quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Roma - um novo olhar

Essa viagem não foi muito planejada e talvez por isso tenha dado tão certo.  Eu estava ocupado com os concursos e não podia perder muito tempo. E tive que pensar cuidadosamente sobre o mês que iria viajar. Depois de quebrar a cabeça com os calendários dos concursos e as  provas, escolhi abril e essa escolha me levou a passar mais um aniversário viajando. Como o bilhete foi comprado com as milhas que tinha da Air France e  para não ter que usar mais do que as 80000 milhas exigidas fiquei uns dias a mais em Veneza e Paris. Coisas do destino. Eu ia ficar só 4 noites em Veneza, mas como só tinha lugar disponível no dia 25/04 fiquei mais duas noites, totalizando 6 noites e a minha volta do dia 05/05 só foi possível no dia 08/05. E é assim que funciona. Qualquer alteração que se faça  e o bilhete pode custar algumas milhas a mais e eu só tinha 86000, então me adaptei  e ganhei mais 5 noites extras e, logo, 30 dias de viagem.
O curioso é que comentei num blog que iria ficar 6 noites em Veneza e falaram que era um exagero, que iria ficar entediado. Entediado em Veneza? Nunca!
E nem vou contar o pré-viagem e os pepinos de última hora, como por exemplo, meu amigo que nao pode me acompanhar na parte italiana. Ficou desolado, mas não dava mesmo e tive que remarcar tudo, trocar de hotel etc. Isso tudo a 20 dias da viagem.
Nas duas semanas que antecederam a viagem fiquei grudado na internet pesquisando nos blogs  Tô indo para a Itália, escrito pelo Márcio Jardim com excelentes dicas e o relato da viagem que fez ao país em 2011. Descobri, também, o blog da Simone o Flashes de Viagem quando fazia uma pesquisa no Blog do Ricardo Freire. E minha amiga Adriana Pessoa me passou umas dicas de restaurantes na Toscana. Além disso tudo, completei minhas informações com a Revista Viaje Mais - uma edição especial sobre a Itália.
Essa edição foi um achado. Vi numa banca perto de casa e comprei na hora. E vou guardar, pois fala de todas as regiões e dá dicas muito boas. Um guia muito bom.
Vamos a minha chegada à Roma? Quem acompanha o blog já leu aqui sobre o caos que foi chegar à Roma em 2010. Confesso que estava tenso. Já no Tom Jobim na hora do check-in só recebi um cartão de embarque, e deveria ter recebido dois, um até Paris e outro até o destino final, no caso Roma. O atendente disse que o check-in do voo para Fiumicino estava fechado e isso poderia ter diferentes motivos. Pensei logo nos piores.
Embarquei e cheguei a Paris por volta de 08h15. Saí e fui fazer o check-in do próximo voo nas maquininhas da Air France. Saiu um papel informando que eu deveria me dirigir ao balcão. Gelei... no balcão tudo resolvido, voo no horário. Alívio. Só mais um trauma a vencer: a mala. Ficar sem mala de novo, nem pensar. De Paris até Roma leva umas 2 horas. Estava cansado, quase onze horas de voo até Paris, depois a espera e finalmente 10h15 o avião decolou para Roma.  Do avião fui registrando a minha chegada na Itália.
Sobrevoando a Itália. Montanhas cobertas de gelo
Fiquei impressionado com o tamanho desse lago. Como foi bom ver essas imagens. Era tudo que teria visto em 2010 se não fosse aquela demora de mais de 14 horas...águas passadas.
 
