quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Faits Divers - I

Faits Divers é uma expressão do jargão jornalístico usada na imprensa francesa. É uma categoria para assuntos que não tem uma categoria definida, numa tradução livre poderíamos chamar de "Assuntos Gerais". Explicação dada, vamos aos "Faits Divers" da semana:
*****

Não lembro exatamente quando, mas um dia decidi que só ia escrever sobre as peças de teatro que realmente fossem boas. Entendi que o tempo - tão raro e precioso - deveria ser usado apenas para falar do que fosse interessante. Para que dispensar energia para criticar. Mas, após assistir "A Megera Domada" ontem no Teatro João Caetano, não consegui manter a minha promessa. Que espetáculo ruim! A foto gigantesca no alto teatro passa a ideia de uma mega produção. Um clássico de Shakespeare, com tradução e adaptação de Walcyr Carrasco, empresas top patrocinando. Resolvi conferir, pois embora conhecesse a história, ainda não havia assistido montagem da peça. Foram 90 minutos perdidos. Péssimas atuações, quase amadoras. O cenário além de fraco era mal acabado; os figurinos de muito mal gosto. Para dar um ar moderno lançaram mão de projeções de fotos e vídeos e incrementaram o figurino com peças modernas. Mas tudo em "A Megera Domada" é um grande engano. É costume os atores ao final do espetáculo pedirem ao público que recomendem aos amigos caso tenham gostado e, caso contrário, recomendem aos inimigos. Mas, nem mesmo os inimigos devem passar por tamanho castigo. Fica a dica: não percam tempo nem dinheiro com esse espetáculo. E é por tudo isso que este post não pode ser marcado na categoria "Teatro", pois o que assisti ontem foi constrangedor.

***

O assunto  do momento aqui no Rio é a censura à obra da fotógrafa americana Nan Goldin. Foram duas grandes reportagens no Segundo Caderno do jornal O Globo. A artista, cujos trabalhos estão expostos em  diversos museus e galerias do mundo, tornou-se famosa por ter registrado o submundo das drogas e do sexo da cidade de New York nas décadas de 70 e 80. Em sua visita ao Brasil, Nan apresentaria o projeto "The other side", com fotos de homens, mulheres e crianças nuas. E ainda "Balada da dependência sexual" com fotos de sexo explícito e pessoas com drogas.

Foto: Nan Goldin

A exposiçao iria acontecer em janeiro no Oi Futuro - Flamengo, mas foi cancelada. Um dos pedidos feitos à fotógrafa foi que retirasse toda e qualquer imagem com criança. Como resposta Nan Goldin sugeriu que fossem colocados cartazes pretos em substituição, a fim de denunciar a censura. Depois de uma reunião, cancelaram a exposição.

 "Balada da Dependência Sexual" - Foto Nan Goldin

Ao que tudo indica os cariocas poderão conferir o trabalho da artista americana no Museu de Arte Moderna. Todavia, é lamentável que uma instituição como o Oi Futuro, desconheça os trabalhos dos artistas que convida. E o mais triste de tudo é a censura á arte. Inadimissível num país que se diz democrático.

Travestis fotografados mundo afora - Nan Goldin

5 comentários:

  1. Excelentes dicas!

    Mas o que acho "interessante" é que na França se usa "fait divers" para a página policial! Homicídios, roubos, agresséoes e trafico de drogas, tudo isso tb entra na mesma "categoria". Não acha absurdo que não tenham ainda inventado uma categoria para esse tipo de assunto?

    ResponderExcluir
  2. Você cada vez escreve melhor!Eu li sobre a fotógrafa que ela estava bastante decepcionada, mas sei lá, não sei os critérios, de repente, ´pode ser que tenham um grande público infantil... entretanto, com a TV e a internet as crianças podem ver coisas muito mais censuráveis digamos assim.
    Sobre a peça... que fiasco heim? beijos e saudades

    ResponderExcluir
  3. Oi Jorge!
    Lastimo pelo dois descompassos da arte, um no teatro, outro na organização de uma exposição. Triste ver esta maneira distorcida de promover a arte.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Milena
    A primeira vez que li uma coluna de Faits Divers foi num jornal de Strasbourg e trazia reportagens de assuntos corriqueiros, como por exemplo, a interdição de uma piscina por causa de um menino que havia feito suas necessidades na água...rs. Acho que deveria ter uma seção "Policial" para esses assuntos que você citou. Mas como todo tipo de violência está banalizado, caiu mesmo no Faits Divers.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Margareth
    Obrigado! Essa censura é um retrocesso. Bastava, então, estabelecerem uma idade para visitar a exposição. Eu acho que na arte não cabe esse tipo de julgamento. E, vc tem razão, a televisão mostra coisas bem piores.
    Abraços

    ResponderExcluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.