quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Férias

Queridos Leitores e Amigos
Estou de Férias e retornarei daqui a 15 dias com muitas novidades!
No primeio dia de 2011 entre no Blog e leia uma mensagem especial!
Abraços e até breve!
Jorge Fortunato

sábado, 18 de dezembro de 2010

Feliz Natal e Ótimo 2011!!!

Aos queridos amigos e leitores:

Que o Natal e os dias do Ano Novo sejam celebrados com grandes brindes! Champagne e muito Caviar para todos nós!!!
Abraços
Jorge Fortunato

O matador de santas

De todas as peças que assisti este ano posso dizer que O Matador de Santas foi uma grande surpresa. Trata-se de uma tragicomédia com todos os ingredientes para fisgar o público desde a primeira cena. A peça conta a história de Jorgina, mulher de meia idade, autoritária que vive com o marido Baltazar e a filha Queridinha em um pequeno apartamento de classe média, no bairro do Grajaú. Jorgina se acha a dona da verdade e suspeita que o vizinho seja um serial killer - conhecido como "o matador de santas".
A minha referência à "grande surpresa" tem a ver com o brilhante texto de Jô Bilac - autor que não conhecia.É que é sempre bem-vinda uma produção totalmente nacional, uma vez que este ano vi muitas peças adaptadas de autores estrangeiros. Sinal de que há uma renovação em nosso teatro. Além disso a escolha de Guilherme Leme para a direção foi certeira. Um ator dirige muito bem outros atores. E isso é notado pelo bom trabalho do elenco, encabeçado por Ângela Vieira no papel dessa mãe tresloucada e autoritária. A atriz está perfeita no papel, e digo isso sem exageros. Uma personagem difícil, sempre um tom acima, é sempre uma armadilha para o ator que pode ir além do que é exigido. Porém o trabalho de Ângela Vieira é correto, na medida. Somam-se ainda as participações de Tonico Pereira - ator que dispensa comentários - no papael de Batalzar, um pai quase submisso; Izabela Bicalho como Queridinha a filha, numa interpretação muito marcante e Rafael Sieg como o noivo de Queridinha.

O Matador de Santas foi um ótimo programa e gostaria muito de recomendar. Pena que demorei muito para escrever sobre este espetáculo e não sei se ainda está em cartaz ou se irá prorrogar a temporada para 2011. Todavia, não podia deixar passar em branco um trabalho bem feito e cheio de qualidades.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Bazar de Natal

Se você ainda não comprou todos os seus presentinhos de Natal, aproveite uma ótima oportunidade para conhecer um Bazar diferente com peças legais e gente antenada.

Num belo casarão da Rua Cosme Velho - que já foi residência do imortal Austregésilo de Athayde - a cantora Clara Sandroni, a atriz Kelzy Ecard e a Pesquisadora Cláudia Dottori montarão um brechó com peças exclusivíssimas.

Estarão à venda, também, produtos da Natura, Bijus e otras cositas.

E sendo uma casa de música, a partir das 21h rola um show com um coral dirigido por Paulinho Pauleira (ex Céu da Terra), com participação da cantora Clara Sandroni. o show custa R$ 10, mas a entrada para o Bazar é gratuita! Um programão para o próximo sábado.


clique para ampliar

domingo, 12 de dezembro de 2010

Jingle Bell - Feliz Natal!!!

Estamos em Dezembro e não tem como fugir do clima natalino que toma conta de tudo e de todos. E como acontece sempre, tirei do armário os enfeites e inaugurei minha "decoração" em novembro. Na porta (foto no alto) um "feliz Natal" de boas vindas com Papai Noel e ...

... este simpático bonequinho de neve

Outro Papai Noel no hall de entrada

Tenho esta mini árvore faz muito tempo e "dá muito trabalho" montá-la. Este ano agreguei uns badulaques que vieram no panetone do ano passado. Na foto ainda aparece uma super mini árvore de Natal que ficava na mesa do escritório, mas este ano preferi deixá-la em casa.

Este presépio, também, "dá muito trabalho". Foi comprado numa lojinha de artesanato na Recoleta, Buenos Aires em 2004. E neste presépio a representação é indígena e com licença poética para o nascimento do Cristo em Paris, já que a cena está aos pés da Tour Eiffel.

La rencontre de clôture

O título do post está em francês porque não poderia ser diferente, afinal trata-se do querido encontro de final de ano da minha antiga turma da Alliance Française. Na verdade, de parte da turma. O importante é que não deixamos de manter contato. E la rencontre já está no nosso calendário oficial de eventos!
Esses encontros de fim de ano começaram na Alliance Française da Maison no Centro. Após o encerramento do Ciclo normal alguns alunos deixaram a Alliance e não seguiram o curso de Nancy, porém mantivemos os encontros e isso já dura 14 anos! É uma oportunidade para matar saudades, colocar o papo em dia e lembrar das histórias das aulas e dos professores.

A partir da esquerda Inês e Leila.

A super sorridente e alto astral Haydée

O quarteto dos bravos resistentes

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Sylvie Vartan

O YouTube tem feito a alegria de muitas pessoas mundo afora. Alguns vídeos são verdadeiras raridades. São trechos de programa de televisão, extratos de filmes. De vez em quando eu gosto de entrar e ficar vasculhando o baú de raridades. E foi assim que conheci Sylvie Vartan, cantora francesa, ícone de sua geração. Em 1964, com apenas 19 anos, Sylvie fazia o maior sucesso com a canção "La plus belle pour aller danser", no ritmo do yê, yê. Seu sucesso era tanto que até os Beatles foram tietar a francesinha durante um show no Olympia de Paris. Dentre os diversos vídeos no YouTube escolhi um que faz uma montagem com fotos de cartazes, momentos dos shows e fotos com os Beatles. Com vocês Sylvie Vartan!



Quer ver mais? Clique aqui

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Fluminense, campeão brasileiro



Sou tricolor de coração... e desde pequeno. Mas não sou desses torcedores enlouquecidos, desesperados. Apenas torço e fico feliz pela vitória, porém se o time perde a vida prossegue. Até hoje o único jogo que assisti no Maracanã foi Brasil x Equador, durante os jogos PanAmericanos. E não me perguntem o porquê. Só não posso deixar passar em branco esse momento do Fluminense. Foram 38 jogos sensacionais, entre vitórias, empates e algumas derrotas, o time foi realmente guerreiro. Lutou até o último minuto. E aí a vitória teve um sabor bem mais especial! Soube da vitória do Flu na porta do Teatro Laura Alvin em Ipanema. Foi um alívio. Estava ansioso, apesar de não estar assistindo. Acho que a peça até atrasou por conta do jogo. Um dos atores do espetáculo "Mente Mentira" é tricolor e quando a peça terminou ele saiu do teatro com uma camiseta do Fluminense.

Fica aí minha homenagem a dois grandes craques do Flu: Fred e Conca. Valeu!