quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Nabucco

No último sábado (23), assisti Nabucco, ópera de Verdi que está em cartaz no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Já conhecia esta ópera - assisti nos anos 90 - mas não queria perder a oportunidade de ver pela primeira vez esta obra apresentada integralmente. Nabucco foi a terceira ópera composta por Verdi e o seu primeiro grande sucesso. E não podia ser diferente, desde os primeiros acordes quem ouve já pode esperar uma música forte e impactante.


Esta montagem de Nabucco foi realizada com muito cuidado e está tudo impecável. Os cenários são muito bonitos e criativos, assim como os figurinos -  embora não remetam à época da história. Mas isso não chega a atrapalhar. O mais importante é a música vibrante  executada pela orquestra e as vozes do elenco, com destaque para Eliane Coelho, soprano  com experiência internacional. E claro, o Coro do Theatro Municipal, que brilha intensamente desde o início, chegando ao ápice na "Va pensiero" que levou a plateia ao delírio, obrigando o Coro a repetir a bela música. Confesso que esta foi a primeira vez que me emocionei de verdade ouvindo o "Va pensiero". Foi tão bem executado e cantado com sentimento, que foi impossível evitar as lágrimas. E acho que a comoção foi geral, pois os aplausos e "bravos" ecoaram ainda por um bom tempo após o bis. Nabucco, com certeza, é um programa imperdível para todos os admiradores da beleza da música.
******
Anote:
Onde: Theatro Municipal
Quando: Quarta e Sexta - 20 hs / Domingo - 17hs
Quanto: De R$ 25 a R$ 84

domingo, 24 de julho de 2011

O que tenho visto

"O que tenho visto" foi o título que escolhi para o post que ia publicar no dia 13 deste mês. Tudo certo, fotos escolhidas, texto e quando tive a surpresa: cadê o meu blog? Sumiu. Há duas semanas comprei um domínio para o Blog e a informação que obtive era que os leitores seriam redirecionados para o novo site. Isso não  aconteceu. O redirecionamento não funcionou, o Google não localizava o site e ninguém conseguia entrar e ver as postagens. Nas estatísticas, as visitas eram zero. Com o problema persistindo, resolvi retornar ao domínio antigo e agora espero que as coisas andem. Tudo esclarecido, vamos ao post.
*****
Como vocês sabem, o Teatro é a minha paixão, assim como o  cinema. Nas últimas semanas vi muita coisa boa. Gosto de escrever sobre as peças e filmes que assisto, mas com tantos espetáculos,  decidi fazer esse resumo e compartilhar com vocês.

39 Degraus. Texto maravilhoso, direção impecável e atuação exuberante do elenco. Estava em cartaz no Teatro do Leblon, depois de uma temporada em São Paulo. Acredito que deve voltar. É imperdível. 

Meia-noite em Paris. Filme sensação de Woody Allen. Certamente vocês já devem ter assistido. Gostei, mas não me arrebatou. É um filme bom, com boas atuações e tem Paris como cenário - e isso já é um motivo e tanto.

O Gato Branco. Mais um excelente texto de Jô Bilac. Pena que João Fonseca - que é sempre um bom diretor - errou a mão nesse espetáculo.  

Adultério. Uma das melhores peças do ano. Encenação da Cia. Atores de Laura. Baseado em Nelson Rodrigues, a peça é um fantástico quebra-cabeças que prende o espectador do início ao fim. Imperdível. Ate 31 de julho no Teatro do Leblon.

BABY, O Musical. Sucesso da Broadway, o musical é encenado pela primeira vez no Brasil. É diversão garantida num espetáculo com boas atuações, ótimas vozes, cenário criativo e bons figurinos. Tudo isso embalado pela competente direção musical de Liliane Secco. Vale a pena conferir. Até 14 de agosto no Teatro João Caetano.

HELL. Atuação brilhante de Bárbara Paz no espetáculo dirigido por Hector Babenco. Baseado na história real de Lolita Pille - parisiense, jovem e rica -, a peça é um retrato de uma geração fútil, consumista e mergulhada em álcool e drogas. Forte e chocante. Não dá para perder. Em cartaz até 31 de julho no Teatro dos Quatro (Shopping da Gávea).

