quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Quem tem boca e persistência, chega a Roma!

Quem viajou entre os dias 18 e 20 de dezembro para a Europa encontrou um cenário de caos por conta da neve. Foi o que aconteceu comigo nesta viagem para Roma e Paris. A situação já estava complicada no check-in no Galeão. Cheguei com antecedência de 3 horas e encontrei uma fila muito grande. Um funcionário da Air France informava que a companhia estava precisando de voluntários para não embarcar. como é? isso mesmo. Em troca do não embarque o passageiro receberia 150 Euros de diária mais hotel etc. Óbvio que recusei essa "oferta". Depois de quase 1 hora fiz o check-in e embarquei com destino a Roma fazendo conexão em Paris no Charles de Gaulle. O avião partiu e o voo foi tranquilo, algumas turbulências, mas nada aterrorizador. No dia seguinte, por volta de 07h00 (hora local) o Comandante anuncia que vai começar os procedimentos de descida. Que bom, chegamos dentro do horário, com tempo de sobra para fazer a conexão, pensei. Em menos de 10 minutos após o anúncio o Comandante informa que o Aeroporto Charles de Gaule não autorizou a descida e que iria ser fechado por conta da nevasca. Nosso destino agora era Lyon. O caos estava apenas começando. Passados 30 minutos novo aviso: o aeroporto de Lyon estava com o pátio lotado, teríamos que ir até Marseille. Ainda brinquei: "estou mais perto da Itália". Chegamos em Marseille e permanecemos no solo por não sei exatamente quanto tempo. Uma situação desconfortável. Finalmente, autorizaram nosso retorno e desembarque em Paris. A conexão para Roma já havia ido para o espaço.
Este foi o cenário que encontrei: neve muita neve. Eu só tinha uma única preocupação: minha mala. Saí do avião e corri para ver o quadro com as conexões. Eram 13h45 e no quadro informava que o meu voo sairia às 14h00. corri feito um louco, aliás todos corriam. Pelo caminho filas enormes, guichês lotados e um certo clima de confusão no ar. Passei pela alfândega, ainda tive que ajudar um rapaz e sua avó que estavam sendo interrogados pelo policial francês, querendo saber tudo. Como eles não falavam nem francês, nem inglês servi de intérprete. Saí depois correndo mais ainda e cheguei na área de embarque Portão F29 e o voo? Segundo um funcionário da Air France "dans une vingtaine de minutes", ou seja, o voo sairia em 20 minutos. Relaxei e aguardei. Daqui a pouco um aviso que só sairia às 16 horas e, finalmente, um aviso dizendo que o voo havia sido cancelado. Um grupo de italianos, há 3 dias no Charles de Gaulle, revoltou-se. Os italianos bateram no balcão, gritaram, choraram e nada. Veio a Polícia Federal, foi um barraco. Do outro lado um grupo de argentinos gritava "queremos voar, queremos voar".
As informações eram as mais desencontradas. Uma brasileira estava há 2 dias tentando ir para Roma. Comecei a ficar desesperado. Nunca havia passado por isso. Gente chorando. O jeito foi tentar resolver de alguma forma, cobrar explicações e assim comecei falando aqui e ali. Até que uma funcionária da Air France disse para me dirigir a um guichê F25A. E lá fui eu, uma fila sem fim. Um casal brasileiro acompanhado de 2 filhos também estava lutando para conseguir embarcar. O marido entrou num tumulto, acho que só falando assim não era uma fila. Era um monte de gente em frente a um balcão tentando conseguir resolver seus problemas. Depois de muita discussão ele conseguiu marcar o embarque da família para Roma. Eu saí do lugar onde estava e me joguei naquele tumulto. Muitos pisões no pé e cotoveladas depois, estava com meu cartão de embarque na mão. Nem acreditei. Já passava das 20h. Meu voo, o AZ 325 da Alitalia com horário previsto para 22 horas só saiu às 23h30. Mesmo assim foi um milagre conseguir embarcar no mesmo dia. As malas, fui informado, seriam entregues até 3 dias depois da chegada no Hotel.
Cenário desolador.
O voo até Roma tem duração de 2 horas, mas até o avião decolar, depois aterrisar, fazer as manobras necessárias e a gente desembarcar levou quase 3 horas. E desse jeito cheguei em Roma às 02h00 da manhã. Assim que me viu chegando, um dos filhos do casal brasileiro disse para que eu entrasse na fila para reclamar a bagagem. Ainda tinha alguma esperança, apesar de tudo, de a mala ter chegado. Mas, claro não veio. No balcão da Alitalia apenas uma funcionária. Por volta de 04h30 fui atendido e saí do Aeroporto às 05h00 da manhã. Cansado, mas com um objetivo: acordar às 09h00, tomar café e ir visitar o Coliseu. E foi isto mesmo que eu fiz. A mala só foi entregue no Hotel no dia 26 de dezembro. Comprei algumas roupas e artigos de primeiríssima necessidade. Fiz milagre com 145 Euros autorizados pelo Seguro Viagem. Aliás, bendito seguro. Nunca deixo de fazer, a propósito, a gente faz para não usar, mas dessa vez foi minha salvação. Por isso, faça o seguro sempre que viajar.
Roma me recebeu de braços abertos. A cidade iluminada na madrugada, a História ali ao meu lado. Em segundos já havia esquecido o caos do dia/noite anterior. E já era o ser mais feliz do universo.

