conheci e também nas outras personagens do filme de Jean-Pierre Jeunet, que se parecem com algumas mulheres que conheço. Cada uma com a sua particularidade, umas tão fortes, outras nem tanto; elas podem ser sensíveis, tímidas, distraídas, obstinadas, hipocondríacas, medrosas, mães, guerreiras, estudiosas, inteligentes, autoritárias, criativas, descontraídas, inquietas, amáveis, enfim, apenas mulheres. E hoje que é o Dia Internacional da Mulher, fica a minha homenagem a essas criaturas que me acompanham, que gostam de mim, que são minhas adoráveis companhias e amigas queridas. Um beijo carinhoso, o abraço mais forte e um bouquet de flores do campo do,

Jorge Fortunato

sábado, 6 de março de 2010

O que eu fiz para merecer isto???

Sábado, 06 de março de 2010. Acordei sabendo que o dia ia ser cheio. O estofador desmarcou a visita e o meu sofá terá que aguardar mais um pouco. Que ótimo! Rejeitei diversos convites por conta do sofá... sem ter o que fazer resolvi arrumar a casa, ir à lavandeira, ao supermercado... Tudo bem, alguém tem que dar um jeito na bagunça. Casa ajeitada, vamos ao mercado. No caminho, vejo que tem uma peça nova no Oi Futuro - "Mistério Bufo". Entro e compro os ingressos (Claude iria comigo). Ao menos um programa para esse sábado. Retorno e encontro a rua fechada, pois a turma da Comlurb resolveu podar as amendoeiras. Até que enfim. Qualquer dia um dos galhos iria entrar pela minha janela.

O gari é super hábil na poda da árvore. Fiquei observando atentamente e admirei a coragem do rapaz. Eu não conseguiria ficar dentro dessa caçamba...rs

Galhos e mais galhos no chão

O dia prossegue e chega a hora do almoço. Fiz essas batatas gratinadas que, em alguns restaurantes, chamam de "gratin dauphinois". Ou será que eu estou querendo dar mais valor às minhas batatas???

Quentinhas e saborosas!

Claude ligou para saber do Teatro e eu confirmo a compra dos ingressos. Porém, disse para Claude: "é um espetáculo itinerante, começa no prédio do IAB, passa para Oi Futuro, a gente fica em pé o tempo todo". "Ah não", responde Claude. "Estou com a coluna, etc etc" ...ok ok, vou tentar passar o ingresso para a Meg. Caraca! Meg acabou de comprar o ingresso. Vou chamar a Cristina. Topas Cristina? Na hora! Tudo acertado, às 20h00 a gente se vê.

Pontualmente às 18h40 começa uma tempestade na cidade do Rio de Janeiro. Chove sem parar durante mais de uma hora. A chuva parou, que bom. Chego na janela e vejo a cena da foto abaixo:

Como é que eu vou sair do meu prédio????
Ligo para o Oi Futuro desesperado. Será que vai haver espetáculo? E os ingressos, eu estou ilhado, socorro!!! A doce recepcionista responde: "Senhor, nós também estamos ilhados e não podemos sair daqui. Não haverá espetáculo, os ingressos serão trocados a partir de amanhã". Ligo para Cristina que na altura do campenonato já estava pensando em calçar suas longas galochas para enfrentar a chuva... "nem se dê ao trabalho Cris, a peça se tiver, só amanhã... e a Cris j[á tem convite para o domingo, por sinal, chiquérrimo. Mas não conto!!rs...Meg vai ficar em casa procurando coisas na Internet...olha lá o que vc vai ver hein??? E eu???

Depois de uma semana inteira de trabalho e da faxina doméstica em pleno sábado. Só me restou ficar preso em casa por causa da chuva e admirando o espetáculo do desfile de sacos de lixo boiando sobre a água suja... O que eu fiz para merecer isto????

quarta-feira, 3 de março de 2010

A gaiola das loucas - la cage aux folles

Estreia nesta semana o espetáculo "A Gaiola das Loucas", musical dirigido e estrelado por Miguel Falabella, com co-direção de Cininha de Paula, no Teatro Oi Casa Grande no Leblon. Além de Falabella, estão no elenco os talentosos Diogo Villela no papel de Albin e Jorge Maia que interpreta o divertido mordomo "Claudine".

Diogo Villela e Miguel Falabella - dupla em perfeita sintonia
Como sou um pouco apressado resolvi conferir o Ensaio Aberto na semana passada (25/02), na companhia da Cristina e da sua filha Carol. Por sinal, os ensaios abertos têm sido uma ótima oportunidade para ficar em dia com o Teatro e não gastar muito - os ingressos custam em média a terça-parte do valor. Algumas pessoas pensam que os ensaios abertos não mostram o espetáculo completo. Ledo engano. Cenário, figurinos, luz, tudo lá. Claro que alguns ajustes serão feitos até a estreia, mas nada que seja tão comprometedor. Então, se você tinha algum preconceito com o "ensaio aberto", jogue fora e compareça quando souber de algum.
Com relação ao espetáculo, tudo que posso dizer é que será um sucesso. A produção é bem cuidada, os atores/cantores/bailarinos estão ótimos e a dupla Diogo-Miguel está em plena sintonia.
A peça tem duração de quase três horas, mas talvez esse tempo pode sofrer alguma alteração. Particularmente, achei alguns números meio longos. Contudo, "A Gaiola das loucas" diverte e você sai do teatro mais leve e querendo dançar can-can, como fez a Cristina descendo as escadas.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Rio: 445 anos

Todo dia eu agradeço por ter nascido no Rio de Janeiro e ser um legítimo carioca da gema, afinal nasci em Madureira (berço do samba). Hoje o Rio faz 445 anos e é um dia para ser celebrado. O mundo é imenso, cheio de belezas e cidades incríveis, mas o Rio é único, tem o que a gente chama "de sei lá o quê", um borogodó, um "it'. Estar no Rio é viver numa festa constante. A beleza natural que salta aos nossos olhos, o povo carioca, tão festeiro e o sol que alegra ainda mais a cidade. Parabéns Rio de Janeiro, cidade maravilhosa que apesar de todos os problemas é o melhor lugar para se viver no mundo! Esta é a minha opinião de carioca apaixonado. Para festejar: uma pequena seleção de fotos com belezas do Rio que fiz recentemente nestes dias de verão.

Aterro do Flamengo - com o Pão de Açúcar ao fundo

A beleza do Pau-brasil

Calçadão do Leme

A pedra da Gávea vista do Leme

Pôr do sol em Ipanema