Gala Roland Petit. Poucas semanas antes da morte do coreógrafo Roland Petit, assisti no Theatro Municipal do Rio dois balés com assinatura desse talentoso artista: L'Arlesienne e Carmen. Um belo trabalho feito com graça e bom gosto pelo Corpo de Baile do Theatro

Doidas e Santas. Baseado no livro de Martha Medeiros, a peça tem bom texto de Regiana Antonini. O destaque fica por conta da atuação maravilhosa de Josie Antello, que se reveza em três papéis. Até 18 de dezembro no Teatro Vanucci (Shopping da Gávea).

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Wave UFO - A arte de Mariko Mori no CCBB

Esta é a última semana para conferir a exposição "Mariko Mori Oneness" no CCBB do Rio de Janeiro. Mariko Mori é uma artista plástica e performer japonesa, considerada uma das personalidades mais atuantes no cenário artístico atual. A exposição que está em cartaz desde 10 de maio, chama atenção pelo impacto visual das peças apresentadas.

Wave UFO

Esta é a principal obra da exposição - Wave UFO -  e parece uma nave vinda de outro planeta. Ao menos é esta a impressão que se tem ao chegar no foyer do centro cultural.  Esta obra integra imagem, som e performance. Por meio de tecnologia de navegação avançada, ela interpreta visualmente as ondas cerebrais de quem entra na nave, projetando-as no casco interno da obra, como se fosse um planetário. É óbvio que eu fui conferir.

Até parece que você vai fazer um exame médico, pois é necessário toda uma preparação: limpeza da pele com gel e fixação de eletrodos na cabeça. São três participantes por sessão e a idade mínima é de 6 anos. Confesso que me senti como se tivesse 6 anos....

Devidamente preparado entrei na nave para "viver a experiência". Os fios são conectados à máquina e aí a viagem começa. Fiquei um pouco ansioso no início e quando vi a porta fechando meu coração deu uma acelerada. Mas aos poucos fui controlando tudo e a experiência, enfim,  começou. Aos poucos,  vi minhas ondas cerebrais sendo projetadas no teto e, de vez em quando, havia  alterações nas cores. Depois uma música e uma sensação de subir e descer... algo realmente incrível.  Fica meio difícil transformar em palavras os 15 minutos que passei dentro da Wave UFO.

Sair da nave é outra sensação estranha, pena que não houve como registrar, pois gostaria de ter visto a minha cara...rs
Fui até o segundo andar para ver a obra do alto - uma baleia estilizada, uma porção de chantilly... aí você começa a viajar na forma.

Além da Wave UFO a outra obra interativa é Oneness - um grupo composto por 6 bonequinhos que aparecem no cartaz da primeira foto. Se seis pessoas tocarem no coração dos bonecos, ao mesmo tempo, eles se acendem. A exposição ocupa todo o primeiro andar.
Se vocês desejarem visitar e participar é melhor chegar cedo, pois nesses últimos dias a expectativa é de muita fila. A Wave Ufo tem capacidade para três pessoas e as senhas são distribuídas a cada 20 minutos a partir das 09h00. Já Oneness tem capacidade para 6 participantes por ciclo e as senhas são distribuídas a cada 15 minutos. Até 10 de julho. Depois a exposição segue para São Paulo. Vale lembrar que Mariko Mori já apresentou suas obras no início do ano em Brasília.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Vale a pena visitar Lima?

A capital peruana foi uma grande surpresa e é um belo cartão para quem deseja conhecer o país. Fiquei apenas quatro dias, mas se pudesse prolongaria minha estada e iria à Machu Pichu, Cuzco, Arequipa, entre outras cidades.   E um dia farei isso. Vale a pena rever essa cidade. Motivos, eu tenho de sobra...

 ... o pôr do sol, visto a partir do Shopping Larco Mar...

 ... a beleza e limpeza dos parques...

 ... o restaurante Rosa Náutica, mergulhado no oceano pacífico...

 ... o capricho do Parque do Amor... e

...a incomparável Inca Kola!

Como não poderia faltar, a minha nota: 9,327... esses décimos que faltaram ficam por conta das buzinas dos táxis e do trânsito que é complicado. Mas isso é apenas um detalhe e ninguém vai deixar de ir á Lima por causa disso.