6 comentários:

  1. Oi Jorge!
    E depois da tempestade... veio a bonança!
    Passear em Roma rodeada por todos aqueles monumentos, toda aquela história que se mantém viva é gratificante, compensador.Ainda bem que tudo deu certo, já passei por duas situações assim, em Lisboa e Buenos Aires, mau tempo e overbooking respectivamente, mas sem malas extraviadas, no final somos brasileiros, confiantes e tudo termina bem...

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde JORGE,
    Descobri seu blgo através do Conexão Paris.
    Pude sentir sua alegria ao chegar em Roma mesmo após todos os problemas.
    Iniciamos (eu e minha esposa) nossas viagens pelo mundo por Paris em Setembro/10. Em Março agora vamos para Buenos Aires. Li coisas interessantes de sua passagem por lá.
    Abraços.
    Kleber A.Torezan

    ResponderExcluir
  3. jorge,
    que aventura.
    sempre faco uma bagagem de mao com roupas para uns dois dias.
    foi o que ajudou meu marido ao chegar em veneza recentemente.
    entregaram sua mala tres dias depois, mas a tap lhe forneceu um kit com produtos de higiene e ate um pijama de malha. isso causou um aborrecimento menor.
    beijos.
    adriana, de trancoso pelo videogame do joao.

    ResponderExcluir
  4. Valéria
    foi essa a minha sensação. Bonança mesmo. Roma foi emoção a cada visita.
    Beijos

    Kleber
    Seja bem-vindo e volte sempre! viajar é uma das melhores coisas a se fazer na vida. Aproveite Buenos Aires vcs vão gostar muito e volte aqui para contar.
    Abraços

    Adriana
    Estou com muito prestígio, vc não deixa de ver o blog. Que bom esse videogame do Joao, hein? Aventura foi pouco, eu economizei alguns detalhes...rs
    Beijos e aproveite a Bahia

    ResponderExcluir
  5. Jorge, depois que passa a gente pode dizer: que delicia de historia!!!!! (rs). Roma e Paris vale o sacrificio. Ainda bem que voce é uma pessoa muito bem humorada e de bem com a vida. abs.Eymard.

    ResponderExcluir
  6. Eymard
    O humor me salva nessas horas... rs mas foi um sufoco. Se não tivesse embarcado no dia 20, nem sei... mas tudo correu bem.
    Abraços

    ResponderExcluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.