quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Carmina Burana

No último sábado, 24/08, fui conferir o ballet Carmina Burana. A obra mais popular de Carl Orff, ganhou coreografia do argentino Mauricio Wainrot é apresentada pela primeira vez no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. E esta é uma oportunidade rara para ver os três corpos artísticos da casa reunidos num mesmo espetáculo. 
Antes da apresentação do ballet Carmina Burana, o público tem a oportunidade de assistir duas coreografias, também criadas por Wainrot: Chopin nº 1, baseada no Concerto nº 1 para Piano e Orquestra, de Chopin, e Ecos, a partir da música Adágio para Cordas, de Samuel Barber. Na foto abaixo, Cecília Kerche e Francisco Timbó dançam esta coreografia. 
Foto: Vânia Laranjeira
Após o intervalo, o grande momento da noite, o ballet Carmina Burana, com o Coro e Orquestra Sinfônica do Theatro, regidos pelo maestro Abel Rocha.
Carmina Burana é baseada em textos poéticos do séc. XIII, pertencentes ao manuscrito conhecido como Codex Latinus Monacensis. O Codex é composto por 315 composições poéticas, das quais Carl Orff extraiu algumas canções e arranjou orquestra e coro, estruturando a obra em prólogo e três partes. No prólogo há uma invocação à deusa Fortuna. Na Primeira parte – Primo Vere (Primavera) – celebra-se o encontro do Homem com a Natureza. Na segunda – In Taberna (Na Taberna)– predominam os cantos goliardescos que celebram as maravilhas do vinho. Na terceira – Cour D’Amours (Corte de Amores) – exalta-se o amor. Ao final, repete-se o coro de invocação à Fortuna. 
Foto: Vânia Laranjeira
Confesso que estava muito curioso para assistir ao ballet Carmina Burana, principalmente porque nunca havia passado pela minha cabeça ver um balé tendo como pano de fundo a cantata de Carl Orff. E nos primeiros acordes do prólogo, a cena é impactante. Coreografia muito bem executada pelo corpo de baile do Theatro. Mauricio Wainrot faz um trabalho eletrizante e cuidadoso, com movimentos ágeis e que transmitem muito alegria. 


E assim segue o espetáculo, a cada parte uma surpresa e os nossos olhos brilham com o que é apresentado no palco. E todo o conjunto é muito harmonioso. A orquestra conduzida pelo maestro Abel Rocha estava brilhante, assim como o Coro do Theatro. Nesta apresentação os cantores saem do palco para ficar no Balcão Superior nas laterais, assim como os solistas que se apresentam no Camarote do Balcão Nobre. Toda essa formatação, faz de "Carmina Burana" um dos melhores e mais sofisticados espetáculos do ano.
Não posso deixar de falar do jovem talento, o primeiro solista, Moacir Emanoel - na última foto abaixo - o bailarino mostrou muita competência, já no pas-de-deux em Chopin nº1 e na apresentação de Carmina Burana, onde realmente se destacou dos demais. 
Carmina Burana fica em cartaz até o dia 01/09 e retorna para mais três récitas nos dias 13, 14 e 15 de setembro. Imperdível!
Foto: Vânia Laranjeira
Foto: Vânia Laranjeira

2 comentários:

  1. Caro Jorge, que espectáculo delicioso. Inveja (da boa)... porque será que se canta a Fortuna antes da Primavera e do Amor? Como os antigos davam importância ao destino...
    Ah, as fotos estão fantásticas!
    Abraço, um doce domingo
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruthia,
      Eu acredito que "Fortuna" seja mais impactante, por isso abrir a obra com essa peça. Este foi um dos melhores espetáculos do ano aqui do Theatro. Fez tanto sucesso que vão acontecer mais três récitas.
      Abraços

      Excluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.