quem escreve

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Carioca, apaixonado pelo Rio de Janeiro, apreciador das artes, das viagens e das pessoas que têm algo a dizer.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Carnaval 2015 - vamos pular em terras lusas

Alguém lembra das altas temperaturas do verão deste ano? O Rio de Janeiro parecia sucursal do deserto do Saara. Temperaturas em torno dos 43 graus, com sensação térmica de 50. Carnaval em fevereiro, no Rio 40 graus? Não estava disposto. Comecei a procurar um destino para ficar longe da folia e do calorão - inimaginável há alguns anos, pois sempre gostei da equação verão + carnaval -, mas estava cansado por conta da minha nova atividade de Guia de Turismo, trabalhando sob o sol todos os dias. A princípio pensei numa praia tranquila em alguma cidade do Nordeste. Por incrível que pareça, os preços estavam absurdos. Daí o jeito foi seguir para o velho continente... e o destino escolhido foi Portugal. Tracei um roteiro enxuto para visitar Lisboa e o Porto e, para não deixar passar em branco, uma paradinha de duas noites em Paris...
Saí do Rio no dia 12 de fevereiro (quinta-feira), troquei a água de coco por vinho e a fantasia por pesados casacos para segurar o frio europeu. Viagem tranquila até Paris e na foto acima, já estou no Aeroporto  Charles de Gaulle em Paris, aguardando o voo para Lisboa.
A única vez que estive na cidade foi em 2005. Estava ansioso para chegar e rever.
O avião aterrissou às 14h05 e a temperatura era de 15 graus - suave para os padrões europeus. 
Como eu iria viajar no dia seguinte para o Porto,  reservei uma noite no Hotel IBIS Saldanha, que fica perto da Estação Entrecampos. E foi uma ótima pedida.
O Hotel está com ótimas instalações e os quartos são até espaçosos, se comparados a outros hotéis da Rede.
O padrão IBIS é o de sempre: apartamento limpo, cama confortável, bancada, televisão e um banheiro correto. E sempre, uma toalha para cada hóspede. Perfeito para uma noite. Mas, para quem não é tão exigente e quer pagar barato, vale ficar hospedado ali. Tem metrô, ônibus e está a alguns metros da Praça Marquês de Pombal e Av. da Liberdade - onde ficam muitos hotéis da capital portuguesa. E o café da manhã é excelente. Serviço de buffet e na época custou 4,80 Euros (Enquanto escrevi o post, fiz uma simulação no site do hotel e a diária para este mês está em torno de 47 Euros - apto para 1 ou 2 pessoas - e café da manhã 6,50 Euros por pessoa). Mais um detalhe: o táxi do Aeroporto até o hotel custou apenas 10 Euros (contando as malas)! Isso porque eu arredondei, pois o motorista queria me dar o troco de alguns cêntimos...
Agora que já passei as dicas, vamos passear pela cidade!
Já era quase 17 horas e o frio estava bem suportável... e assim está Lisboa, dez anos depois...
O antigo...
...e o moderno... vai uma mãozinha aí para segurar esse prédio?
Do Saldanha, peguei o metrô e desci na estação "Baixa-Chiado" e dali fui com o coração aberto, passear pelas ruas de pedras portuguesas, claro! Parece um verdadeiro tapete. E olha só quem eu encontro no Café "A Brasileira"... Fernando Pessoa! 
O casario inconfundível
Azulejaria e os pequenos balcões

Não podia deixar de visitar a Basílica dos Mártires. Igreja muito importante para a cidade de Lisboa, pois foi "diante da imagem de Nossa Senhora dos Mártires que o Rei Afonso pediu auxílio e proteção para conseguir aquilo que se propunha: fazer de Lisboa uma cidade cristã."  
Detalhe da decoração do teto da Basílica
A Igreja primitiva foi completamente destruída no terremoto que arrasou Lisboa em meados do século XVIII. A construção atual, projetada pelo arquiteto Manuel Reinaldo dos Santos, data de 1784. 


No passeio, agora com o olhar mais aguçado para as artes decorativas, fiz alguns registros interessantes do casario lisboeta.
Luvaria Ulisses no mesmo endereço desde 1925 - Rua do Carmo.
Desci a Rua do Carmo e cheguei a Rua Augusta, cada vez mais encantado com o trabalho dos calceteiros que criam verdadeiros tapetes nas ruas de Lisboa. Nenhuma pedrinha solta.
Artista de rua dando um jeito para ganhar um trocado e espantar o frio
Vendedor de Castanhas Assadas 
Na Rua Augusta o comércio é variado, mas o destaque são as pastelarias, onde encontramos os doces conventuais portugueses ...
Uma verdadeira tentação...
... como resistir
 ... Não foi fácil

