quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Dia "D" - Drummond

Se estivesse vivo, Carlos Drummond de Andrade completaria hoje, dia 31 de outubro, 109 anos. E para celebrar o poeta, eterno em nossa memória, 7 cidades brasileiras vão festejar Drummond com vários eventos. E a partir desse ano fica instituído o dia D de Drummond, sempre na data de aniversário do poeta. E já que o dia é de festa, separei dois poemas para celebrar Drummond!


 Poema de sete faces
Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.
As casas espiam os homens
que correm atrás de mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.
O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.
O homem atrás do bigode
é sério, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos, raros amigos
o homem atrás dos óculos e do bigode.
Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus,
se sabias que eu era fraco.
Mundo mundo vasto mundo
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.
Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo.


Memória
Amar o perdido
deixa confundido
este coração.
Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.
As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão
Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

7 comentários:

  1. Oi Jorge!
    Adorei sua homenagem!
    Lindos poemas, com simples verdades!
    Quando fui ao Rio pela primeira vez não sosseguei enquanto não tirei uma foto com Drummond!rsss
    Ele não parou de olhar minhas super brancas pernas.rsssss
    Abração!

    ResponderExcluir
  2. Valéria,
    Drummond merece nossa reverência, sempre. Acredita que, sendo eu carioquíssimo, nunca fiz uma foto com o poeta na praia? Estou devendo...rs
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Oi!!! O meu preperido do autor é "Verdade":

    A porta da verdade estava aberta,
    mas só deixava passar meia pessoa de cada vez.

    Assim não era possível atingir toda a verdade,
    porque a meia pessoa que entrava
    só trazia o perfil de meia verdade.
    E sua segunda metade
    voltava igualmente com meio perfil.
    E os meios perfis não coincidiam.

    Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
    Chegaram ao lugar luminoso onde a verdade esplendia seus fogos.
    Era dividida em metades
    diferentes uma da outra.

    Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
    Nenhuma das duas era totalmente bela.
    E carecia optar. Cada um optou conforme seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

    Abçs

    ResponderExcluir
  4. Milena
    Não conhecia esse poema de Drummond, muito bonito, aliás como tudo que nosso poeta escreveu.
    Obrigado pela sua participação.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Jorge, conhecia o poema e uso sempre quando alguém resolve arvorar-se em "dono" da verdade!

    ResponderExcluir
  6. Eymard
    Esta é uma boa maneira de "enquadrar" essas pessoas, com poesia!
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Bonita homenagem a um dos nossos maiores escritores. Parabéns, Jorge, pelo post. Abraços.

    ResponderExcluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.