Bem próximo ao Aeroporto de Roma
E graças a Deus estava na Itália. Tempo bom, 23 graus. Fui pegar a mala e como demorou, mas chegou. Saí em direção a estação para pegar o Leonardo Express, trem rápido que leva até a estação Termini. De lá ia decidir se pegava um  táxi ou seguia de metrô. E aí começa a aventura. Fui seguindo as indicações para ir à estação, mas quando vi que estava chegando num estacionamento resolvi voltar, e estava errado, o caminho era aquele mesmo, embora não parecesse. Segui o povo que saiu do elevador e aí vi que estava chegando na Estação. Fila para comprar o bilhete enorme, e olhei para o lado e vi uma lojinha com uma placa "train tickets", saí da fila e fui comprar o bilhete. Estava com 10 Euros no bolso, achei que era o suficiente... que nada! 14 Euros! Achei caríssimo para 35 minutos de viagem. Comprei e saí correndo com as malas, pois o trem já ia sair. Atrás de mim, uma moça falando em inglês que eu deveria entrar logo no trem, pois ela tinha que embarcar. Ignorando totalmente que ela falava inglês, respondi em português: "Você não está vendo que estou com 2 malas pesadas? Aguarde ora!" Essa foi uma técnica que aprendi nessa viagem quando alguém vinha me encher a paciência, respondia em português. Isso funciona. Me acomodei no trem e fui conversando com um casal inglês que visitava a Itália pela primeira vez. O dia estava bem bonito. Quando cheguei na estação Termini eu não peguei o táxi. Para quê? De metrô vai tão rápido e depois o Hotel Centrale ficava tão perto né? E essa foi a maior bobagem que já fiz em todas as minhas viagens. A linha "A" do metrô de Roma  faz você caminhar muito e apesar das escadas rolantes  é muito complicado. E para entrar no trem? Levantar as duas malas de uma vez.  Para alguma coisa serve você fazer musculação...
Em poucos minutos estava na Estação Piazza Spagna e logo estaria no Hotel. Só esqueci de um detalhe: as pedrinhas da rua e as calçadas estreitíssimas da Via del Babuino. As pessoas me olhavam e deviam pensar “que cara maluco, deve ser pão duro ou não tem dinheiro pra táxi...”. Eu seguia meu caminho, entre irritado com a besteira que estava fazendo e orgulhoso de ter guardado aquela região na cabeça quase dois anos depois. Terminada minha Via Crucis cheguei ao Hotel Centrale na Via Laurina, 34. 
A Via Laurina é uma rua tranquila com pequenos restaurantes e lojas. Está a poucos metros da Piazza Spagna e da Piazza del Popolo e fica entre a Via del Babuino e a Via del Corso. Foi por isso que eu pensei que ia ser fácil chegar ao Hotel. De fato, não foi difícil, mas sem malas!!!

 A recepção
 Uma sala para leitura e acesso à internet
 O salão para o café da manhã e ....
...  o meu quarto apertadíssimo. A porta do banheiro quase encostando na cama. Eu fiquei sem ângulo para fotografar. Abaixo o que deu pra fotografar do banheiro: o box e o bidê.

O Hotel Centrale é um hotel pequeno, três estrelas, mas que podia ser  até  2 estrelas e o café da manhã era bem fraco...mas o sinal de internet era muito bom, o staff excelente, recepcionistas simpáticos, um deles falava francês e isso para mim foi ótimo. O quarto  tinha cofre e frigobar.  Ajeitei tudo, tomei um banho e dois minutos depois chegava na...
... Piazza del Popolo com o vai-e-vem de locais e turistas. Logo ali atrás a Vila Borghese. E eu saí sem rumo, sem mapa. Nem parecia que estava horas sem dormir.
E numa esquina tive um encontro muito sério com essas pizzas e não resisti. Projeto férias sem dieta já!!

Alimentado, continuei minha caminhada e cheguei nessa praça tranquila. tinha uma igreja e eu entrei. Ah, por favor, não me cobrem o nome do Santo. Eu estava redescobrindo Roma, vendo tudo com outros olhos. Talvez volte a Roma e não consiga encontrar mais essa praça, naquele labirinto de ruas...
 Uma igreja muito bonita
 Verdadeiras obras de arte. Vejam esse mármore!

E logo depois estava no Pantheon de Roma - agora livre dos andaimes. A Praça estava lotada. é um dos lugares que mais gosto em Roma. Fiquei um bom tempo ali vendo os personagens que passavam.
E prossegui indo para a Piazza Navona. Estava feliz e cheio de energia. Parecia que tinha acabado de acordar.  Que loucura, como andei! Era como se aquele dia fosse o último e eu querendo rever tudo numa única tarde. E ninguém para apertar o "off".

A Igreja Sant'Andrea Della Valle ainda estava aberta e fui rever aquela obra de arte. A beleza da cúpula.
 O altar-mor
E meus olhos não acreditavam que estava revendo tanta beleza numa bela tarde de abril.

Da Igreja eu deveria voltar à Piazza Navona ou para a Praça diante do Pantheon e dali voltar para o Hotel. Que nada, eu saí da Igreja e fui revendo as casas marcadas com a pátina do tempo. E isso é o que há de mais belo em Roma e dali fui caminhando, observando...

Me deixei levar e fui andando pela longa avenida que leva até o Coliseu e cheguei lá, antes parei no Foro de Trajano.
Foi um começo e tanto. E ainda muito mais, pois depois entrei numa rua onde vi um mercado e fui comprar água e aí me dei conta que estava mesmo perdido nas ruas de Roma. Naquele labirinto de ruas vi a noite cair e me diverti comigo mesmo. Sozinho, perguntando como ir até à Piazza Navona e lá cheguei e fui jantar no Piccola Cuccagna que conheci em 2010. Vocês não vão acreditar, mas fiquei tímido para fotografar. Cheguei sozinho e isso já chama atenção. O restaurante é pequeno, mesas muito próximas. Ao meu lado uma família francesa jantava e até batemos um papo, mas não dava para fotografar ali.
Voltei para o Hotel caminhando lentamente. A noite estava bonita e me dei conta depois do quanto havia caminhado. Tomei um banho demorado e fui dormir, parecia que estava sonhando acordado.

