quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

No Topo da Tour Eiffel

Tour Eiffel vista do Rio Sena durante um passeio de barco

Tem como uma cidade como Paris ficar mais bonita do que já é? Sim, quando podemos contemplá-la do alto. Desde a minha primeira viagem, tive a oportunidade de contemplar a cidade de diversos ângulos. Do terraço da saudosa Samaritaine (loja de departamentos que fechou há mais ou menos 7 anos), passando pela Torre da Catedral de Notre Dame, o Arco do Triunfo e a feiosa Tour Montparnasse. Paris vista do alto é sempre um espetáculo!
Recentemente, no Facebook, uma colega publicou uma foto feita do alto da Tour Eiffel. Assim que vi, lembrei que tinha esta, porém feita a partir de um ponto mais alto.
´
Clique na foto para ampliar

Subir a Tour Eiffel era um dos programas que eu sempre evitava nas minhas passagens por Paris. O que me afastava era a fila - sempre imensa. Mas, finalmente, em setembro de 2006, após avistar a Torre num passeio de barco pelo Sena (primeira foto do post), decidi que iria subir. E lá fui eu para a fila. E não fiquei mais do que 10 minutos. Perfeito.


Confesso que "amarelei" quando o elevador que leva ao topo fechou a porta e comecei a ver tudo pequeninho...gelei! E em segundos já havia esquecido tudo...com esse visual o medo vai embora!

 
 

Conheço algumas pessoas que vão à Paris e nunca sobem a Tour Eiffel, seja pela fila, por medo de altura ou sei la o quê. Só tenho a dizer que é um passeio bacana e imperdível. É sempre cheio? É. E sempre será, pois Paris é a cidade mais visitada do planeta. Então é relaxar e ficar na fila ou agendar a sua visita aqui. Posso dizer que tive um pouco de sorte, pois apesar de cheio, como sempre, não estava lotado. Talvez tenha sido o horário, cheguei por volta de 18 horas, mas com o horário de verão a noite só chega perto das 21hs.


E ainda tive direito a este belo pôr do sol  ...


E terminei a visita com a Tour Eiffel iluminando a Cidade Luz.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Máximo silêncio em Paris

Desde o dia 27 de janeiro, os cariocas foram podem contemplar a instalação "Máximo silêncio em Paris", obra do artista italiano Giancarlo Neri que ocupa a Praça Paris na Glória.
Com projeto do urbanista francês Alfred Agache, a Praça Paris foi construída em 1926. Eram outros tempos e a Praça era um luxo, sem grades, cheia de esculturas e ocupava um espaço enorme indo da Glória até a Avenida Rio Branco. Com as obras do metrô nos anos 1970 a praça ficou totalmente destruída, mas nos anos 1990 vieram novas obras e a praça voltou a ter um pouco do seu charme, além de ganhar grades de proteção. Contudo, a Praça Paris ainda é pouco frequentada. Apenas moradores do bairro costumam caminhar e correr ali, assim como empregados de diversas empresas que fazem treinos de corrida na praça.
Aproveitei o belo fim de tarde de ontem para visitar a instalação de Giancarlo Neri e caminhar nesse cenário único da nossa cidade.


Giancarlo Neri, nasceu em Nápoles em 1955. Em 1978, mudou-se para Nova York como jogador de futebol profissional. Estudou pintura e escultura na Art Students League de Nova York e virou artista em tempo integral em 1980. Neri se dedica à realização de grandes instalações em  espaços públicos nos Estados Unidos, Brasil e Europa desde 1982. Atualmente, vive e trabalha em Roma.


A instalação que é apresentada aos cariocas foi realizada pela primeira vez em Roma no Circo Massimo e recebeu o nome de "Massimo Silenzio". Neri cobriu o Circo Massimo com 9000 globos com lâmpadas que mudam de cor quando acesas. Aliás, o nome da instalação no Rio "Máximo silêncio em Paris", vem do Circo Massimo. Além de Roma, Neri cobriu a Esplanada del Rey em Madri e o hipódromo de Dubai, na Dubai World Cup em 2009.
É grande a curiosidade em torno do material utilizado por Neri para realização da sua obra. Neri conta que sua mulher comprou um dos globos numa loja de departamentos, a Ikea - que está em várias cidades europeias. Na época, Neri foi convidado pelo prefeito de Roma para criar uma obra para a Noite Branca - festa que acontece com Museus abertos noite adentro. Neri resolveu usar o globo e daí em diante é o que se vê.


Um espetáculo incrível que mexe com a imaginação de todos que passam pela Praça Paris.
 

 

 A partir das 19hs as luzes começam a acender alterando o cenário aos poucos


Durante a minha caminhada/visita, tive a sorte de encontrar Giancarlo Neri supervisionando sua obra. Neri é um sujeito extremamente simpático e super atencioso e ainda fala português - misturando um pouco com italiano, claro. No nosso papo, Neri me disse que haviam sugerido o Jardim de Alah para receber a obra, mas que ele fez questão que fosse na Praça Paris, bem no coração do Rio, próximo ao Centro e caminho obrigatório para quem vai para a Zona Sul. Assim, sua obra teria muito mais visibilidade. Neri está muito satisfeito com o resultado e com a participação do público carioca.
À medida que a noite vai chegando as luzes começam a mudar de cor, transformando a Praça Paris num lugar mágico. Elas começam com diversas cores e vão mudando a cada 12 segundos. Em alguns momentos as cores ficam uniformes transformando a Praça num belo tapete.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
"Máximo silêncio em Paris" pode ser conferida até o dia 04 de fevereiro. As luzes são acesas a partir das 19h e a Praça fica aberta até meia-noite. Mas as luzes ficam acesas até o amanhecer. Vale muito fazer uma visita, levar um pequeno farnel e fazer um piquenique noturno.