quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Um giro pela Provence


Entre todas as coisas que me agradam na França, uma delas é o fato de que não importa onde for, o visitante vai encontrar o Office de Tourisme (Informações Turísticas). E foi no Office de Tourisme de  Avignon que encontrei um passeio para conhecer o Parc Naturel Régional du Luberon, que faz parte da região Provence-Alpes-Côte d'Azur. Esses passeios quebram o maior galho, sobretudo se você não dirige, como eu e vive na dependência de ônibus e trens. Porém, para certos lugares só mesmo o carro. Tudo foi acertado lá mesmo no Office de Tourisme, inclusive o pagamento. A empresa Provence Panorama opera diversos roteiros pela região, e a partir de dois passageiros já é possível contratar uma excursão com um Guia-chofer. 
E assim, na manhã ensolarada do dia 04 de setembro de 2014, parti em direção ao Luberon, um grande parque natural que possui 185.000 hectares e é composto por 77 vilarejos. O nosso tour começa em Gordes com suas casas de pedras, conhecidas como "bories". 

O vilarejo encanta desde o primeiro momento com sua paisagem deslumbrante.

Abadia Nossa Senhora de Sénanque (Notre-Dame de Sénanque) é um dos exemplos mais puros da arquitetura cisterciense primitiva e sua construção data de 1148. Aqui residem monges que vivem em comunidade e fabricam produtos à base de lavanda. Não visitamos a Abadia porque não estava no Roteiro, apenas olhamos assim de longe e descemos para ver a entrada. Há visitas guiadas em francês, mas também pode-se visitar individualmente. Para as visitas pede-se estar vestido corretamente (nada de shorts, decotes etc...)

Entrada da Abadia com seus campos de lavanda e trigo.
Continuamos nosso passeio pelo Vilarejo de Gordes com suas ruas estreitas e arquitetura original.
Fizemos uma parada de 30 minutos para dar um giro pelo centro do vilarejo. Claro que a vontade é de ficar muito mais tempo, principalmente quando começamos a caminhar e a descobrir a cidade.
As ruas são estreitas e o calçamento é de pedra
Uma pequena jóia é a Igreja de Saint Firmin construída no séc. XII, originalmente dedicada à Nossa Senhora. Mas, reconstruída no séc. XVIII, passou a ser consagrada à Saint Firmin.
E o caminho estreito sempre revela grandes paisagens
Um super visual
Em Gordes é assim, ruas, casas e muros de pedras.... e os trinta minutos passaram voando...hora de prosseguir para Roussillon.

Em poucos minutos uma mudança radical na paisagem, diferente de tudo o que já havia visto. Roussillon é a cidade ocre.
Roussillon está situada no maior campo de ocre do mundo. Por conta dessa riqueza mineral, o vilarejo é um dos mais visitados na região e as casas são todas pintadas utilizando a tinta de suas rochas.
O visual é fabuloso e o meu figurino quase se confunde com as cores da cidade.

Finalizando a visita uma feira com produtos locais como lavanda e muitos temperos da Provence.
Roussillon é mais um desses lugares que você chega e quer ficar e vale mesmo!
Pont Julien - patrimônio preservado
Saímos de Roussillon e seguimos para Lacoste, no caminho passamos pela Pont Julien. Esta ponte foi construída sob as ordens de Jùlio César. Segundo os historiadores, a ponte deve ter sido construída entre 27 a.C - 14 d.C.

Ainda na estrada passamos em frente à antiga casa do escritor Peter Mayle, autor do consagrado romance "Um ano na Provence". Depois do sucesso do livro e consequente descoberta que o autor morava nesta casa, os turistas passaram a frequentar o local. E, óbvio, Peter foi procurar outro pouso mais tranquilo.
E, finalmente, chegamos à Lacoste um vilarejo onde o maior destaque é o Castelo do Marquês de Sade. O Castelo estava em ruínas, mas foi comprado em 2001 por Pierre Cardin. O Castelo ainda passa por restauro, mas em sido palco do Festival Lacoste que acontece anualmente, dedicado à dança, ópera e teatro. O próximo vai acontecer de 9 a 24 de julho.

As esculturas que estão espalhadas pelo jardim são monumentais 
Poderíamos chamá-la de "aquele abraço", mas é uma obra sem nome de um artista russo chamado Alexander Bourganov. Na foto, eu e Anne - nossa guia - reproduzindo a obra.

"Marquês de Sade" - obra do escultor Ettore Greco
"Árvore da Vida" - Ettore Greco

E o tour chegou ao fim no pequeno vilarejo de Ménerbes, que fica no alto de um rochedo. Lá encontramos a Maison de la Truffe et du Vin du Luberon, espaço que reúne restaurante, enoteca, cursos e conferências sobre trufas e vinhos. E, claro, uma lojinha onde podemos comprar azeite trufado entre outras coisas.

Place de l'Horloge

O tour foi espetacular, um passeio que durou 5 (cinco) horas com muita informação e paisagens inesquecíveis. Valeu muito.

8 comentários:

  1. Muito bacana, o post e os lugares! Essa região da Provence está na minha lista de espera ! rsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deixe de ir Lu e vc vai saber explorar muito bem a Provence.
      Beijos

      Excluir
  2. Jorge,

    Que passeio encantador! Estou compartilhando na rede.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Adorei o roteiro, mas seria um pouco chato de fazer com o Pedrinho. Muito tempo de carro, ele quer é espaço aberto para correr e explorar...
    Abraço e uma linda semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruthia
      Mas você pode escolher uma ou outra cidade e ficar por lá. O passeio todo durou cinco horas, mas foi bem dinâmico.
      Abraços e ótima semana também!

      Excluir
  4. Jorge, você escolheu a profissão certa. Suas descrições são tão ricas em detalhes, que a cada post, quero conhecer o lugar descrito. Fico imaginando você guiando um grupo e acho que um tour com você vale realmente a pena. E lá vou eu acrescentar Provence à minha lista de desejos. Rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cândida
      Essa regiao é lindíssima e olha que só fui num pedacinho, há muito mais para ser visto.
      Meu sonho seria guiar um grupo pela França, ia ser fantástico!
      Beijos

      Excluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.