18 comentários:

  1. Uau...que belo começo!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Adriana
    Um belo e cansativo começo..rs
    Bjks

    ResponderExcluir
  3. Oi Jorge!
    Noooossa menino, você andou barbaridade. Também costumamos fazer isso, sou bem disposta. Com o seu relato ia tentando rever com você estas maravilhas. Roma nunca desaponta você, é linda!
    Vou adorar fazer esta viagem com você.
    Abração!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com Adriana, Jorge.
    Pode ter sido cansativo, mas um belo começo para o que, tenho certeza, foi uma bela aventura.
    Quando o universo conspira a favor tout s' arrange sempre, por um bem maior!

    ResponderExcluir
  5. Jorge,
    pelas características e supondo uma possível rota Paris/Roma, esse é o Lago Trasimeno, na divisa da Toscana com a Úmbria.
    Já o vi ao longe desde Montepulciano e mais pertinho, desde Cortona.
    Inclusive ele é o responsável por um pequeno incidente em uma viagem. Meu irmão ao avistá-lo do alto, em Cortona, virou repentinamente o braço ao apontar o lago, e acertou em cheio o meu queixo, deslocando por instantes o meu maxilar....espatifada no chão,pálida total, fui socorrida pelo meu personalmédicomarido...e passei dias a base de antinflamatórios até tudo se acalmar!! hehehe....
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Que bom ter desfrutado do passeio, aproveitando bem suas milhas.

    Lindas as montanhas geladas na Italia! E a cupula da Igreja... que fantastica! Arte é isso!


    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Uau!!!!
    Fiquei muito cansada só de ler!
    Que folego!!!
    Me conta o que você tomou no avião para ter toda esta energia de cara!
    Adorei o relato!
    viajei com você!!!
    Estou aguardando os próximos capítulos!!

    ResponderExcluir
  8. Jorge querido
    Amei o texto e a aventura...
    Voltar a Roma é sempre uma experiência única!
    As fotos estão lindas.
    Depois do Arrivederci Roma quero ver os resto da viagem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Valéria
    Acho que jogaram Red Bull na água... e aí eu criei asas...rs
    Beijos

    Lucia
    Nessa viagem o Universo conspirou o tempo todo. Cada coisa...
    Beijos

    Adriana
    Que história! A Toscana faz issoc om a gente, mexe com tudo. Eu fiquei impressionado, era bonito demais.
    Beijos

    Sissy
    Isso foi só o começo, tem muito , muito mais.
    Beijos

    Tania
    Eu sempre planejo ficar tranquilo, mas aí saio andando feito um louco...rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Beth
    A parte da Itália vai ser grande...Beijos

    ResponderExcluir
  11. Jorge
    Acho que se eu viajar sozinha vou fazer igual a você, andar, andar, me perder, me achar, até cansar...
    Vou continuar lendo...Bjs

    ResponderExcluir
  12. Jorge, comentei logo no inicio,mas acho que nao enviei corretamente.
    De fato a vontade que dá, em Roma, é mesmo sair andando..andando..andando e voce ficou hospedado em uma regiao propria para isso.
    Vamos acompanhar.

    Adriana: me diverti com sua historia do queixo! rs

    ResponderExcluir
  13. Jorge

    Roma convida a gente a isso, caminhar, caminhar,caminhar...que bom que vc curte e está em forma,hehehehehee...delicia de relato...bjs

    ResponderExcluir
  14. Eymard
    Eu gosto muito dessa região em Roma. Tudo fica muito fácil quando estamos ali. Saindo da Piazza del Popolo e entrando na Via di Ripetta dá para ir até o Vaticano a pé. Espero sempre ficar por lá.
    Abraços.

    Monica
    é isso mesmo mônica. A cidade nos convida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Estou acompanhando seus posts com as andanças pela Itália! ;-) E obrigada por citar o blog Flashes de Viagem no texto, fico feliz que tenha lembrado e de alguma forma te influenciado. Até mais!

    ResponderExcluir
  16. Simone
    Vc foi gentilíssima com suas dicas de Florença e Veneza. Espero que a gente continue trocando figurinhas.
    Abraços

    ResponderExcluir
  17. Relendo sua viagem e me preparando para a minha! Gostei de saber dos 23 graus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kátia
      Temperatura é algo que não podemos prever. Eu pensei que fosse ter dias lindos na Itália, mas apesar de a viagem ter sido ótima, usei casaco e guarda-chuva boa parte do tempo.
      Beijos

      Excluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.