O Arco da Rua Augusta foi desenhado pelo arquiteto Santos de Carvalho, para comemorar a reconstrução da cidade depois do terremoto de 1755, mas só foi concluído em 1873. É decorado com figuras históricas, com destaque para Vasco da Gama e o Marquês de Pombal, ladeadas por representações alegóricas dos rios Tejo e Douro.
E ao cruzar o Arco temos a belíssima e ampla Praça do Comércio
É um conjunto agradável aos olhos e um ponto de encontro da juventude lisboeta. Cercado de bares e restaurantes.
Andando sob as arcadas os olhos da gula, não deixaram passar despercebido o cartaz do pastel de bacalhau com recheio do queijo Serra da Estrela.
Nem pensei duas vezes,  entrei para conferir a delícia que estava sendo preparada com todo cuidado.
Foi só quando me instalei é que me dei conta que estava no Museu da Cerveja e e o suposto Bar é o Espaço de Cervejaria, onde os visitantes degustam cervejas produzidas em Portugal e nos outros países de língua portuguesa, sempre acompanhando ótimos belisquetes, como os pastéis da foto ...
 A visita não é obrigatória, mas já que estava lá ... por que não?
 

Literalmente, um mergulho na história da cerveja e curiosidades sobre a fabricação da cerveja nos países de língua portuguesa.
 
Tentando descobrir o segredo, mas o monge não disse nada ...

 
E os pastéis de bacalhau abriram o apetite ... quase 20hs ... vamos jantar no tradicional Martinho da Arca?

E sabe quem era um dos seus frequentadores ilustres??? Fernando Pessoa

O escritor tinha sua mesa reservada e só ocupada por ele. Por isso, até hoje, está lá intacta e que ninguém ouse puxar a cadeira! Poemas e cartas de Pessoa dão o charme e criam um ambiente particular.
Nas paredes do amplo salão, fotos do poeta caminhando pela cidade. 
Jantei um arroz de pato que estava apenas razoável ...
... mas a sobremesa, um "Rançoso Alentejano" estava maravilhoso.
E assim, alimentado, com a alma feliz e jogando a dieta para o alto ... retornei para o Hotel sob chuva fina, pelas ruas silenciosas de Lisboa ... já pensando na viagem ao Porto no dia seguinte ...

9 comentários:

  1. Oi Jorge! Na minha última viagem de maio (Milão/ Veneza (com bate- volta a Verona)/ Florença (com bate- voltas iguais aos seus)rsrsrs. Bom voltei à Milão ficamos 2 dias e...pegamos um avião para Lisboa..rsrs .Ficamos 6 dias com bate voltas á Sintra, Cascais e Óbidos (trem e ônibus) e depois ...3 noites em Paris ...rsrs Sempre damos um jeitinho de passar por lá e muita gente tb me pergunta "E por que você sempre visita Paris?"...Como sempre adorando seus posts e seus roteiros! Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alba!
      Este roteiro da Toscana foi um dos melhores que fiz. Você fez muito bem em seguir. Esta viagem a Portugal foi rápida, mas muito proveitosa. continue aqui viajando... e Paris é para voltar sempre e sempre!!!
      Abraços

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Jorge, feliz escolha para escapar do verao escaldante. Percebi os preços que foram muito bons, sendo assim, gastou pouco. Veja que vergonha a hospedagem carioca ou paulista, porque tira o couro do viajante. Nossas refeições estão tão caras e algumas vezes ruins.

    Ahhh os docinhos devem ter sido uma loucura.

    Vc sempre viajando e compartilhando experiencias!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sissy
      Na alta temporada os preços no Rio extrapolam os limites do bom senso. Portugal foi uma excelente pedida.
      Beijos

      Excluir
  4. Uma sucursal do deserto do Sahara?! Hahaha, morri!
    Sabe que nunca entrei nessa Basílica dos Mártires? Não sei nem onde fica. Só vamos à capital para ver família/amigos e tratar de algum assunto...
    Ansiosa pelo post de Guimarães.
    Beijinhos
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruthia
      Fica na rua do Café A Brasileira... na estação do Chiado. Muito bonita.
      Em breve Guimarães

      Excluir
  5. Só uma perguntinha básica: existiam bares e restaurantes abertos durante o carnaval? Gostaria de uma aventura dessas pra 2016, porque amo o Rio e a Bahia, mas não curto carnaval e fico muito entediada por não ver uma saída, já que nosso Brasil varonil é só samba, suor e cerveja nessa época, além de preços elevados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávia
      O carnaval na Europa não é igual aqui. A vida segue normal e o feriado é só na terça-feira, mas os restaurantes, cafés e bares e até museus abrem normalmente. Pode ir tranquila!
      Abraços

      Excluir

Obrigado por ler e comentar este post.
Abraços e volte sempre.