quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

La Défense

Lembro como se fosse hoje, quando subi o Arco do Triunfo e avistei o Arco de la Défense. Eles estão simetricamente alinhados. A grande avenida e algumas estações depois nos levam ao bairro de La Défense... que não é mais Paris. O bairro faz parte de um outro departamento - Hauts-de-Seine. Estive lá a primeira vez que visitei Paris e quis voltar no ano passado. Era um domingo, dia 14 de setembro de 2014. Do Marais direto até La Défense pela linha 1 do metrô. Uma curiosidade: não há maquinista nos trens da linha 1 e se você estiver no primeiro vagão terá a visão  - foto abaixo - ao se aproximar do bairro.
o metrô sai do túnel e avistamos um bairro futurista
O Grande Arco de La Défense
A primeira vista ficamos com a sensação de que saímos de Paris e chegamos em algum lugar do planeta que não lembra a França que idealizamos... ouvi comentários "parece New York", "ah meio sem graça", "Ufa, enfim algo moderno na França.." e por aí vai. O fato é que graças à La Défense, Paris conservou seus belos prédios elegantes, suas lindas avenidas e nada foi descaracterizado. Não corremos o risco de ver um prédio do século XIX ao lado de uma torre de vidro... 

Adoraria subir neste grande Arco e ver Paris de outro ângulo... mas estava fechada a bilheteria? Me aproximei e vi o estado lamentável do lugar. As visitas já não aconteciam há algum tempo, um abandono só. Não sei como anda hoje.
Então só me restava apreciar esse conjunto moderno, meio futurista e, por incrível que pareça, gostar de estar ali. Um bairro de negócios, poder e grandes decisões, pensei... 
O fato é que, embora não seja fã desse modernismo todo, La Défense acaba agradando. E tem ótimos centros comerciais.
 
Por ser domingo, não havia muito movimento, o que achei ótimo. Entrei num dos shoppings...
 ... e logo percebi que aquele era o programão de muitos que moram nos arredores de Paris e já cansaram de jardim-museu-almoço-praça.

"Tá na boca do povo" ou "Ninguém fala em outra coisa"... uma tradução livre para a frase "tout le monde en parle" que chamava atenção para o livro de Valérie Trierweiler - a ex-mulher (traída) de François Hollande - "Merci pour ce moment". 
 
É claro que eu não comprei... na sacolinha da FNAC apenas cd's e o livro "Une année en Provence" de Peter Mayle. 
E, de repente, La Défense pode ser um programinha legal para um domingo sem compromisso em Paris.

2 comentários:

  1. Estive lá rapidamente e quase anoitecia pq o outono já estava acabando. Era dezembro e tinha uma feirinha com artigos natalinos. Não desgostei tb. Lembrei de NY sim. Adorei a dica do Metrô que não tem maquinsta. Eu não sabia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além da linha 1, há uma outra linha, se não me engano, a 14 que também não tem maquinista. É meio estranho, mas interessante.
      beijos

      Excluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.